• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.11.2020.tde-12012021-111747
Documento
Autor
Nome completo
Leticia Prado Munhoes
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2020
Orientador
Banca examinadora
Ferraz, Katia Maria Paschoaletto Micchi de Barros (Presidente)
Garavello, Maria Elisa de Paula Eduardo
Lindenkamp, Teresa Cristina Magro
Oliveira, Edson Montilha de
Título em português
Proteção e fiscalização de áreas protegidas da Mata Atlântica paulista na perspectiva de quem as protege
Palavras-chave em português
Áreas protegidas
Conservação
Dimensões humanas
Gestão de fiscalização
Proteção
Unidades de Conservação
Resumo em português
A criação de áreas protegidas (APs), por si só, não garante que a biodiversidade seja efetivamente protegida. São necessárias medidas complementares como a fiscalização ambiental, o que torna o corpo de guarda- parques e/ou ocupações similares a linha de frente da proteção dessas áreas. Entender a proteção na perspectiva e experiência desses atores pode contribuir significativamente na gestão da biodiversidade. No entanto, isso tem recebido relativamente pouca atenção por parte dos pesquisadores, especialmente no Brasil. Este estudo teve como objetivo contextualizar a fiscalização em quatro áreas protegidas no Corredor de Biodiversidade da Serra do Mar (CBSM), estado de São Paulo. Com base em 45 entrevistas semiestruturadas com guarda-parques e/ou ocupações similares, descrevemos a atividade na perspectiva dos próprios profissionais que a exercem. As APs selecionadas possuem contextos diferentes de tamanho, gestão e graus de fiscalização. A pesquisa foi dividida em etapa duas etapas. Na primeira, os dados foram analisados de forma qualitativa através da análise de categorização, elaborando uma narrativa sobre o contexto observado. Na segunda etapa, os dados foram analisados de forma quantitativa através de estatística descritiva. Os resultados revelaram as condições difíceis de trabalho que esses atores enfrentam no dia-a-dia. Equipes pequenas demais, falta de capacitação básica e padronizada, de equipamentos e de reconhecimento foram algumas das dificuldades reportadas. Entretanto, essas condições não impedem a realização da atividade por esses atores. O mesmo cenário é observado em outros países em desenvolvimento, evidenciando a urgente necessidade de valorização da profissão, bem como das APs, além do investimento em recursos, capacitação e regulamentação da profissão no país. Embora os resultados não possam ser generalizados para outras áreas protegidas dentro ou fora do estado de São Paulo, eles contribuem como conhecimento básico sobre a ocupação diretamente responsável pela proteção de APs, além de ser um ponto de partida para pesquisas futuras.
Título em inglês
Protection and surveillance of São Paulo's Atlantic forest protected areas from the perspective of the ones that protect it
Palavras-chave em inglês
Conservation
Conservation Unit
Human dimensions
Management of surveillance
Protected area
Protection
Resumo em inglês
The establishment of protected areas (PAs), by itself, does not guarantee that biodiversity is effectively protected. Complementary measures are necessary, such as command and control, which makes park rangers the frontline of protecting these areas. Understanding protection from the perspective and experience of these actors can significantly contribute to the management of biodiversity. However, this has received relatively little attention from researchers, especially in Brazil. This study aimed to contextualize command and control in four protected areas in the Serra do Mar Biodiversity Corridor (CBSM), state of São Paulo. Based on 45 semi-structured interviews with park rangers, we describe the activity from the perspective of the professionals who perform it. The selected PAs have different contexts in terms of size, management and level of command and control. The research was divided into two stages. In the first stage, the data were analyzed qualitatively by categorization analysis, elaborating a narrative about the observed context. In the second stage, the data were analyzed quantitatively using descriptive statistics. The results revealed the difficult working conditions that these actors face on a day-to-day basis. Too small teams, lack of basic and standardized training, of equipment and of recognition, were some of the difficulties reported. However, these factors do not prevent the performance of the activity by these actors. The same scenario is observed in other developing countries, highlighting the urgent need to value the profession, as well as the PAs, in addition to investment in resources, training and regulation of the profession in the country. Although the results cannot be generalized to other protected areas inside or outside the state of São Paulo, they contribute as basic knowledge about the profession that is directly responsible for protecting PAs, in addition to being a starting point for future research.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2021-01-13
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.