• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.11.2012.tde-14082012-101451
Documento
Autor
Nome completo
Marcos Aurélio Araujo Lima
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2012
Orientador
Banca examinadora
Vendramim, José Djair (Presidente)
Boiça Junior, Arlindo Leal
Guimarães, Jorge Anderson
Oriani, Maria Auxiliadora de Godoy
Yamamoto, Pedro Takao
Título em português
Resistência de genótipos de meloeiro à mosca-minadora Liriomyza sativae (Blanchard, 1938) (Diptera: Agromyzidae)
Palavras-chave em português
Genótipos
Melão
Mosca minadora
Pragas de plantas
Resistência
Resumo em português
Atualmente, a mosca-minadora Liriomyza sativae (Diptera: Agromyzidae) é uma das principais pragas da cultura do meloeiro no Brasil. É comumente relatado que as moscas-minadoras se tornam pragas devido a um desequilíbrio biológico provocado pelo uso incorreto de inseticidas além do seu grande potencial biótico. Portanto, é fundamental que sejam desenvolvidas estratégias de manejo que atuem em equilíbrio com o ambiente. Assim, a resistência de plantas a insetos assume papel fundamental nesse contexto. Diante desses fatos, a presente pesquisa objetivou avaliar a resistência de genótipos de meloeiro à mosca-minadora. A criação do inseto foi mantida em plantas de feijão-caupi. Foram realizados ensaios preliminares com diferentes números de casais e diferentes tempos de exposição das plantas aos insetos visando determinar a combinação mais adequada para estudos de resistência. Os resultados indicaram que são necessários quatro casais/planta e um tempo mínimo de infestação de 24 horas. Foram testados inicialmente 44 genótipos divididos em cinco grupos, comparados sempre a uma testemunha suscetível (Vereda). Cada grupo foi mantido numa gaiola onde ocorreu a infestação pelos adultos. Após cinco dias, foi avaliado o número de minas por planta, com base no que foi calculado o Índice de Resistência. A partir desse índice, foram selecionados, os oito genótipos mais promissores (os acessos A5, A15, A22, A29, A42 e A44 e as cultivares Mc Laren e Guaporé) para avaliação dos possíveis tipos de resistência envolvidos. No teste de antixenose para oviposição, constatouse que, no teste de livre escolha, todos os genótipos foram menos preferidos para oviposição que a testemunha, enquanto no teste de confinamento os menos preferidos foram os genótipos A5, A22, A29, A42, A44 e Guaporé. Os genótipos A22, A29, A42, A44 e Mc Laren prolongaram a duração do período embrionário do inseto, enquanto a cultivar Guaporé provocou sobrevivência larval nula e Mc Laren prolongou a fase larval e, juntamente com o acesso A44, reduziu a sobrevivência dessa fase. Por outro lado, o acesso A15 foi o que proporcionou a maior duração da fase de pupa, sendo o tamanho pupal reduzido pelos acessos A29, A42 e A44. A maior duração da fase imatura do inseto ocorreu nos genótipos A29 e Mc Laren. Os diferentes genótipos de meloeiro não influenciaram a longevidade, a razão sexual, os períodos de pré-oviposição e de oviposição e a fecundidade total dos adultos de L. sativae. Com base na avaliação do efeito dos genótipos sobre a biologia do inseto, constatou-se que Mc Laren, Guaporé, A22, A29, A42 e A44 apresentam resistência do tipo antibiose e/ou antixenose para alimentação. No ensaio de tolerância, concluiu-se que a quantidade de clorofila nas folhas foi um parâmetro adequado para caracterizar o efeito do ataque de L. sativae sobre o meloeiro; por outro lado, os pesos de matéria fresca e seca e o comprimento do ramo principal não foram parâmetros adequados para avaliação da tolerância. Considerando todos os parâmetros estudados nesse ensaio, os genótipos A44 e Guaporé se comportaram como tolerantes.
Título em inglês
Resistance of melon genotypes to the leafminer Liriomyza sativae (Blanchard, 1938) (Diptera: Agromyzidae)
Palavras-chave em inglês
Accessions
Cucumis melo
Liriomyza sativae
Resistance
Vegetable leafminer
Resumo em inglês
Nowadays, the vegetable leafminer Liriomyza sativae (Blanchard) (Diptera: Agromyzidae) is one of the major melon pests in Brazil. The outbreak of this pest has been frequently reported to be due to biological control disruptions caused by the incorrect use of insecticides and to its high biotic potential. Therefore, it is important that management strategies acting in balance with the environment are developed. Studies on host plant resistance to insects play a fundamental role in this context. In this research project, we intended to evaluate the resistance of melon genotypes to the vegetable leafminer. The insect population was reared under laboratory conditions on bean plants. Preliminary assays were carried out with different numbers of couples and different infestation times aiming to find the most adequate combination to be used in plant resistance studies. The best results were obtained with four couples per plant and 24 hours of infestation. Initially, 44 melon genotypes were screened in five groups of nine genotypes compared to a susceptible control genotype (Vereda). Each group was placed in one cage for infestation with adult leafminer flies. After four days, the mean number of mines per plant was evaluated. Based on this data, the Resistance Index was estimated and eight genotypes were selected (accessions A5, A15, A22, A29, A42 and A44 and cultivars Mc Laren and Guapore). In the oviposition preference study, all genotypes were less preferred than the control in the multiple-choice test while in the no-choice test genotypes A5, A22, A29, A42, A44 and Guaporé was less preferred. Egg duration was longer in genotypes A22, A29, A42, A44 and Mc Laren than in control. In Guapore no larvae survived while in A44 and Mc Laren larval survival was smaller than in control, moreover in Mc Laren larval duration was longer than in control. Accession A15 provided the longest pupal duration, while accessions A29, A42 and A44 presented the smallest pupal sizes. In genotypes A29 and Mc Laren the egg-adult period was longer than the control. The different genotypes did not affect longevity, sex ratio, preoviposition and oviposition periods and fecundity of females. Based on the evaluation of host plant effect on the vegetable leafminers biology it was established that the genotypes A22, A29, A42, A44, Mc Laren and Guapore present resistance by antibiosis and/or antixenosis for feeding. In the tolerance test, it was concluded that chlorophyll content was an adequate parameter for discriminating the genotypes in relation to attack by L. sativae; on the other hand, main branch length and fresh and dry weight were not adequate parameters for tolerance study. Based on all parameters evaluated, genotypes A44 and Guapore seems to be tolerant.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-08-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.