• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Disertación de Maestría
DOI
https://doi.org/10.11606/D.11.2021.tde-12112021-094526
Documento
Autor
Nombre completo
Natália Picoli Folchini
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
Piracicaba, 2021
Director
Título en inglés
Ovarian response and embryo production of cows superstimulated with different FSH regimens and inseminated with conventional or sex-sorted spermatozoa
Resumen en inglés
A series of studies were performed to compare effects of FSH regimens on follicular superstimulation and in vivo embryo production of Holstein cows, and to evaluate the effect of SexedULTRA 4M semen from sires with distinct field fertility on in vivo embryo production. The superovulation protocol consisted of a presynchronization, followed by a superstimulation period. In D-FSH group, 300 mg of FSH were distributed over 10 decreasing doses, whereas in C-FSH group, the same amount was distributed over 10 constant doses. Insemination occurred 12 and 24 h post-GnRH, with conventional or SexedULTRA 4M semen, according to the experiments. Embryo collections were performed either on days 14 or 15. In Exp. 1, non-lactating cows underwent superovulations with crossover of FSH doses and were inseminated with conventional semen. In Exp. 2, in a 2x2 factorial arrangement, nonlactating cows underwent superovulations with crossover of FSH doses and, part of them, with crossover of SexedULTRA 4M semen, from sires classified as UF (recognized for higher fertility) or NUF (non-UF). In Exp. 3 (non-lactating) and 4 (lactating), in 2x2 factorial arrangements, cows underwent superovulations with the same FSH dose and with crossover of SexedULTRA 4M sires. In Exp. 1, 2, and 3, D-FSH provided greater follicular superstimulation, compared to C-FSH. However, in Exp. 4, the regimens were similar. Only in Exp. 2, D-FSH tended to have lower ovulatory response. Number of CL and total ova and embryo had a tendency or were greater for D-FSH, according to each experiment. Embryo characteristics were not influenced by doses, except in Exp. 1, where D-FSH produced more degenerate embryos. When data from all experiments were combined, D-FSH induced greater superstimulation and production of degenerate embryos, tended to reduce the ovulatory response, nonetheless, estrus expression and other variables were similar to C-FSH. Regarding SexedULTRA evaluation, in Exp. 2, UF sires were superior in transferable and freezable embryo production, and yielded less unfertilized oocytes, compared to NUF sires. In Exp. 3 and 4, NUF and UF sires showed similar results on embryo characteristics. Combined results indicated that UF were superior in transferable and freezable embryo production, and produced less unfertilized ova. Furthermore, progressive motility of UF sires was superior, compared to NUF. Cows that displayed estrus had greater ovulatory response, more corpora lutea, total ova and embryos, and transferable and freezable embryos (only for donors ≥ 2 structures recovered). Finally, there was no influence of number of corpora lutea during the superovulation protocol, as well as of ovulation on day zero, on ovarian response and embryo production. In conclusion, although decreasing doses of FSH were superior in follicular superstimulation, the embryo production efficiency was similar to constant doses. Finally, overall combined results indicated that UF sires were superior in embryo production, nevertheless, wide variability among bulls still exists.
Título en portugués
Resposta ovariana e produção embrionária de vacas superestimuladas com diferentes regimes de FSH e inseminadas com espermatozoides convencionais ou sexados
Resumen en portugués
Uma sequência de estudos foi realizada para comparar regimes de FSH na superestimulação folicular e produção de embriões in vivo de vacas Holandesas e avaliar o efeito do sêmen SexedULTRA 4M de touros com fertilidades distintas a campo na produção in vivo de embriões. O protocolo de superovulação consistiu em uma pré-sincronização, seguida do período de superestimulação. No grupo D-FSH, 300 mg de FSH foram distribuídos em 10 doses decrescentes, a cada 12 h. No grupo C-FSH, 300 mg de FSH foram distribuídos em 10 doses constantes. A inseminação ocorreu 12 e 24 h após o GnRH, com sêmen convencional ou SexedULTRA 4M, de acordo com o experimento. As coletas de embrião foram realizadas nos dias 14 ou 15. No Exp. 1, vacas não-lactantes foram superovuladas com crossover de doses de FSH e foram inseminadas com sêmen convencional. No Exp. 2, realizado em arranjo fatorial 2x2, vacas não-lactantes foram superovuladas com crossover de doses de FSH e, parte delas, com crossover de sêmen de touros SexedULTRA, classificados como UF (reconhecidos por maior fertilidade) ou NUF (não-UF). Nos Exp. 3 (não-lactantes) e 4 (lactantes), em arranjo fatorial 2x2, vacas foram superovuladas com os mesmos tratamentos anteriores de FSH e com crossover de touros SexedULTRA 4M. Nos Exp. 1, 2, e 3, D-FSH promoveu maior superestimulação folicular, quando comparado ao C-FSH. No entanto, no Exp. 4 os regimes foram similares. Apenas no Exp. 2, D-FSH teve tendência a menor resposta ovulatória. O número de corpos lúteos e de estruturas totais tenderam ou foram maiores para D-FSH, de acordo com os experimentos. As características embrionárias não foram influenciadas pelas doses, exceto no Exp. 1, onde D- FSH produziu mais estruturas degeneradas. De forma combinada, D-FSH induziu maior superestimulação e produção de embriões degenerados, tendeu a diminuir a resposta ovulatória, contudo, a expressão de cio e demais variáveis foram similares ao C-FSH. Para a avaliação do sêmen SexedULTRA 4M, no Exp. 2, touros UF foram superiores na produção de embriões transferíveis e congeláveis, e produziram menos oócitos não fecundados, comparados a touros NUF. Nos Exp. 3 e 4, touros NUF e UF demonstraram desempenho semelhante nas características embrionárias. Os resultados combinados indicaram superioridade de touros UF na produção de embriões transferíveis, congeláveis e menor produção de estruturas não fecundadas. Além disso, a motilidade espermática de touros UF foi superior em comparação aos NUF. A avaliação combinada de expressão de estro indicou que vacas que demonstraram estro tiveram maior resposta ovulatória, mais corpos lúteos, estruturas totais e embriões transferíveis e congeláveis (apenas doadoras com ≥ 2 estruturas recuperadas). Finalmente, ao se avaliar o efeito da pré-sincronização, não se observou influência do número de corpos lúteos durante a superestimulação, assim como da ovulação no dia zero do protocolo sobre a resposta ovariana e produção embrionária. Em conclusão, embora doses decrescentes de FSH tenham sido superiores na superestimulação folicular, a eficiência de produção embrionária foi similar à dose constante. Finalmente, de forma geral, touros classificados como UF tiveram maior produção embrionária comparados a touros NUF, no entanto, demonstraram ampla variabilidade de resposta.
 
Fecha de Publicación
2021-11-12
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2022. Todos los derechos reservados.