• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Felipe Franco de Oliveira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2019
Orientador
Banca examinadora
Bedendo, Ivan Paulo (Presidente)
Lopes, Joao Roberto Spotti
Mello, Ana Paula de Oliveira Amaral
Spadotti, David Marques de Almeida
Título em português
Sobrevivência do fitoplasma do enfezamento vermelho do milho e de seu vetor Dalbulus maidis (Delong & Wolcott) em algumas espécies forrageiras
Palavras-chave em português
Cigarrinha do milho
Enfezamento vermelho
Forrageiras
Milho
Resumo em português
A doença conhecida como enfezamento vermelho, associada a um fitoplasma do grupo 16SrI, subgrupo B, foi relatada em áreas brasileiras cultivadas com milho ainda no início da década de setenta. A importância econômica da doença se expressou a partir da década seguinte, com a introdução dos plantios de safrinha. O patossistema tem sido muito explorado em termos de pesquisa, porém falhas no conhecimento ainda são significativas. No presente trabalho foi investigada a sobrevivência do fitoplasma e da sua cigarrinha vetora Dalbulus maidis em algumas espécies forrageiras de alto interesse agronômico. Para isto, foram utilizadas cinco variedades de capim Panicum maximum cv. Mombaça, P. maximum x P. infestum cv. Massai, Brachiaria bizantha cv Marandu, B. brizantha cv. Piatã e B. decumbens cv. Basilisk (popularmente conhecida por Decumbens), os quais foram inoculados com o fitoplasma por meio de insetos infectivos alimentados em plantas de milho comprovadamente portadoras do patógeno. As avaliações foram realizadas tomando-se como critérios a detecção do fitoplasma nos tecidos dos capins, usando a técnica molecular de PCR, e a contagem diária do número de cigarrinhas mortas encontradas nas plantas forrageiras inoculadas. Amostragens de tecidos para a detecção do patógeno foram feitas aos 28, 56, 84, 112 e 140 dias após a inoculação, sendo as plantas cortadas para posterior rebrota, após cada amostragem. Também foi conduzido um ensaio em que cigarrinhas foram alimentadas em todas as variedades de forrageiras, portadoras do fitoplasma e, em seguida, confinadas em plantas sadias de milho. Os resultados revelaram que o fitoplasma estava presente em todas as plantas das diferentes variedades de capim, aos 28 dias após a inoculação. Aos 56 dias após a inoculação, o fitoplasma foi detectado em 66% das plantas de Marandu, 50% das plantas de Massai e 16% das plantas de Decumbens, Mombaça e Piatã. Aos 84, 112 e 140 dias após a inoculação, o patógeno não foi mais detectado nos tecidos rebrotados das plantas amostradas. Quanto à sobrevivência da cigarrinha, os capins se comportaram similarmente, dentro de cada um dos períodos de avaliação correspondentes a 24, 48, 72, 96 e 120 horas após o confinamento dos insetos nas plantas; no período de 120 horas, praticamente todos os insetos estavam mortos. Em relação à infecção de plantas de milho por insetos alimentados em plantas forrageiras portadoras do patógeno, os dados evidenciaram ausência do fitoplasma em todas as plantas de milho inoculadas. Estes resultados evidenciaram que, em condições naturais, provavelmente, as forrageiras podem servir como reservatórios; no entanto, sugerem que estas forrageiras podem não atuar como fonte de inóculo do patógeno para plantas de milho. Ainda, os dados apontaram que nenhuma das variedades testadas se destacou como sendo mais favorável à sobrevivência do vetor.
Título em inglês
Survival of the maize bushy stunt phytoplasma and its vector Dalbulus maidis (DeLong & Wolcott) in some forage species
Palavras-chave em inglês
Zea mays
Alternative hosts
Cicadellidae
Corn Leafhopper
Forage
Mollicutes
Resumo em inglês
Maize bushy stunt, associated with a phytoplasma of the group 16SrI, subgroup B, has been reported in Brazilian areas cultivated with corn since 1970s.The economic importance of the disease was expressed from 1980s, with the introduction of a cultivation system named "safrinha" maize. The pathosystem has long been explored, but failures of knowledge are yet significant. In the present work it was investigated the survival of the fitoplasma and its vector, the leafhopper Dalbulus maidis, in various forage species of high agronomic interest. So, five varieties of forage (Panicum maximum cv. Mombaça, P. maximum x P. infestum cv. Massai, Brachiaria bizantha cv Marandu, B. brizantha cv. Piatã e B. decumbens cv. Basilisk (popularly known by Decumbens) were used, which were inoculated with the phytoplasma via infective insects fed in corn plants infected by the pathogen. Assessment was conducted based on the detection of phytoplasma using PCR tecnique and daily counting of dead leafhoppers found in the inoculated forage plants. Tissues were collected for detection 28, 56, 84, 112 and 140 days after inoculation and plants were cut immediately after each sampling. In addition, an assay was conducted, in which insects were fed in infected plants belonging to all forage varieties and, subsequently, confined in healthy corn plants. The results allowed to detect the phytoplasma in all distinct forage varieties, 28 days after inoculation. Assesment made to the 56 days allowed to detect the pathogen in 66% of the plants of Marandu, in 50% of Massai, and 16% of plants of the varieties Decumbens, Mombaça and Piatã. In evaluations conducted to the 84, 112, and 140 days after inoculation, the phytoplasma was not more detected in the new tissues from forage plants. Concerning survival of leafhoppers, the different forage showed the same behavior, within each period corresponding to 24, 48, 72, 96 e 120 hours after confining of the insects in the plants; in the period of 120 hours, almost all insects were dead. In relation to the infection of corn plants by insects fed in forage plants infected with the pathogen, the analysis showed absence of the phytoplasma in all inoculated corn plants. These results pointed that, in natural conditions, probably the forages to serve as reservoir; however, they also suggested that these forages probably do not act as inoculum sources of the pathogen for corn plants. In addition, the results also demonstrated that none variety stood out as more favorable to survival of the leafhopper.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-06-04
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.