• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.10.2020.tde-28112019-101747
Documento
Autor
Nome completo
Larissa Schneider Gheller
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Pirassununga, 2019
Orientador
Banca examinadora
Rennó, Francisco Palma (Presidente)
Júnior, José Esler de Freitas
Zanferari, Filipe
Título em português
Adição de ácidos orgânicos na dieta de vacas leiteiras
Palavras-chave em português
Ácido fórmico
Ácido propiônico
Conservação de alimentos
Nutrientes
Produção de leite
Resumo em português
O aumento da temperatura dos alimentos está associado ao crescimento de microrganismos indesejados, perdas de nutrientes e diminuição do consumo das vacas leiteiras. Avaliou-se o uso de conservantes contendo ácidos orgânicos (ACO) na dieta completa (TMR) sobre o consumo e digestibilidade aparente total dos nutrientes, índice de seleção, fermentação ruminal, produção e composição do leite, balanço de nitrogênio, síntese de proteína microbiana, perfil metabólico, comportamento ingestivo e temperatura da TMR. Vinte e cinco vacas da raça Holandesa, sendo 10 canuladas no rúmen, foram distribuídas em cinco quadrados latinos 5 × 5 balanceados e contemporâneos, nos seguintes tratamentos: controle, sem adição de ACO na dieta (CON); e adição de 4 produtos distintos que possuíam como principais princípios ativos: ácido fórmico (F); formiato de sódio (SO); ácido propiônico (SP); e ácido propiônico (P). Cada ACO foi adicionado diariamente a TMR na dose de 4 mL/kg de matéria natural (MN) oferecida para os produtos líquidos, e 4 g/kg para o produto sólido. A temperatura média do galpão experimental, umidade relativa e índice de temperatura-umidade durante o experimento foi de 24,4 ± 4,29 ° C, 75,0 ± 16,39% e 72,7 ± 5,31 (média ± DP), respectivamente. Cada período experimental consistiu em 14 dias de adaptação e 5 dias de coletas. Diferenças entre tratamentos foram estudadas usando contrastes ortogonais: efeito da adição de ACO [controle vs. tratamentos (SP + SO + P + F)], efeito do tipo de ACO usado [ácido fórmico (F + SO) vs. ácido propiônico (P + SP)], efeito da adição de ácido fórmico (F vs. SO), e efeito da adição de ácido propiônico (SP vs. P). A adição de ACO aumentou o consumo de matéria seca (CMS; 23,6 e 24,4 kg / d para CON e ACO, respectivamente) e reduziu a seleção de partículas entre 8-19 mm e menores que 4 mm pelas vacas. Os ACO, no entanto, diminuíram a concentração total de AGV e aumentaram o pH do líquido ruminal. Vacas alimentadas com ACO na TMR tiveram maior produção de leite corrigida (PLC) e teor de proteína do leite em comparação com o controle. Além disso, ACO controlaram o aumento da temperatura da TMR. A utilização de ACO, independentemente de sua composição, na TMR pode melhorar o desempenho de vacas em lactação.
Título em inglês
Addition of organic acids in the diet of dairy cows
Palavras-chave em inglês
Feed preservative
Formic acid
Milk yield
Nutrients
Propionic acid
Resumo em inglês
Increased feed temperature is associated with growth of unwanted microrganisms, nutrient losses, and decreased feed consumption by dairy cows. We evaluated the use of preservative products containing organic acids (OA) in TMR on intake and total tract apparent digestibility of nutrients, feed particle size sorting, ruminal fermentation, milk yield and composition, nitrogen balance, microbial protein synthesis, metabolic profile, ingestive behavior, and TMR temperature. Twenty-five Holstein cows, 10 of them rumen-cannulated, were assigned to a 5 × 5 Latin square experiment with treatment sequences containing the following: control, without additives in the diet (CON); or addition of four distinct products that had as main active principles: formic acid (F); sodium formate (SO); propionic acid (SP); and propionic acid (P). Each OA was added daily to the TMR at the dose of 4 mL/kg natural matter offered for the liquid products, and 4 g/kg for solid product. The average temperature of the experimental barn, relative humidity, and temperature-humidity index during the experiment were 24.4 ± 4.29 °C, 75.0 ± 16.39 %, and 72.7 ± 5.31 (mean ± SD), respectively. Each experimental period consisted of 14 days for treatment adaptation and 5 days of sampling. Differences among treatments were studied using orthogonal contrasts as follows: effect of the addition of OA [control versus treatments (SP + SO + P + F)], effect of type of OA used [formic acid (F + SO) versus propionic acid (P + SP)], effect of the addition of formic acid way (F versus SO), and effect of addition of propionic acid way (SP versus P). Organic acids increased feed intake (23.6 and 24.4 kg/d for CON and OA, respectively) and reduced sorting of feed particles between 8-19 mm and shorter than 4 mm. Organic acids, however, decreased total VFA concentration and pH in the rumen fluid. Cows fed TMRs with OA had greater fat-corrected milk production and milk protein content compared with control. Furthermore, OA delayed the raise in TMR temperature. Organic acids, regardless of their composition, may improve the performance of dairy cows.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2020-02-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.