• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.10.2020.tde-24012020-123445
Documento
Autor
Nome completo
Horwald Alexander Bedoya Llano
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Soares, Rodrigo Martins (Presidente)
Brandão, Paulo Eduardo
Gondim, Luis Fernando Pita
Meireles, Marcelo Vasconcelos
Raso, Tânia de Freitas
Título em português
Caracterização molecular de Sarcocystis spp. em aves silvestres de diversas classes taxonômicas: relações entre Sarcocystis falcatula, Sarcocystis neurona e organismos correlacionados prevalentes no Brasil
Palavras-chave em português
18S
Atoxoplasma
COX1
ITS1
SAG
Resumo em português
Sarcocystis são parasitos coccidios intracelulares caracterizados por um ciclo de vida obrigatório em dois hospedeiros. Multiplicação assexuada do parasito ocorre em hospedeiros intermediários, geralmente onívoros, com formação de cistos na musculatura. A fase sexual, com formação de oocistos/esporocistos, ocorre no intestino delgado de hospedeiros definitivos, geralmente carnívoros. Mais de 30 espécies de Sarcocystis são reconhecidas em aves e algumas delas, como S. falcatula e S. calchasi, podem ser patogênicas para hospedeiros aberrantes. Em aves que atuam como hospedeiros intermediários, a infecção ocorre pela ingestão de alimentos ou água contaminados com esporocistos. Aves que atuam como hospedeiros definitivos se infectam pelo consumo de tecidos contendo cistos. Poucos estudos em sarcocistose aviária têm sido realizados na América do Sul. No presente estudo, investigamos a presença de coccidios formadores de cistos na musculatura de aves silvestres coletadas pela Divisão Técnica de Medicina Veterinária e Gestão da Fauna Selvagem (DEPAVE-3) no estado de São Paulo, Brasil. Amostras de músculo peitoral de 400 aves pertencentes a 103 espécies foram submetidas a extração e amplificação de DNA pela nPCR-ITS1 direcionada à sequência do primeiro espaço transcrito interno do DNA ribossômico para triagem das amostras. Estes primers permitem a detecção de uma ampla diversidade de organismos pertencentes a família Sarcocystidae, pois hibridizam em regiões conservadas dos genes codificadores de DNA ribossômico 18S e 5.8S. Em amostras positivas na nPCR-ITS1, outros fragmentos gênicos foram amplificados por PCR. Amostras relacionadas com S. falcatula foram caracterizadas com sequências gênicas codificadoras de antígenos de superfície (SAGs) e nas demais amostras, genes mais conservados como citocromo c oxidase subunidade I (COX1) e a fração do gene do DNA ribossômico (18S rDNA) foram amplificados. Os produtos amplificados foram sequenciados, em todos os casos. Com esta metodologia, 36 amostras positivas na nPCR-ITS1, foram relacionadas com S. falcatula, das quais 28 foram identificadas como S. falcatula (10 Piciformes, 8 Psittaciformes, 5 Columbiformes, 2 Accipitriformes, 1 Anseriformes, 1 Passeriformes, 1 Strigiformes), 7 como Sarcocystis sp. ex Cacicus haemorrhous (6 Passeriformes, 1 Piciformes), e uma como Sarcocystis sp. ex Guira guira (1 Cuculiforme). As duas últimas espécies são inéditas. Dez amostras de outros Sarcocystídeos também foram amplificadas na nPCR-ITS1, das quais uma foi identificada como S. halieti (1 Accipitriformes), seis como Toxoplasma gondii (3 Pelecaniformes, 2 Falconiformes, 1 Columbiformes), uma como Sarcocystis sp. ex Coragyps atratus (1 Cathartiformes) e uma como Atoxoplasma sp. ex Icterus jamacaii (1 Passeriformes). As duas últimas espécies são inéditas. Este estudo é a primeira pesquisa extensiva em aves silvestres no Brasil para espécies de Sarcocistídeos, relatando pela primeira vez infecção natural com S. falcatula em 14 espécies incluindo a Ordem Piciformes e mostrando a ampla diversidade de hospedeiros intermediários da América do Sul para Sarcocystis spp.
Título em inglês
Sarcocystis spp. molecular characterization in wild birds from different taxonomic classes: relations between Sarcocystis falcatula, Sarcocystis neurona and prevailing organisms associated in Brazil
Palavras-chave em inglês
18S
Atoxoplasma
COX1
ITS1
SAG
Resumo em inglês
Sarcocystis are intracellular coccidial parasites characterized by an obligatory life cycle in two hosts. Asexual multiplication of the parasite occurs in intermediate hosts, usually omnivores, with formation of cysts in the musculature. The sexual phase, with formation of oocysts / sporocysts, occurs in the small intestine of definitive hosts, usually carnivores. More than 30 species of Sarcocystis are recognized in birds and some of them, such as S. falcatula and S. calchasi, may be pathogenic for aberrant hosts. In birds that act as intermediate hosts, infection occurs by ingesting food or water contaminated with sporocysts. Birds that act as definitive hosts become infected by consuming tissue containing cysts. Few studies on avian sarcocystosis have been conducted in South America. Herein, we investigated the presence of cyst-forming coccidia in wild bird musculature collected by the Technical Division of Veterinary Medicine and Management of Wild Fauna (DEPAVE-3) in the state of São Paulo Brazil. Pectoral muscle samples from 400 birds belonging to 103 species were subjected to DNA extraction, and amplification by nPCR-ITS1 directed to the sequence of the first internal transcribed ribosomal DNA space for sample screening. These primers allow the detection of a wide diversity of organisms belonging to the Sarcocystidae family, as they hybridize in conserved regions of 18S and 5.8S ribosomal DNA coding genes. In nPCR-ITS1 positive samples, other gene fragments were amplified by PCR. S. falcatula-related samples were characterized with surface antigen coding gene sequences (SAGs), and in the other samples, more conserved genes such as cytochrome c oxidase subunit I (COX1) and the ribosomal DNA gene fraction (18S rDNA) were amplified. Amplified products were sequenced in all cases. With this methodology, 36 nPCR-ITS1 positive samples were related to S. falcatula, of which 28 were identified as S. falcatula (10 Piciformes, 8 Psittaciformes, 5 Columbiformes, 2 Accipitriformes, 1 Anseriformes, 1 Passeriformes, 1 Strigiformes), 7 as Sarcocystis sp. ex Cacicus haemorrhous (6 Passeriformes, 1 Piciformes), and one as Sarcocystis sp. ex Guira guira (1 Cuculiformes). The last two species are unpublished. Ten samples of other Sarcocystids were also amplified in nPCR-ITS1, one of which was identified as S. halieti (1 Accipitriformes), six as Toxoplasma gondii (3 Pelecaniformes, 2 Falconiformes, 1 Columbiformes), one as Sarcocystis sp. ex Coragyps atratus (1 Cathartiformes) and one as Atoxoplasma sp. ex Icterus jamacaii (1 Passeriformes). The last two species are unpublished. This study is the first extensive survey of wild birds in Brazil for Sarcocistydae species, reporting for the first-time natural S. falcatula infection in 14 species including the Order Piciformes and showing the wide diversity of South American intermediate hosts for Sarcocystis spp.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2020-04-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.