• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.10.2016.tde-05112015-101607
Documento
Autor
Nome completo
Karina Diniz Baumgarten
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Ferreira Neto, José Soares (Presidente)
Ferreira, Fernando
Gonçales, Amane Paldês
Título em português
Situação epidemiológica da brucelose bovina no Estado de Santa Catarina, Brasil
Palavras-chave em português
Brasil
Brucelose
Fatores de risco
Prevalência
Zoonoses
Resumo em português
Foi realizado um estudo para determinar a situação epidemiológica da brucelose bovina no estado de Santa Catarina. O estado foi divido em cinco regiões conforme as características de produção pecuária. Para cada região foi estipulado o valor mínimo de 300 propriedades, sendo distribuídas de forma proporcional em todos os municípios. Como unidade primária da amostra, as propriedades foram amostradas aleatoriamente em cada município e, dentro delas, escolhida aleatoriamente uma quantidade pré-determinada de fêmeas com idade igual ou superior a 24 meses, que foram testadas para o diagnóstico sorológico da brucelose. Este estudo utilizou amostras colhidas de 8.630 animais provenientes de 1.653 propriedades. Em cada propriedade sorteada, foi aplicado um questionário epidemiológico para verificar fatores de risco associados à infecção brucélica. O protocolo de testes utilizado foi a triagem com o Antígeno Acidificado Tamponado, seguido do teste dos reagentes com o 2-Mercaptoetanol (2-ME). Os animais com resultados inconclusivos no 2-ME foram retestados após 30 dias. A prevalência de focos foi de 0,912% [0,297 - 2,11]. As prevalências de focos, conforme a região, foram de 0,322% [0 - 0,959] na região 1, de 2,134% [0,862 4,348] na região 2, de 1,087% [0,297 - 2,760] na região 3, de 0,325% [0,0 - 0,968] na região 4 e de 0,293% [0 0,875] na região 5. A prevalência em animais em Santa Catarina foi de 1,21% [0,0951 4,97]. A prevalência em animais nas regiões 1, 4 e 5 foi igual a 0%, na região 2 foi de 1,02% [0,280 2,57] e na região 3 foi de 1,97% [0,106 - 8,84]. Este estudo revelou que os fatores de risco associados à condição de foco de brucelose no Estado foram: o tamanho do rebanho > 12 fêmeas (OR = 7,47 [2,14 - 34,34]) e a presença de áreas alagadas (OR = 5,68 [1,62 - 26,13]). Utilizando um teste de duas proporções comparou-se as prevalências encontradas neste estudo e no estudo anterior (2002), sendo encontrada diferença significativa apenas na região 2, com valor de P<0,05 (P=0,031). Dada a baixa prevalência encontrada, o sistema de vigilância deve ser incrementado visando a eliminação da doença no Estado
Título em inglês
Epidemiological situation of bovine brucellosis in Santa Catarina State, Brazil
Palavras-chave em inglês
Brazil
Brucellosis
Prevalence
Risk fators
Zoonosis
Resumo em inglês
This study was planned to assess the epidemiological situation of bovine brucellosis in Santa Catarina State, Brazil. The State was divided into five regions (regions 1 to 5) according to characteristics of animal husbandry (livestock production). A sample size of 292 herds was predefined for each region. The herds were randomly sampled and, within them, a preset number of females aged over 24 months were also randomly selected for the serological diagnosis of brucellosis. A total of 8,630 animals, from 1,653 farms, were tested. In all selected farms, an epidemiological questionnaire was applied to verify risk factors for brucellosis. The test protocol was a screening by the Rose Bengal Test. If positive, followed by a 2-Mercaptoethanol test. The inconclusive results were tested again after 30 days. In a total of 11 herds, 16 animals were diagnosed as brucellosis positive. The prevalence of infected herds in the State was 0.912% [0.297 2.11]. The prevalence of infected herds in each of regions were as follows: region 1, 0.322% [0 0.959]; region 2, 2.134% [0.862 4.348]; region 3, 1.087% [0.297 2.760]; region 4, 0.325% [0 0.968]; region 5, 0.293% [0 0.875]. The total prevalence of positive animals was 1.21% [0.0951 4.97]. The animal prevalence in regions 1, 4 and 5 was equal to 0.0%; in region 2 was 1.02% [0.280 2.57], and in region 3 was 1.97% [0.106 8.84]. The risk factors associated with brucellosis were: herd size higher than 12 females over 24 months (OR = 7.47 [2.14 to 34.34]) and drenched areas (OR = 5.68 [1.62 to 26.13]). After using a two-proportion test to compare the prevalence in this study and in a prior study in the same State, a statistically significant difference was found between the prevalence results only in region 2 (P=0.031). Given the low prevalence (less than 1%), the implementation of eradication strategies, based on a surveillance system, should be encouraged
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-03-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.