• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tesis Doctoral
DOI
10.11606/T.10.2013.tde-29092014-113122
Documento
Autor
Nombre completo
Aline de Mello Cruz
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
São Paulo, 2013
Director
Tribunal
Felicio, Luciano Freitas (Presidente)
Canteras, Newton Sabino
Gomes, Cristina de Oliveira Massoco Salles
Lucion, Aldo Bolten
Spinosa, Helenice de Souza
Título en portugués
Motivação e ansiedade em femêas: aspectos farmacológicos e reprodutivos
Palabras clave en portugués
Ansiedade
Comportamento Materno
Hormônios
Predação
Resumen en portugués
O comportamento materno pode ser definido como a performance comportamental que a mãe expressa durante os momentos que abrangem desde o período imediato do pré-parto até o momento em que a prole é capaz de sobreviver sozinha sem os cuidados e a atenção materna. O estudo e entendimento dos mecanismos que modulam o comportamento materno podem ter focos diferenciados em relação às consequências na mãe, bem como nos filhotes. O entendimento dos mecanismos neuroanatômicos e neuroquímicos proveniente destes estudos em animais validam importantes fundamentos neurobiológicos de importância crucial para a sociedade em geral, em especial mães que sofrem de distúrbios em período perinatal. No ambiente natural, os animais frequentemente deparam com situações de conflito, e devem fazer escolhas entre diversos comportamentos fundamentais para sua manutenção, tais como alimentação, defesa e reprodução. O enriquecimento ambiental pode promover um impacto positivo ou negativo na expressão de determinados comportamentos. Observou-se um grande impacto da presença de maravalha no momento do teste comportamental, influenciando positivamente a expressão do comportamento materno. Entende-se como modulação (ou seleção) comportamental o ato do animal escolher entre dois ou mais tipos de comportamentos. Pesquisas recentes do nosso grupo de estudos sugerem que alterações no tônus opioidérgico decorridas no terço final da gestação podem modular a expressão de padrões comportamentais no pós-parto. O presente estudo sugere que o pré-tratamento com progesterona durante o período gestacional pode modificar a sensibilidade aos opióides e seus efeitos sobre o comportamento maternal e a seleção comportamental durante a lactação, porém em relação ao desafio farmacológico central, o fenômeno torna-se sutil pois não ocorre ação direta tanto da progesterona exógena quando endógena na substância cinzenta periaquedutal rostro-lateral (PAGrl) ao que se refere ao controle desse paradigma de seleção comportamental. A ação da colecistocinina (CCK) na modulação do comportamento materno parece estar associada ao estado reprodutivo da fêmea modulação em sítios neuroanatômicos específicos. O bloqueio inespecífico dos receptores de CCK neste paradigma de modulação comportamental foi eficiente apenas no que diz respeito ao fenômeno que envolve a saciedade das fêmeas, não promovendo prejuízo em parâmetros de comportamento materno. Em relação à experiência reprodutiva, ratas gestantes e lactantes apresentam melhores desempenhos na caça quando comparadas às ratas virgens, independentemente do desafio farmacológico utilizado. Assim como ocorre na maioria das mulheres, ratas também apresentam diminuição nos níveis de comportamento similar à ansiedade no pós-parto quando comparadas às ratas virgens. A diminuição nos níveis deste comportamento pode influenciar diretamente na habilidade materna. Neste estudo, tal efeito foi maior do que o efeito da própria droga na modulação do comportamento materno neste paradigma comportamental, atenuando a ação ansiogênica do peptídeo relacionado ao gene da calcitonina (CGRP).
Título en inglés
Female motivation and anxiety: pharmacology and reproductive aspects
Palabras clave en inglés
Anxiety
Hormones
Maternal Behavior
Predation
Resumen en inglés
Maternal behavior can be defined as the behavioral performance that the mother expresses from the immediate pre birth until offspring can survive alone without specific maternal care. The understanding of mechanisms involved in maternal behavior may have different approach related to mothers and the pups. Understanding the neuroanatomical and neurochemical mechanisms from these animal is important for society in general, specially for mothers suffering from psychological and physiological disorders in the perinatal period. In the natural environment, animals often face situations of conflict, and must make choices between different behaviors essential to their maintenance, such as feeding, defense and reproduction. Environmental enrichment can promote positive or negative impacts on the expression of certain behaviors. We observed a huge impact in the presence of pinus flakes at the moment of behavioral testing, positively influencing the expression of maternal behavior. Behavioral modulation (or selection) is when animals have to choose between two or more types of behaviors. Recent research from our group suggest that changes in opioid tone in the end of pregnancy can modulate the expression of behavioral patterns in postpartum. This study suggests that pretreatment with progesterone during pregnancy can change the sensitivity to opioids and its effect on maternal behavior and behavioral selection during lactation, but related central pharmacological challenge, the phenomenon become mild. Cholecystokinin (CCK) modulation of maternal behavior seems to be associated with the reproductive status and modulation of specific neuroanatomical sites. Blockage of specific CCK receptors in this behavioral modulation is only effective in satiation, but not related to maternal behavior parameters. Pregnant and lactating rats show better performances in hunt when compared to virgin rats, with no drug challenge effect. Lactating rats normally show a decrease in levels of anxiety-like behavior in postpartum period when compared to virgin rats. Decrease in anxiety levels can directly influence maternal ability to take care of their litter. In this study, this effect was greater than the effect of the drug itself in modulation of anxiety behavior, attenuating the peptide calcitonin gene-related peptide (CGRP) anxiogenic effect.
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Fecha de Publicación
2014-10-23
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2021. Todos los derechos reservados.