• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.10.2011.tde-27032012-131408
Documento
Autor
Nome completo
Nathia Nathaly Rigoglio
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Orientador
Banca examinadora
Papa, Paula de Carvalho (Presidente)
Kowalewski, Mariusz Pawel
Watanabe, Ii Sei
Título em português
Caracterização ultra-estrutural das células luteínicas bovinas derivadas de tratamento com eCG
Palavras-chave em português
Bovinos
Corpo Lúteo
ECG
Morfometria
Ultraestrutura
Resumo em português
Biotécnicas aplicadas à reprodução animal são empregadas com o intuito de melhorar qualitativa e quantitativamente os rebanhos. A superovulação assim como a estimulação do folículo dominante utilizando-se doses suprafisiológicas de eCG (gonadotrofina coriônica eqüina) são empregadas em bovinos e bubalinos, mas nem sempre alcançam os resultados esperados. Entretanto, foram relatadas alterações morfofuncionais em corpos lúteos (CL) de animais submetidos a estes tratamentos, o que implica, necessariamente, em levantamento de hipóteses relativas ao(s) mecanismo(s) pelo(s) qual(is) as gonadotrofinas exógenas alteram as funções celulares nos folículos e corpos lúteos resultantes. Com o intuito de melhor compreensão do papel exercido pelo eCG sobre a célula luteínica bovina, 16 vacas foram sincronizadas e submetidas (grupos tratados) ou não (grupo controle) ao tratamento com eCG. O tratamento foi realizado previamente (superovulação) ou posteriormente (estimulação do folículo dominante) ao desvio folicular. No dia 6 após a ovulação, estes animais foram abatidos e os CL coletados para realização de análises histológicas e ultra-estruturais, assim como o sangue coletado para dosagem de progesterona. Para comparação dos dados obtidos entre os diferentes grupos utilizou-se o programa GraphPrism e as médias foram consideradas diferentes quando p < 0.05. Em relação à densidade de mitocôndrias e densidade numérica das mitocôndrias elipsóides não houve diferença significativa entre os grupos estudados. Quando se calculou o volume total das mitocôndrias no CL bovino, houve diferença significativa do grupo superovulado em relação aos outros grupos. Já para as mitocôndrias esferóides observou-se diferença significativa do grupo estimulado comparado aos grupos controle e superovulado. À imunofluorescência os animais do grupo superovulado apresentaram visualmente uma marcação mais fluorescente intensa para mitocôndrias quando comparados aos grupos controle e estimulado; e o grupo estimulado apresentou uma marcação mais intensa em relação ao grupo controle. Houve diferença significativa entre os três grupos em relação à quantidade das células luteínicas grandes. Quando se corrigiu o número de células luteínicas grandes pelo volume do CL, os mesmos resultados foram encontrados. Quanto às medidas do maior diâmetro das células luteínicas grandes houve uma diferença significativa quando comparado o grupo estimulado com os demais. Aspectos qualitativos da microvascularização do CL em animais controle e superovulados revelam vascularização mais abundante no grupo tratado. Estes dados apontam para modificações morfológicas da célula luteínica e do CL bovino direcionadas à maior produção hormonal após tratamento com eCG e indicam que doses diferentes aplicadas em momentos diferentes do ciclo estral levam à respostas diversas da célula luteínica e do próprio CL.
Título em inglês
Ultraestructural characterization of bovine luteal cells derived from ECG treatment
Palavras-chave em inglês
Cattle
Corpus Luteum
ECG
Morphometry
Ultrastructure
Resumo em inglês
Biotechnologies applied to animal reproduction are employed in order to improve livestock quality and quantity. Superovulation and the stimulation of the dominant follicle using supraphysiological doses of eCG (equine chorionic gonadotropin) are used in cattle and buffaloes, but not always achieve the expected results. However, morphofunctional changes in corpora lutea (CL) derived from animals submitted to these treatments were reported, which necessarily implies a survey of hypotheses regarding the mechanism(s) by which exogenous gonadotrophins result in altered cellular functions in the follicles and corpora lutea. In order to better understand the role played by eCG on bovine luteal cells, 16 cows were synchronized and submitted (treated groups) or not (control group) to treatment with eCG. The treatment was performed previously (superovulation) or after (stimulation of the dominant follicle) follicular deviation. At 6 days after ovulation, animals were slaughtered and the CL collected for histological and ultrastructural analysis, as well as blood for determining plasmaprogesterone.For statistical analysis the program Graph Prism was used and mean considered significant different when p < 0.05. In relation to mitochondria number and volume density there were no differences among the studied groups. Values of mitochondria total volume in CL were different if stimulated was compared to the other groups. Imunofluoresce for mitochondria showed a more intensive signal for animals from the superovulated group, followed by animals belonging to the stimulated group. The number of large luteal cells was different among all groups. Even though this number was corrected by CL volume, the same results were found. The biggest diameter of large luteal cells was compared among the groups and stimulated group showed higher values. Qualitative aspects of CL microvascularization in control and superovulated animals reveal more abundant vascularization in treated group. These data point towards morphological modification of bovine CL and luteal cell directed to increased hormonal production after eCG treatment. Moreover, results indicate that different eCG dosis applied in different time points of estrous cycle lead to different responses from CL and luteal cells.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-09-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.