• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.10.2021.tde-04062021-140934
Documento
Autor
Nome completo
Kadija Mohamed Santee
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2021
Orientador
Banca examinadora
Barreto, Rodrigo da Silva Nunes (Presidente)
Abreu, Dilayla Kelly de
Leonel, Luciano César Pereira Campos
Título em português
Alterações gênicas de hepatócitos murinos infectados com vírus da febre amarela
Palavras-chave em português
Doenças virais
Febre amarela
Hepatócitos
Resumo em português
Sabe-se que o órgão mais afetado pela febre amarela é o fígado. Em estágios mais severos desta doença é possível identificar alterações histológicas, tal como a presença de pontos necróticos, esteatose hepática, formação de corpos apoptóticos e entre outros. Alguns estudos demonstram variações nas produções de citocinas mediadoras de inflamações como resultado da infecção aguda. Entretanto, a febre amarela pode se desenvolver sem apresentar sintomas de que há alterações ocorrendo nos órgãos afetados. Apesar disso, nossa hipótese é que o hepatócito do camundongo afetado com o vírus da febre amarela apresenta variações de expressão gênica desde a fase inicial da doença. Depois da infecção das células em cultura será realizado uma análise de qPCR nos hepatócitos e será observado modificações na expressão dos seguintes genes: pró (Tnf-α, Ip-10, Il-1β e Il-8) e anti-inflamatórios (Tgf-β) e indicadores de apoptose (Casp3) em hepatócitos murinos AML2 após 72 e 144 horas de infecção in vitro pelo vírus da febre amarela. Nossos resultados demonstraram uma elevação de expressão gênica significativa após as 72 horas de inoculação nos genes Casp3, Il-β, Il-8, Tgf- β e Tnf- α. Enquanto o Ip-10 não demonstrou elevações significativas quando comparado ao grupo controle. Os resultados do grupo de 144 horas foram inconclusivos e estão em andamento, serão acrescentados ao trabalho posteriormente. Logo, com esse trabalho é possível afirmar que, existem variações gênicas presentes no fígado desde o início da infecção pelo vírus da febre amarela.
Título em inglês
Genic changes of murine hepatocytes infected with yellow fever vírus
Palavras-chave em inglês
Hepatocyte
Virus diseases
Yellow fever
Resumo em inglês
It is known that one of the organs most affected by the yellow fever virus is the liver. In severe stages of the disease, macroscopic alterations are seen, such as the presence of necrotic points, hepatic steatosis, apoptotic body formation, and others. Some studies report variations in the production of pro and anti-inflammatory cytokines as a result of acute infection. However, yellow fever often develops as an asymptomatic infection, without evident clues that some alteration is occurring in the targeted organs. Thus, our hypothesis is that murine hepatocytes infected with the yellow fever virus present variation in the gene expression since early stages of infection. After the infection of culture cells, a qPCR analysis in the hepatocytes will be performed to analyze the expression of the pro (Tnf-α, Ip-10, Il-1β e Il-8) and anti-inflammatory (Tgf-β) and indicators of apoptosis (Casp3) genes in murine hepatocytes AML12 after 72 and 144 hours of the infection with the yellow fever virus in vitro. Our results show a significant elevation of the gene expression after 72 hours of the virus inoculation in the genes: Casp3, Il-β, Il-8, Tgf- β e Tnf- α. While the Ip-10 did not express significant elevation when compared to the control group. The results of the 144 hours group were inconclusive and are in progress, which will be added to the work later. Therefore, with this research it is possible to affirm, there is genes variation present in the liver since the beginning of the infection by the yellow fever virus.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2021-07-29
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.