• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Livre Docencia
DOI
10.11606/T.5.2018.tde-05022018-084711
Documento
Autor
Nome completo
Elizabeth Maria Freire de Araujo Lima
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Banca examinadora
Lancman, Selma (Presidente)
Favaretto, Celso Fernando
Merhy, Emerson Elias
Schmidt, Maria Luisa Sandoval
Schraiber, Lilia Blima
Título em português
Vida ativa, mundo comum, políticas e resistências: pensar a terapia ocupacional com Hannah Arendt
Palavras-chave em português
Arendt
Atividade humana
Hannah 1906-17975
Mundo comum
Política
Terapia ocupacional/perspectiva crítica
Vida ativa
Resumo em português
Esta pesquisa se insere numa trajetória prático-teórica voltada para a problemática do exercício da terapia ocupacional no mundo atual. A experiência no ensino de graduação e de pós-graduação, o acompanhamento de pessoas nos projetos de extensão e os processos de pesquisas, demandaram uma articulação dos distintos caminhos já trilhados numa trama que pudesse dar consistência a uma perspectiva que vinha se fazendo no campo da terapia ocupacional. As atividades humanas, a vida ativa e o mundo comum constituem a transversal temática desta pesquisa, funcionando como fio condutor na busca de um espaço habitável para o pensamento e a atuação em terapia ocupacional. Trata-se de problematizar a ação e o fazer a partir do seu mostrarse, em sua materialidade, em sua pulsação, como experiências que se dão nos corpos daqueles que foram relegados ao lugar do abandono e da exclusão. Esta problematização foi realizada na companhia de Hannah Arendt e de outros filósofos, no sentido de estabelecer uma rede conceitual para pensar o campo da terapia ocupacional em função de suas próprias questões e seu próprio movimento. A pesquisa aconteceu na forma de um nomadismo teórico a partir do qual se configuraram quatro procedimentos de trabalho: o mergulho na obra de Arendt, sua biografia, textos de comentadores, filmes e entrevistas; a itinerância entre várias teorias e autores do campo da filosofia, cujas proposições dialogam com o pensamento da autora; o estudo da abordagem crítica em terapia ocupacional; e a revisitação de minhas pesquisas e escritos anteriores. A pesquisa se insere em um movimento recente de terapeutas ocupacionais que se voltam para a exploração de conceitos no intuito dar suporte ao esforço de pensar uma perspectiva crítica para o campo. O estudo de conceitos e categorias sustentam a construção histórica e social do conhecimento e mobilizam o pensamento que, ao se envolver com a ação, ganha consistência política
Título em inglês
Vita activa, common world, politics and resistance: thinking about occupational therapy with Hannah Arendt
Palavras-chave em inglês
Arendt Hannah 1906-17975, Human activity
Common world
Occupational therapy/critical approach
Politics
Vita activa
Resumo em inglês
This research is part of a practical-theoretical trajectory aimed at problematizing the exercise of occupational therapy in today's world. The experience in undergraduate and postgraduate education, the accompaniment of people in community projects and the processes of research, demanded an articulation of the different paths already traced in a scenario that could give consistency to a perspective that has been built in the field of occupational therapy. Human activities, vita activa and the common world are the transversal themes of this research, operating as the guiding thread in the search for a habitable space for thinking and acting in occupational therapy. It is a matter of problematizing action and doing from their appearance in the world, their materiality, their pulsation, as experiences that occur in the bodies of those who have been relegated to the place of abandonment and exclusion. This problematization was carried out in the company of Hannah Arendt and other philosophers, so as to establish a conceptual network to think about the field of occupational therapy, from its own questions and its own movement. The research took the form of a theoretical nomadism from which four working procedures were configured: immersion in Arendt's work, her biography, commentators' texts, films and interviews; the itinerant movement between various theories and authors in the field of philosophy, whose propositions dialogue with the Arendt's thinking; the study of the critical approach in occupational therapy; and the re-exploration of my previous research and writings. The research is part of a recent movement of occupational therapists who turn to the exploration of concepts in order to support a critical perspective in the field. The study of concepts and categories sustains the historical and social construction of knowledge and mobilize thought, which, when engaging with action, gains political consistency
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-02-05
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.