• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Livre Docencia
DOI
10.11606/T.100.2011.tde-30062011-155136
Documento
Autor
Nome completo
Nadia Zanon Narchi
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Banca examinadora
Machado, Flávia Mori Sarti (Presidente)
Clapis, Maria Jose
Florindo, Alex Antonio
Fonseca, Rosa Maria Godoy Serpa da
Gualda, Dulce Maria Rosa
Título em português
Utilização da "linha púrpura" como método clínico auxiliar para avaliação da fase ativa do trabalho de parto.
Palavras-chave em português
Diagnóstico clínico
Gênero e saúde
Parto humanizado
Primeira fase do trabalho de parto
Resumo em português
O objeto deste estudo recai sobre a evidenciação e a possibilidade de utilização da "linha púrpura" como método clínico auxiliar de avaliação da fase ativa do trabalho de parto, tipo de tecnologia não invasiva que pode possibilitar maior conforto às mulheres, bem como diminuir a possibilidade de ocorrência de agravos ou transtornos de ordem biológica ou psicossocial associados à realização do exame de toque vaginal, muitas vezes evidenciado como um tipo especial de violência de gênero na área da saúde. A "linha púrpura" inicia-se na região perianal e, à medida que a dilatação cervical progride, avança para cima pela fissura interglútea em direção à junção sacro-coccígea e, à medida que a apresentação fetal avança pela pelve materna, a linha se descolore. Objetivos: verificar a ocorrência da "linha púrpura" e da descoloração da "linha púrpura" em mulheres na fase ativa do trabalho de parto; a correlação entre a medida da "linha púrpura" e a medida da dilatação cervical das mulheres; a correlação entre a presença de descoloração da "linha púrpura" e o grau de descida da apresentação fetal na pelve das mulheres; a correlação entre a presença da "linha púrpura" e a caracterização social e obstétrica das mulheres; e, a opinião das mulheres quanto à utilização desse método clínico. Método: pesquisa descritiva e observacional, com abordagem quantitativa, em centro de parto normal de um hospital público de São Paulo, de junho de 2009 a janeiro de 2010, em amostra constituída por 100 parturientes, segundo critérios de inclusão e de acordo com os princípios éticos em pesquisa. Resultados: 56% das mulheres apresentaram "linha púrpura" em pelo menos uma avaliação durante a fase ativa do trabalho de parto; houve correlação estatística significativa entre as medidas da dilatação e da "linha púrpura"; 22% das mulheres em que foi evidenciada a "linha púrpura" apresentaram descoloração em pelo menos uma avaliação; não houve associação estatisticamente significante entre a presença da descoloração e a descida da cabeça fetal na bacia materna; 67,5% das mulheres brancas tendem a apresentar mais a "linha púrpura" do que as 47,2% pardas, embora sem significância estatística; 81% das mulheres afirmaram que a avaliação da "linha púrpura" não lhes provocou nenhum desconforto, enquanto 96% afirmaram que a avaliação da "linha púrpura" não lhes provocou os desconfortos comparados aos do exame de toque vaginal. Conclusões: o método pode contribuir para o processo de atenção humanizada e centrada na mulher durante o parto e nascimento, pois, desde que haja a presença da linha, sua avaliação pode ser utilizada para diminuir o número de exames vaginais, especialmente quando estes tiverem o objetivo de avaliar unicamente a dilatação cervical.
Título em inglês
Using the "purple line" as a supporting clinical method to evaluate the active stage of labor.
Palavras-chave em inglês
Clinical diagnosis
First stage of labor
Gender and health
Humanized care
Resumo em inglês
The object of this study lies on the disclosure and the possibility of using the "purple line" as a supporting clinical method to evaluate the active phase of labor, a noninvasive technology that can provide greater comfort to women as well as decrease the possibility of occurrence of biological or psychosocial diseases or disorders associated with the vaginal examination, often shown as a special kind of gender violence in the health field. The "purple line" begins at the anal margin at the start of labor and, as cervix dilation evolves, it creeps up by the woman's buttocks towards the nape, near the sacrococcygeal joint, and its coloration becomes lighter with the progress of the lowering and fetal head toward the woman' schial spines. Purposes: to verify the occurrence of the "purple line" and it's discoloration in women in the active stage of labor; to verify the correlation between the length of the line and it's discoloration with the findings of the vaginal exam; to verify the correlation between the presence of the line and the social and obstetric characteristics of the women, and to verify the opinion of the women with the use of this supporting clinical method. Method: Descriptive and observational research, with a quantitative approach, in a Birth Center of a public hospital in São Paulo, Brazil, from April, 2009 to January, 2010, in 100 women in labor, according to inclusion criteria and in accordance with the ethical principles in research. Results: 56% of women had "purple line" in at least one assessment during the active phase of labor, 22% of women with "purple line" showed discoloration at least one assessment; there was significant statistical correlation between the measures of the cervix dilation and the "purple line" and there was no statistically significant association between the presence of discoloration and the descent of the fetal head in the maternal pelvis; 67,5% of Caucasian women tend to have more "purple line" than 47,2% of those of mixed race, although not statistically significant, 81% of women reported that the evaluation of the "purple line" not caused them any discomfort, while 96% said that the evaluation of the "purple line" not caused them the discomforts compared to the vaginal examination. Conclusions: this method may contribute to the process of humanizing and focused attention on women during childbearing, because when the line was present, his length was directly related to the cervix dilation. Hence, the method can be used to decrease the number of vaginal exams during the labor process, especially when it has the objective of only assess cervical dilation.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2011-07-01
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • NARCHI, Nadia Zanon, et al. Utilização da linha púrpura como método clínico auxiliar para avaliação da fase ativa do trabalho de parto. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil [online], 2011, vol. 11, n. 3, p. 313-322. [acesso 2011-10-16]. Disponível em : <http://www.scielo.br/pdf/rbsmi/v11n3/a12v11n3.pdf>
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.