• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.99.2014.tde-05052015-140550
Documento
Autor
Nome completo
Arianni Rondelli Sanchez
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Sanchez, Maria Carmen Arroyo (Presidente)
Wunderlich, Gerhard
Título em português
Validação de teste ELISA para pesquisa de anticorpos anti-MSP119 de Plasmodium vivax visando à aplicação em serviços hemoterápicos do Brasil em áreas não endêmicas para malária
Palavras-chave em português
Antígenos
Bancos de Sangue
ELISA
Malária
Plasmodium
Transfusão de Sangue
Resumo em português
A malária transmitida por transfusão (MTT), embora seja um evento raramente relatado em áreas não endêmicas ou de baixa endemicidade, representa um desafio devido à ocorrência de infecções assintomáticas e à possibilidade de sobrevivência de Plasmodium em hemácias estocadas por até três semanas a temperaturas entre 2 e 6ºC. No Estado de São Paulo, quatro casos de MTT foram relatados, incluindo uma morte. Os doadores infectados foram identificados como portadores assintomáticos que viviam ou haviam se deslocado para o bioma Mata Atlântica do estado. Nesses doadores, geralmente as densidades parasitárias são baixas e indetectáveis pela gota espessa ou testes rápidos. O uso de plataformas incluindo testes sorológicos poderia detectar doadores suspeitos de infecção por Plasmodium, minimizando a possibilidade de MTT. Nesse sentido, o objetivo deste estudo foi padronizar a produção de antígeno recombinante MSP119 de P. vivax, que é a espécie mais prevalente no Brasil, e validar o teste ELISA-PvMSP119, visando à aplicação em serviços hemoterápicos brasileiros de áreas não endêmicas para malária. O antígeno recombinante produzido em condições desnaturantes mostrou-se adequado para a produção em larga escala, pela facilidade de obtenção e purificação. Os resultados de estabilidade obtidos em três lotes-piloto indicaram validade de pelo menos 27 meses sem perda de reatividade. Além disso, o teste apresentou 96,95% de sensibilidade em 197 soros de pacientes com gota espessa positiva para P. vivax e especificidade de 100,00% utilizando soros de 101 indivíduos controles sadios e 99,26% quando considerados também 168 amostras de soro de pacientes com outras doenças. O coeficiente de variação das amostras positivas foi <= 3,8% para a repetitividade e <= 10,6% para a reprodutibilidade. Quanto à reatividade cruzada, obtiveram-se falsos resultados positivos com amostras de doença de Chagas (5,88%) e fator reumatoide (6,67%). Após a validação, avaliou-se a prevalência de anticorpos IgG anti-MSP119 de P. vivax entre doadores de sangue do Sudeste do Brasil, considerados aptos à doação, ensaiando 1.974 amostras de plasma de bancos de sangue, sendo 1.309 do Estado São Paulo (SP) e 665 do Estado do Rio de Janeiro (RJ). A positividade entre as amostras de SP foi 1,15% (N = 15) e entre as do RJ foi 1,65% (N = 11). O índice de reatividade (IR) das amostras positivas variou entre 8,98-1,16 (SP) e 13,03-1,08 (RJ). Em SP e RJ, maior positividade foi encontrada nos municípios que têm contato com o bioma Mata Atlântica e no RJ, também no bairro da Tijuca, onde se encontra a Floresta da Tijuca. A presença de anticorpos IgG anti-P. vivax não é necessariamente um marcador de parasitemia ou doença, porém aponta para o risco de MTT, mesmo em áreas de baixa endemicidade, pois doadores assintomáticos podem ser aceitos com base em triagem clínica. Estes achados constituem-se em alerta que nos impele a rever os critérios adotados para a seleção dos doadores, com o objetivo de reduzir o risco de MTT nessas áreas sem perder doações.
Título em inglês
Validation of ELISA for Plasmodium vivax MSP119 antibodies aiming at the application in Brazilian haemotherapic services in malaria non-endemic areas
Palavras-chave em inglês
Antigens
Blood Banks
Blood Transfusion
ELISA
Malaria
Plasmodium
Resumo em inglês
In non-endemic and low endemic areas, transfusion-transmitted malaria (TTM) is a rarely reported event, representing a major challenge, essentially due to the occurrence of asymptomatic infections and to the possibility of Plasmodium survival up to three weeks in stored red blood cells at temperatures between 2 and 6ºC. In São Paulo State, four TTM were detected, including one death. Infected donors were identified as asymptomatic carriers that lived or that had displacements to the Atlantic forest biome in the state. In these donors generally the parasite densities are low and undetectable in the thick blood smear or rapid diagnostic tests. The use of platforms including serological tests might point out donors suspected of harboring Plasmodium, minimizing the possibility of TTM. Accordingly, the aim of this study was to standardize the production of P. vivax MSP119 recombinant antigen, which is the most prevalent species in Brazil, and validate ELISA-PvMSP119, aiming at the application in Brazilian haemotherapic services in malaria non-endemic areas. The recombinant antigen produced under denaturing conditions was suitable for large-scale production, due to the ease of obtaining and purification. The results of stability obtained in three pilot batches indicated that it was valid for at least 27 months without loss of reactivity. Furthermore, the test showed 96.95% sensitivity in sera from 197 patients with positive thick-blood smear for P. vivax and 100.00% specificity in sera from 101 healthy controls, and 99.26% when considered also 168 samples from patients with other diseases. The variation coefficient of positive samples was <= 3.8% for repeatability and <=10.6% for reproducibility. For cross-reactivity, false positive results were obtained with Chagas' disease (5.88%) and rheumatoid factor (6.67%) samples. After validation, we evaluated the prevalence of IgG anti-MSP119 antibodies to P. vivax among blood donors in Southeastern Brazil, considered suitable for donation, rehearsing 1,974 plasma samples from blood banks, being 1,309 from the State of São Paulo (SP) and 665 from the State of Rio de Janeiro (RJ). The positivity among samples from SP was 1.15% (N = 15) and in RJ was 1.65% (N = 11). The reactivity index (RI) of the positive samples ranged from 8.98 to 1.16 (SP) and from 13.03 to 1.08 (RJ). In SP and RJ, highest positivity was seen in Municipalities in contact to the Atlantic Forest biome, and in RJ, also in the Tijuca neighborhood, where there is the Tijuca Forest. The detection of IgG antibodies is not necessarily a marker of parasitemia or disease, however, points out to the risk of TTM, even in areas of low endemicity, since asymptomatic donors could be accepted based on clinical screening. These findings constitute an alert that impel us to review the adopted criteria for screening of the donors aiming to reduce the risk of TTM in these areas without losing donations.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
ArianniSanchez.pdf (3.65 Mbytes)
Data de Publicação
2015-08-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.