• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.91.2019.tde-28112018-182909
Documento
Autor
Nome completo
Cintia Münch Cavalcanti
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2018
Orientador
Banca examinadora
Garavello, Maria Elisa de Paula Eduardo (Presidente)
Ballester, Maria Victoria Ramos
Martins, Rodrigo Constante
Molina, Silvia Maria Guerra
Vasconcelos, Lia Maldonado Teles de
Título em português
Representações sociais da água e práticas de uso e manejo dos recursos hídricos no contexto da sub-bacia hidrográfica do rio Culuene/MT
Palavras-chave em português
Alto Xingu
Grupos sociais
Manejo de recursos hídricos
Meio rural
Representações sociais da água
Resumo em português
Desde sua ocupação por não indígenas, a região do Alto Xingu tem sido alvo de rápidas e profundas transformações sociais, ambientais e econômicas, acentuadas nas últimas duas décadas pelo aumento populacional e pela expansão e intensificação de atividades agropecuárias. Os impactos sobre os recursos hídricos locais vêm sendo observados, especialmente por seus primeiros ocupantes, os povos indígenas que habitam a região. Nesse contexto, o presente estudo teve por objetivo analisar a relação entre as representações sociais da água e as práticas de uso e manejo dos recursos hídricos dos diferentes grupos sociais que ocupam o meio rural da sub-bacia hidrográfica do rio Culuene, Mato Grosso. Os resultados mostram que os valores, experiências e categorias mentais associados à água estão diretamente relacionados às práticas de uso e manejo dos recursos hídricos nos diferentes grupos. Assim, constatou-se que, quanto mais categorias e subcategorias o grupo utiliza para perceber e instrumentalizar a água, menor é a adoção de práticas que contribuem para a degradação dos recursos hídricos pelo mesmo, e vice versa. Os povos indígenas e pescadores e barqueiros foram os grupos que apresentaram maior número de categorias e subcategorias de representação da água e uma visão mais holística do recurso no território, por conseguinte, suas práticas de uso e manejo da água apresentaram baixo ou insignificante impacto para a manutenção qualitativa ou quantitativa da água. Os minifundiários e médios produtores utilizaram menos subcategorias que os grupos anteriores para descrever o status da água e apresentaram práticas de manejo e uso da água similares, que contribuem para a sua degradação, como: represamentos de nascentes para a dessedentação animal, ausência de vegetação nativa no entorno de minas d'água, dessedentação animal nas beiras de rios e córregos e uso intensivo de agrotóxicos. Por último, o grupo dos grandes produtores foi o que exibiu menos categorias e subcategorias de representação da água e, por outro lado, demonstrou adotar práticas mais impactantes para a degradação dos recursos hídricos, mais especificamente: represamentos de nascentes em grande escala para piscicultura, dessedentação animal direta e armazenamento de água - sem a devida obtenção de licença ambiental -; drenagens de várzeas; falta de vegetação nos entornos de nascentes; perfuração de poços irregular e uso intensivo de agrotóxicos. Desta forma, verificou-se a existência de práticas de uso e manejo da água extremamente diversificadas e contrastantes no território, no qual o acesso a água em qualidade e quantidade mostrou-se dependente do poder econômico dos grupos que tem acesso à terra. Além disso, a escolha de práticas de manejo e uso da água pelos grupos com maior poder econômico, como também, pelos grupos socialmente excluídos, tem gerado uma série de impactos locais, como poluição e contaminação da água por agrotóxicos, redução e morte de peixes, morte de árvores em beiras de rios e de plantas tradicionalmente cultivadas para a subsistência de povos indígenas e pequenos produtores.
Título em inglês
Social representation of water and use and management practices in the context of Culuene river watershed/MT
Palavras-chave em inglês
Alto Xingu
Rural zone
Social groups
Social representations of water
Water management
Resumo em inglês
Since its occupation by non-indigenous peoples, the Alto Xingu region has been target of social, environmental and economic transformations intensified in the last two decades by population growth and expansion and intensification of farming activities. Especially its first occupants have observed the impacts over local water resources. The present study aimed to analyze the relationship between social representations of water and water use and management practices of different social groups that occupied Culuene watershed rural zone, in Mato Grosso state. The results showed that the values, experiences and mental categories concerning water were directly related to water use and management practices in the different groups. In this sense, we find that the more categories and subcategories the group use to perceive and instrumentalize water, the less is the adoption of water degradation practices by it, and vice versa. The indigenous peoples, fishers and boat pilots were the groups that showed the largest number of water social representation categories and subcategories, and a more holistic view of water resource in the territory. At the same time, their water use and management practices showed a low or insignificant impact to water conservation in qualitative and quantitative terms. The small and medium farmers used less subcategories than the previous groups to describe water status and showed similar water use e management practices, which contribute to its degradation, as springs damming to watering livestock, absence of forest around springs, livestock watering in rivers and streams, and intense use of pesticides. Finally, the big farmers group was the one which showed less categories and subcategories to represent water and, in another hand, demonstrated adopting most impactful practices towards water resources degradation, more specifically: large-scale springs damming for fish farming, livestock watering and water storage without the proper obtaining of environmental license, floodplains drainage, absence of native vegetation cover around springs, irregular drilling of artesian wells and intensive pesticides use. In this way, we verified the existence of extremely diversified and contrasting water use and management practices in the territory, in which water access in qualitative and quantitative terms showed to be dependent on economic power of groups that have access to land. Furthermore, the choice of water use and management practices by groups with greater economic power as well as by socially excluded groups has generated a series of impacts, like water pollution and contamination by pesticides, reduction and death of fish, trees alongside of rivers and streams and plants traditionally farmed for subsistence by indigenous peoples and smallholders.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-01-09
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.