• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.91.2008.tde-05092008-112318
Documento
Autor
Nome completo
Ana Paula Branco do Nascimento
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2008
Orientador
Banca examinadora
Molina, Silvia Maria Guerra (Presidente)
Adams, Cristina
Garavello, Maria Elisa de Paula Eduardo
Nordi, Nivaldo
Oliveira, Maria Rita Marques de
Título em português
Sobrepeso e obesidade: dieta, nicho alimentar e adaptabilidade em populações humanas rural e urbana de Piracicaba, SP
Palavras-chave em português
Consumo alimentar
Dieta
Ecologia humana
Obesidade
População rural
População urbana
Sobrepeso.
Resumo em português
O presente trabalho investigou a dieta adotada por populações humanas, rural e urbana de Piracicaba, SP. Foi abordada a adaptabilidade humana, em relação à capacidade de uma população se adaptar a mudanças nutricionais, geralmente decorrentes de outras mudanças em seu ambiente. O indicador da adaptabilidade humana adotado foi o estado nutricional das mães de pré-escolares, dado que essas apresentam grande influência nos hábitos alimentares de toda a família. Dessa forma, tal população alvo é relevante em relação à população como um todo. O estado nutricional foi analisado a partir do peso e estatura, por meio do cálculo de Índice de Massa Corporal (IMC). Foram investigadas também a diversidade alimentar e amplitude de nicho destas populações em Piracicaba, SP (rural e urbana) através da composição da dieta (o que come), local das refeições (onde come), como também a presença de quintais domésticos nas residências e sua utilização. Também foram levantados fatores relacionados às escolhas de alimentos pelas mães, sua idade, nível de escolaridade e classe econômica, dentre outras. Os dados foram coletados por meio de entrevistas semi-estruturadas realizadas com as mães das crianças nas Escolas Municipais de Educação Infantil (E.M.E.I.) rurais e urbanas, utilizando-se o recordatório de 24 horas (R24h), questionário de freqüência alimentar (QFA) e antropometria. No total foram entrevistadas 188 mães, sendo 137 residentes na área urbana e 51 na área rural, como indicado pelo Plano Amostral realizado previamente. O fator mais citado pelas mães da área urbana como determinante da escolha de alimentos foi o preço (28,2%), seguido das que escolhem os alimentos mais saudáveis (25,4%). Dentre as mães que residem na área rural, 37,8% declararam que dão preferência aos alimentos que consideram mais saudáveis, seguido de 35,6% que escolhem os mais baratos. Os itens alimentares e sua freqüência de consumo pelas populações rural e urbana não apresentaram diferenças relevantes. Não houve diferença na amplitude de nicho em ambas as populações. Na área urbana 30,7% das mães apresentam sobrepeso, enquanto que na área rural 41,2% das mães encontram-se nesta faixa. A ocorrência de obesidade também foi maior na área rural (25,5%) do que na área urbana (19,7%). Verificou-se a presença de fatores de risco: sedentarismo, em 61,9% na área urbana e 57,7% na área rural; e tabagismo: 14,3% na área urbana e 3,9% na área rural. A análise univariada indicou que não há efeito significativo do ambiente, se rural ou urbano, sobre a incidência de obesidade. Entre as mulheres que não possuem cônjuge constatou-se uma ocorrência 3,29 vezes maior de obesidade (p=0,007) que entre as que residem com seu parceiro. Entre as mulheres insatisfeitas com sua aparência há maior ocorrência de obesidade (or=0,66; p=0,03). As chances de sobrepeso aumentam 2 vezes (p=0,03) quando a mulher não se preocupa com a alimentação. Foi encontrado grande percentual de quintais na área rural (94,1%) e urbana (88,3%). No entanto 66,7% na área rural e apenas 28,1% na área urbana utilizam recursos advindos do quintal para a alimentação. Os resultados indicam que as escolhas alimentares, a utilização de recursos e (ou) estilo de vida adotado pela população de Piracicaba não estão sendo adaptativos. As ocorrências de sobrepeso e obesidade nas áreas urbanas e rurais de Piracicaba são maiores do que as aceitáveis pela Organização Mundial de Saúde (OMS).
Título em inglês
Overweight and obesity of rural and urban populations in Piracicaba, SP. Brazil
Palavras-chave em inglês
Diet
Food Niche
Homegarden
Human Adaptability
Human Ecology
Nutritional Classification
Obesity.
Resumo em inglês
Food diet of Piracicaba rural and urban populations, in S. Paulo State, Brazil, were studied in terms of human adaptability to nutritional changes, as consequence of environmental changes. Human adaptability indicator was the nutritional status of the mothers of children in kindergarten, as far as they have great influence over the whole family food habits. Nutritional status was based on mother's weight and high and measured by mean of Body Mass Index (BMI). Food diversity and food niche breadth were studied in terms of diet composition, place where meals usually take place, and the existence and utilization of household backyard for food production. Other factors, such as mother's food choice, age, schooling and socio-economics class were also studied. Data were collected through mother's semi-structured interviews, from a sample of 188 mothers: 51 form rural areas and 137 from urban residences. The most cited factor by urban mothers related to food choice was price (28.2%), followed by healthy (25.4%). Rural mothers prefer healthy (37.8%) and 35.6% choose the cheapest foods. There are no relevant differences between rural and urban mothers in terms of food items and their consumption frequency, as well as niche dimensions. Overweight varies from 30.7% among urban mothers to 41.2% among rural mothers, and obesity among urban mothers was 19.7%, while among rural mothers reached 25.5%. Many risk factors were present in both groups, such as inactivity (sedentary) 61.9% for urban mothers and 57.7% in rural areas. Tobacconist is 14.3% for urban group and 3.9% in rural group. Unmarried women or with no marital relations there are 3.29 times more cases of obesity (overweight), than among women with a regular partner. Among unsatisfied women with their appearance there are more cases of obesity (or = 0.66; p= 0.03). Overweight chances increase twice (p=0.03), as far as women do not worry with alimentation (food consumption). It was found high number of backyards both in rural areas (94.1%) and urban (83.3%). However, 66.7% in rural and only 28.1% in urban areas use food resources coming from backyard. The findings show also that Piracicaba population food choices, resources usage and lifestyle are non adaptive. Overweight and obesity in rural and urban areas of Piracicaba, SP, are higher than acceptable levels as established by World Health Organization (ONU).
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
anapaulabranco.pdf (890.33 Kbytes)
Data de Publicação
2008-09-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.