• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.9.2005.tde-21082009-165013
Documento
Autor
Nome completo
Aline Schwarz
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2005
Orientador
Banca examinadora
Spinosa, Helenice de Souza (Presidente)
Maruo, Viviane Mayumi
Moreau, Regina Lúcia Moraes
Pinto, Ernani
Tasaka, Ana Cristina
Título em português
Efeitos dos frutos da Solanum lycocarpum St. Hil. em ratas prenhes e sua prole durante a gestação e início da lactação: alterações na esfera reprodutiva e na atividade dos sistemas monoaminérgicos centrais
Palavras-chave em português
Solanum lycocarpum
Comportamento sexual
Plantas nativas (Toxicidade)
Rato
Solamargina
Solanaceae (Efeitos adversos)
Solasonina
Toxicologia perinatal
Toxicologia reprodutiva
Resumo em português
A Solanum lycocarpum St. Hil (Solanaceae) é uma planta nativa do cerrado brasileiro, cujos frutos possuem os glicoalcalóides esteroidais solasonina e solamargina. É possível que a ingestão de frutos que contenham esses glicoalcalóides possam interferir no equilíbrio do sistema endócrino. O presente estudo foi realizado com o objetivo de avaliar os possíveis efeitos tóxicos provenientes da ingestão diária de frutos verdes da S. lycocarpum (10% na ração) por ratas prenhes, a partir do 6° dia da gestação (DG 06) ao 7° dia pós-natal (PN 07). Os princípios ativos isolados dos frutos da planta mostraram a presença de 0,6% de solamargina e 0,9% de solasonina. A exposição das mães à planta alterou alguns parâmetros do desempenho reprodutivo; foram observados redução tanto do peso como do comprimento corporal das ninhadas experimentais ao nascimento, um ou dois filhotes mortos ao nascimento em 20% das ninhadas experimentais e menor capacidade em adquirir peso do nascimento à vida adulta. A prole experimental adulta fêmea apresentou degeneração de células epiteliais uterinas no dia PN 60, não sendo mais observada esta alteração no dia PN 90. A avaliação do comportamento sexual de fêmeas (PN 10O) mostrou redução do coeficiente de lordose das fêmeas experimentais quando comparado com o coeficiente de lordose das fêmeas do grupo controle. Na prole experimental masculina (PN 60 e PN 90) observou-se importante degeneração de células germinativas dos duetos testiculares. Por outro lado, o comportamento sexual desta prole não mostrou-se alterado. Na avaliação de neuroaminas cerebrais, a prole feminina apresentou maior atividade do sistema noradrenérgico estriatal, caracterizada por redução dos níveis de noradrenalina, sem alteração dos níveis de seu metabólito ácido vanilmandélico (VMA), e reduzida atividade do sistema serotoninérgico hipotalâmico, caracterizada por elevação dos níveis de serotonina (5-HT) sem alteração dos níveis de seu metabólito ácido 5-hidroxiindolacético (5 HIAA). Os filhotes machos apresentaram concentrações reduzidas de noradrenalina, VMA e ácido homovanílico (HV A). Ambos, machos e fêmeas, apresentaram níveis estriatais diminuídos de dopamina e seu metabólito ácido dihidroxifenilacético (DOPAC), sem, contudo, alterar a atividade do sistema dopaminérgico. Não foram observadas alterações hormonais tanto nas mães, quanto na prole, avaliadas por meio da mensuração não invasiva de metabólitos dos hormônios progesterona, estradiol e testosterona nas fezes. Estes dados tomados em conjunto indicam que a planta promoveu leve toxicidade materna e apresentou leve efeito fetotóxico. A avaliação das proles do nascimento à vida adulta indicou ainda que os glicoalcalóides esteroidais presentes nos frutos provocaram efeitos diferenciados nas proles feminina e masculina e possivelmente apresentam atividade estrogênica.
Título em inglês
Solanum lycocarpum St. Hil unripe fruit effects in pregnant rats and offspring: alterations in reproductive and central monoaminergic systems
Palavras-chave em inglês
Solanum lycocarpum
Perinatal toxicology
Rat
Reproductive toxicology
Sexual behavior
Solamargine
Solanaceae
Solasonine
Resumo em inglês
Solanum lycocarpum St. Hil (Solanaceae) is a native shrub of the Brazilian savanna. The fruits contain steroidal glycoalkaloids, solasonine and solamargine, that can disrupt the endocrine system once in the body by ingestion of S. lycocarpum fruit. The present study was performed in order to determine the possible toxic effects of S. lycocarpum fruit ingestion (10% added in the diet) by pregnant rats from gestation day (GD) 06 to post-natal day (PND) 07. The unripe fruits employed contain 0.021 % of solamargine and 0.031 % of solasonine. S. lycocarpum 10% in the diet, during pregnancy and beginning of lactation, did not impair gestation but alterations in some parameters of the reproductíve performance were observed: lower body weight and body size of the experimental litters at PND 01, one or two stillbirths were observed in 20% of the experimental litters and reduced weight gain of the pups from birth to adulthood. Female offspring (PN 60) presented reversible uterine epithelial cel! degeneration, and at PND 100, presented impaired sexual behavior caracterized by reduced lordosis quotient. Male offspring (PN 60 and PND 90) showed irreversible degeneration of testis germinative cells and normal sexual behavior. The central neuroamine systems avaliation presented, in the female exposed offspring, increased activity of striatal norepinephrine system, with reduced levels of norepinephrine (NOR) and normal levels of vanilmandelic acid (VMA), and reduced activity of the hypothalamic serotoninergic system, with increased serotonin (5-HT) and normal 5-hydroxindolacetic acid (5-HIAA) levels. Exposed male offspring presented reduced hypothalamic NOR, VMA and homovanilic acid (HV A) levels, and both males and females presented striatal dopamine (DA) and dihydroxylphenylacetic acid (DOPAC) reduced levels, without alterations in the activity of the dopaminergic system. The sexual hormones were also evaluated by a non invasive method with feces extraction. However no alterations were observed in progesterone, estradiol and testosterone metabolite levels in dams and offspring feces. Present data showed light maternal toxicity and light fetotoxic effects. The evaluation of the offspring from birth to adult age indicate that the steroidal glycoalkaloids present in the fruit act by different ways in male and female fetuses, and perhaps presents estrogenic activity.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2009-08-25
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.