• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.9.2003.tde-26012015-133436
Documento
Autor
Nome completo
Alessandra Miyuki Okino
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2003
Orientador
Banca examinadora
Campa, Ana (Presidente)
Antonangelo, Leila
Hirata, Rosario Dominguez Crespo
Título em português
Proteínas de fase aguda em exsudatos: acesso da HDL ao foco inflamatório
Palavras-chave em português
Bioquímica clínica
Inflamação
Lipídeos
Proteínas sanguíneas
Resumo em português
A fase aguda é caracterizada pela mudança significativa nos níveis de váriasproteínas plasmáticas. As proteínas amilóide sérica A (SAA) e proteína C reativa (PCR), chamadas de proteínas de fase aguda positivas, têm sua concentração plasmática aumentada em até 1000 vezes durante a inflamação. Espera-se que estas proteínas exerçam um papel importante em algumas etapas do processo inflamatório. Para a PCR existem sólidas evidências de sua participação na ativação do sistema complemento, entretanto para a SAA, a função biológica ainda está para ser esclarecida. No plasma, a SAA encontra-se ligada à lipoproteína de densidade alta (HDL), especialmente a fração HDL3. A SAA associa-se à HDL3 através do deslocamento das apolipoproteínas,- preferencialmente a AI e pouco a AlI. Neste trabalho nos propusemos a avaliar a eficiência da passagem de SAA sérica para os focos inflamatórios. Para este fim doseamos, em 20 exsudatos pleurais e 10 exsudatos ascíticos, e respectivos soros, os seguintes parâmetros: proteínas totais (PT), SAA, PCR, apolipoproteína AI, AlI, 8, colesterol total (CT) e triacilgliceróis (TG). As relações exsudato/soro encontrados para estes parâmetros foram: SAA, 0,11 ± 0,14; PCR 0,31 ± 0,20; AI, 0,48 ± 0,26; AlI, 0,63 ± 0,29; 8, 0,46 ± 0,19; PT, 0,67 ± 0,18; CT, 0,34 ± 0,21; TG, 0,36 ± 0,22. Observamos uma forte correlação entre os níveis séricos de PCR versus SAA e entre AI versus All. Para o exsudato foi mantida a correlação forte somente entre AI versus AlI. Nas correlações entre exsudato e soro observamos correlações moderadas apenas para SAA, AlI e PT. Em função dos nossos resultados, concluímos que a proteína de fase aguda SAA tem acesso ao foco inflamatório e que o conteúdo desta proteína em exsudatos é, pelo menos em sua maioria, originário do soro .. A julgar pelos níveis de apo All encontrados no exsudatos, a permeabilidade das membranas que recobrem as cavidades pleurais e ascíticas é maior para HDL3 do que para HDL2 e LDL, fato es e que garante uma passagem eficiente de SAA para as cavidades. A SAA que tem acesso à cavidade deve sofrer extensa proteólise e/ou associar-se eficientemente às células pois a relação de concentrações exsudato/soro encontrada para SAA é menor que para as demais proteínas analisadas.
Título em inglês
Acute phase proteins exudates: HDL access to the inflammatory site
Palavras-chave em inglês
Blood proteins
Clinical biochemistry
Inflammation
Lipids
Resumo em inglês
Inflammation is characterized by profound changes in the serum leveis of acute phase proteins. The huge increase (up to a 1000 fold) in protein serum amyloid A (SAA) and C reactive protein (CRP) suggests that both proteins exert an important role in the inflammatory processo Although it is known the participation of CRP in the activation of the complement complex, the biological role of SAA is not clear yet. In plasma, SAA is associated to the high density lipoprotein (HDL), especially the HDL3 fraction. The association of SAA to HDL3 causes the displacement of the apolipoproteins A-ll and, especially, A-I. The goal of this study was to evaluate the efficiency of the SAA passage from serum to the inflammatory focus. With this purpose we determined total protein (TP), SAA, PC R, A-I, A-ll, apolipoprotein B (B), total cholesterol (TC) and triglicerides (TG) in 20 samples of pleural exudates and 10 samples of ascitic exudates, and respective serum samples. The ratio exudate/serum found were: SAA, 0, 11±0, 14; CRP 0,31±0,20; A-I, 0,48±O,26; A-ll, 0,63±O,29; 8, 0,46±0, 19; TP, 0,67±0,18; TC, 0,34±0,21; TG, 0,36±0,22. There was a high correlation of the serum leveis of CRP versus SAA and AI versus A-ll. A high correlation in the exudate was only found for AI versus All. The correlation between exudate and serum were moderate and were found only for SAA, A-ll and TP. In conclusion we observed that SAA has access to the exudate and that the content of SAA in the exudate is mainly originated from serum. Considering the leveis of A-ll found in the exudates, we supposed that the permeability of the membranes that cover the pleural and ascitic cavities is higher for HDL3 than for HDL2 and LDL. SAA in the inflamed pleural cavity might suffer an extensive proteolysis and/or efficient association to cells because the ratio exudate/serum found for SAA was lower than for other proteins
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
AlessandraMOkino_M.pdf (977.68 Kbytes)
Data de Publicação
2015-01-26
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.