• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Vanessa Cardoso Pires
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2016
Orientador
Banca examinadora
Ong, Thomas Prates (Presidente)
Hassimotto, Neuza Mariko Aymoto
Moreno, Fernando Salvador
Sawaya, Ana Lydia
Souza, Fabíola Isabel Suano de
Título em português
Efeitos do consumo materno e/ou paterno de extrato de amora-preta (Rubus spp.) na suscetibilidade da prole feminina à carcinogênese mamária quimicamente induzida
Palavras-chave em português
Amora-preta
Câncer de mama
Polifenóis
Programação fetal
Programação paterna
Resumo em português
O câncer de mama é o segundo tipo de neoplasia mais prevalente no mundo e o mais comum entre as mulheres. É descrito que o padrão de consumo alimentar materno e paterno está relacionado à suscetibilidade da prole ao desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis, inclusive o câncer. A amora-preta é uma das frutas com maior conteúdo antioxidante e seus compostos bioativos possuem atividade antioxidante, anticarcinogênica e anti-inflamatória. Sendo assim, o presente trabalho propõe avaliar os efeitos do consumo materno e/ou paterno de extrato de amora-preta (Rubus spp.) na suscetibilidade da prole feminina ao desenvolvimento de neoplasias mamárias quimicamente induzidas. Para tanto, camundongos da linhagem C57BL/6 foram divididos aleatoriamente em 4 grupos: pai amora (PA), mãe amora (MA), pai e mãe amora (PMA) e controle (CTRL). Os pais receberam extrato de amora-preta logo após o desmame durante 8 semanas e as mães receberam o extrato durante a gestação e lactação. O extrato de amora-preta foi administrado na água de beber (0.84g de antocianinas/L) ad libitum. Os pais tratados com extrato de amora apresentaram redução na atividade enzimática da superóxido dismutase (SOD) e da catalase (CAT) no testículo (p<0.05 e p<0.001, respectivamente), aumento na capacidade antioxidante plasmática, na porcentagem de espermatozoides normais e na produção diária de espermatozóides em relação ao grupo controle (p<0.001 para todos). Além disso, os grupos PA, MA e PMA apresentaram aumento na taxa de prenhez (p<0.05) e redução da mortalidade perinatal (p<0.01, p<0.05 e p<0.001, respectivamente). Em relação à prole feminina não submetida à carcinogênese foi observada redução na capacidade antioxidante plasmática nos grupos PA (p<0.001) e MA (p<0.01), enquanto o grupo PMA apresentou aumento nesse parâmetro (p<0.001). No desenvolvimento da glândula mamária, houve aumento do desenvolvimento epitelial nos grupos PA, MA e PMA (p<0.001 para todos), de diferenciação nos grupos MA e PMA (p<0.01 para ambos) e da taxa de apoptose nos grupos MA e PMA (p<0.05), além de redução no número de TEBs nos grupos PA, MA e PMA (p<0.01, p<0.001 e p<0.001, respectivamente). Não foram observadas alterações significativas nas filhas submetidas à indução química da carcinogênese mamária por DMBA. Assim, é possível concluir que apesar de ter alterado o desenvolvimento da glândula mamária, o consumo materno e/ou paterno de extrato de amora-preta não foi capaz de impactar sobre a suscetibilidade da prole feminina à carcinogênese mamária quimicamente induzida.
Título em inglês
Blackberry (Rubus spp.) extract maternal and/or paternal consumption effects on female offspring susceptibility to chemically-induced breast carcinogenesis.
Palavras-chave em inglês
Blackberry
Breast cancer
Fetal programming
Paternal programming
Polyphenols
Resumo em inglês
Breast cancer is the second most prevalent type of cancer in the world and the most common among women. It is known that maternal and paternal food intake pattern are related to offspring susceptibility to non-communicable diseases, including cancer. Blackberry is one of the fruits with high antioxidant content and its compounds have antioxidant, anticarcinogenic and anti-inflammatory properties. So, the aim of the present study was evaluate the effects of maternal and/or paternal blackberry extract consumption on female offspring susceptibility to chemically-induced breast carcinogenesis. Thus, C57BL/6 mice were divided into 4 groups: father blackberry (FB), mother blackberry (MB), father and mother blackberry (FMB) and control (CTRL). Fathers received blackberry extract from weaning during 8 weeks and the mothers were treated during gestation and lactation. Blackberry extract was given in the drink water (0.84g anthocyanins/L) ad libitum. Fathers treated with blackberry had a reduction on superoxide dismutase (SOD) and catalase (CAT) activities in the testis (p<0.05 and p<0.001, respectivelly), an increase on plasmatic antioxidant capacity, percentage of normal sperm and daily sperm production in relation to control group (p<0.001 for all comparisons). Moreover, FB, MB and FMB groups had an increase of pregnancy rate (p<0.05) and a decrease of perinatal mortality (p<0.01, p<0.05 and p<0.001, respectively). Female offspring had a reduction of plasmatic antioxidant capacitity in FB (p<0.001) and MB (p<0.01) groups, while FMB group showed an increase in this parameter (p<0.001). On mammary gland development, it was observed higher epithelial development in FB, MB and FMB groups (p<0.001 for all comparisons), increased differentiation in MB and FMB groups (p<0.01 for both) and higher apoptosis rate in MB and FMB groups (p<0.05 for both), besides decreased TEBs number in FB, MB and FMB groups (p<0.01, p<0.001 and p<0.001, respectively). It was not found significant differences in the female offspring submitted to chemically-induced breast carcinogenesis. So, it is possible to conclude that in spite of maternal and/or paternal blackberry extract consumption changed the mammary gland development, it was not able to change the female offspring susceptibility to chemically-induced breast carcinogenesis.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-06-29
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.