• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.9.2008.tde-28012009-161811
Documento
Autor
Nome completo
Any Elisa de Souza Schmidt Gonçalves
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Genovese, Maria Inês (Presidente)
Gamboa, Ian Castro
Gioielli, Luiz Antonio
Título em português
Avaliação da capacidade antioxidante de frutas e polpas de frutas nativas e determinação dos teores de flavonóides e vitamina C
Palavras-chave em português
Antioxidantes
Capacidade antioxidante
Flavonóides
Frutas
Frutas nativas
Frutas tropicais
Vitamina C
Resumo em português
Os alimentos fornecem não somente nutrientes essenciais necessários para a vida, mas também compostos bioativos com propriedades biológicas ditas promotoras da saúde, tais como atividades antioxidante, antiinflamatória e anticarcinogênica de nutrientes como as vitaminas C, A e E, e de compostos fenólicos como os flavonóides. De maneira geral, a capacidade antioxidante de frutos e hortaliças está relacionada aos teores destes compostos, que impedem a ação dos radicais livres e são o foco de interesse deste trabalho. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi identificar fontes potenciais de compostos bioativos através da determinação dos teores de flavonóides, ácido elágico, vitamina C, capacidade antioxidante e inibição de α-glicosidase e α-amilase de frutas e polpas de frutas nativas. Foram analisadas 16 frutas e 6 polpas congeladas de frutas nativas, e destas, camu-camu, cupuaçu, coquinho azedo e cagaita mostraram-se excelentes fontes de vitamina C. Camu-camu, cambuci, uxi e tucumã e as polpas de cambuci, cagaita, coquinho azedo e araçá foram as amostras que apresentaram melhor capacidade antioxidante. Os flavonóides de maior incidência entre as amostras foram quercetina e caempferol. O ácido elágico foi detectado apenas em umbu, camu-camu, cagaita, araçá e cambuci e o teor variou de 218 a 512 mg/100 g de amostra seca. Cambuci e cagaita foram as amostras mais eficientes em inibir α-glicosidase e α-amilase. Em suma, este trabalho mostrou que as frutas nativas brasileiras também podem ser consideradas boas fontes de compostos bioativos.
Título em inglês
Antioxidant capacity evaluation of native fruits and commercial frozen pulps and determination of flavonoids and vitamin C content.
Palavras-chave em inglês
Antioxidant
Antioxidant capacity
Flavonoids
Fruits
Native fruits
Vtamin C
Resumo em inglês
Foods provide not only essential nutrients for life, but also bioactive compounds with health-promoting properties such as antioxidant, anti-inflammatory and hypocholesterolemic activities, which have been related with vitamins A, C and E and phenolics compounds such as flavonoids. In general, antioxidant capacity of fruits and vegetables is linked to the amount of these compounds, which are effective against free radicals. Therefore, the aim of this work was to identify potential sources of bioactive compounds through determination of flavonoids, ellagic acid and vitamin C contents, antioxidant capacity and α-lucosidase and α-amylase inhibition by native fruits and commercial frozen pulps. In this study, 16 native fruits and 6 commercial frozen pulps were analyzed, and camu-camu, cupuaçu, coquinho azedo and cagaita showed themselves as excellent vitamin C sources. Camu-camu, cambuci, uxi and tucumã and commercial frozen pulps of cambuci, cagaita, coquinho azedo and araçá were the samples that presented the highest antioxidant capacity. Quercetin and kaempferol derivatives were the main flavonoids present in most of the samples. Ellagic acid was detected only in umbu, camu-camu, cagaita, araçá and cambuci and the content ranged from 218 to 512 mg/100 g (DW). Cambuci and cagaita showed the highest α-glucosidase and α-amylase inhibitory activity. According to our results, native Brazilian fruits can also be considered as good sources of bioactive compounds.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
dissertacao.pdf (645.19 Kbytes)
Data de Publicação
2009-02-12
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • DE SOUZA SCHMIDT GONÇALVES, Any Elisa, LAJOLO, Franco Maria, and GENOVESE, Maria Inés. Chemical Composition and Antioxidant/Antidiabetic Potential of Brazilian Native Fruits and Commercial Frozen Pulps [doi:10.1021/jf903875u]. Journal of Agricultural and Food Chemistry [online], 2010, vol. 58, n. 8, p. 4666-4674.
  • GENOVESE, M.I., et al. Bioactive Compounds and Antioxidant Capacity of Exotic Fruits and Commercial Frozen Pulps from Brazil [doi:10.1177/1082013208092151]. Food Science and Technology International [online], 2008, vol. 14, n. 3, p. 207-214.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.