• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.83.2014.tde-20022015-161019
Documento
Autor
Nome completo
Lenira Maria Wanderley Santos de Almeida
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Robazzi, Maria Lucia do Carmo Cruz (Presidente)
Dalri, Rita de Cássia de Marchi Barcellos
Mendes, Aida Maria de Oliveira Cruz
Santos, Regina Maria dos
Silva, Luiz Almeida da
Título em português
Fadiga no trabalho em enfermeiras/os da estratégia saúde da família
Palavras-chave em português
Enfermagem
Fadiga (Fisiologia)
Saúde
Saúde Ocupacional
Trabalho
Resumo em português
Trata-se de pesquisa cujo objeto foi a presença de sinais de fadiga em enfermeiras/os que atuam na Estratégia da Saúde da Família (ESF), no município de Arapiraca, Alagoas, Brasil. Estudo quantitativo, transversal, analítico que objetivou descrever os sinais de fadiga auto-referidos por essas/es enfermeira/os conforme variáveis que constam em questionário validado internacionalmente e amplamente utilizado no Brasil; analisar se as características sociodemográficas desses sujeitos apresentam associação com pontuação de fadiga calculada conforme as respostas a este questionário; analisar se as características ocupacionais desses sujeitos apresentam associação com pontuação de fadiga calculada conforme as respostas a este questionário e discutir as correlações existentes entre os sinais de fadiga auto-referidos e as características sociodemográficas e laborais. Participaram da pesquisa 51 enfermeiras/os das equipes de saúde da família implantadas no referido município que tem 80,4% de cobertura. Após aprovação pelo Comitê de Ética através do Parecer nº 499.997, a coleta dos dados deu-se mediante aplicação de instrumentos de caracterização dos sujeitos (sociodemográficas e ocupacional) e do Questionário auto aplicado de Fadiga. Os dados foram estatísticamente tratados e submetidos à análise bivariada e testes de significância. Os resultados mostraram que as/os enfermeiras/os estudadas/os têm idade média de 32 anos, 86,3% são mulheres, casadas, de cor declarada parda, com renda familiar média de R$7577,00, mais da metade tem mais de um vínculo empregatício, praticam exercício físico ao menos uma vez por semana, trabalham na Enfermagem há sete anos e na Estratégia Saúde da Família há quatro anos, em média. Quanto aos sinais de fadiga, apresentam-nos às vezes ou raramente, prenunciando os efeitos deletérios do trabalho sobre essas/es trabalhadoras/es que, porém, ainda não estão fatigados. Os testes aplicados evidenciaram que há associação significativa entre os sinais auto- referenciados e a idade, a prática de exercícios físicos e o tempo de trabalho na Enfermagem e na ESF. Concluiu-se que as/os trabalhadoras/es que apresentam menos de 32 anos, praticam exercícios físicos ao menos uma vez por semana, têm menos de sete anos de trabalho na Enfermagem e menos de quatro anos de trabalho na ESF estão mais protegidos e, portanto com menor probabilidade de desenvolver fadiga laboral, corroborando os resultados de outras pesquisas publicadas. Recomenda às instâncias responsáveis pela atenção à saúde ocupacional que, providenciem medidas de proteção à saúde dessas/es trabalhadoras/es, com especial atenção para a prática de exercícios físicos e redução das tensões nas relações de trabalho, no sentido de controlar os efeitos deletérios do trabalho sobre o trabalhador.
Título em inglês
Fatigue work of female and male nurses of the Family Health Strategy
Palavras-chave em inglês
Fatigue
Health personnel
Nursing
Occupational health
Work
Resumo em inglês
This is a study about the presence of signs of fatigue in female and male nurses who work in Family Health Strategy (FHS), in the city of Arapiraca, Alagoas, Brazil. It is a quantitative, cross-sectional and analytical study whose objectives were: to describe the self-reported signs of fatigue of female and male nurses according to the variables of an international, validated questionnaire that is widely used in Brazil; to analyze if the socio-demographic characteristics of these professionals present association with the fatigue scores calculated according to the questionnaire; to analyze if the occupational characteristics of these professionals present association with the fatigue scores calculated according to the questionnaire and to discuss the correlations between the self-reported signs of fatigue and the socio-demographic and occupational characteristics. The participants of the study were 51 female and male nurses of family health teams deployed in the municipality whose coverage is 80.4%. After the research was approved by the Research Ethics Committee, opinion nº 499.997, data were collected with the application of tools for the characterization of the subjects (socio-demographic and occupational) and fatigue self-administered questionnaire. Data were statistically treated and subjected to bivariate analysis and significance tests. The results showed that these nurses are 32 years old on average, 86,3% were married women who declared being dark-skinned, with the average family monthly income of R$ 7577,00; 50% or more have more than one job, practice exercise at least once a week, have been working as nurses for at least 7 years and in the Family Health Strategy for at least 4 years. As to the signs of fatigue, they occasionally or rarely present a few signs, foretelling the working deleterious effects on these professionals, but they are not still fatigued. The applied tests showed that there is a significant association between self-referenced signal sand age, physical exercise and work time in nursing and in the FHS. It was concluded that the worker sthatareless than32 years old, who practice physical exercise at least once a week, have less than seven years working in nursing and less than four years of workin the FHS are more protected and there fore are less likely to develop occupational fatigue, corroborating with the results of other published researches. It is recommended that the responsible authorities for care and occupational health provide measures to protect the health of these worker swith special attention to physical exercise in order to reduce tension sin labor relations and to control the deleterious effects of work on the worker's health.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-05-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.