• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.83.2008.tde-12012009-145005
Documento
Autor
Nome completo
Suzele Cristina Coelho Fabrício-Wehbe
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2008
Orientador
Banca examinadora
Rodrigues, Rosalina Aparecida Partezani (Presidente)
Cruz, Matheus Roriz
Dantas, Rosana Aparecida Spadoti
Haas, Vanderlei José
Mamede, Marli Villela
Título em português
Adaptação cultural e Validação da "Edmonton Frail Scale" (EFS) escala de avaliação de fragilidade em idosos
Palavras-chave em português
Comparação transcultural
Estudos de validação
Idoso fragilizado
Pesquisa metodológica em enfermagem
Reprodutibilidade dos testes
Resumo em português
A fragilidade pode se manifestar em indivíduos de todas as faixas etárias, incluindo os idosos, porém, não deve ser entendida como sinônimo de velhice. Atualmente a fragilidade vem sendo fortemente considerada como uma síndrome multidimensional que envolve vários fatores: biológicos, físicos, cognitivos, sociais, econômicos e ambientais. É um tipo de síndrome que pode ser evitada, quando identificada precocemente, ou intervindo com base em seus indicadores, pelo menos postergada. Os objetivos desta pesquisa metodológica foram realizar adaptação cultural da Edmonton Frail Scale (EFS) para o português do Brasil, bem como analisar suas propriedades psicométricas em uma amostra de idosos de uma comunidade do interior paulista. Esta escala possui 11 itens e sua pontuação máxima é 17 representando o nível mais elevado de fragilidade. Para a adaptação cultural, utilizou-se o referencial da literatura: tradução da EFS para língua portuguesa; obtenção da primeira versão consensual em português; avaliação do item por um comitê de juízes; retrotradução; obtenção de uma versão consensual em inglês e comparação com a versão original; avaliação semântica da EFS; pré-teste da versão em português. A versão adaptada foi aplicada, no período de agosto de 2007 a junho de 2008, em 137 idosos de 65 anos ou mais que viviam na comunidade. A maioria dos participantes 102 (74,5%) era do sexo feminino, viúvos (58; 42,3%) com idade média de 75,33 anos (idade mínima de 65 e máxima de 100 anos), com tempo médio de estudo formal de um a quatro anos (75; 54,8%). Quanto às propriedades psicométricas avaliadas, na validação de grupos conhecidos foram realizadas análises de comparações, empregando-se o teste não-paramétrico de Mann-Whitney, do diagnóstico de fragilidade entre sexo, idade e déficit cognitivo. Obteve-se que idosos mais velhos, mulheres e com déficit cognitivo são mais propensos ao diagnóstico de fragilidade. Todas as comparações foram estatisticamente significativas. Na validade de construto convergente da EFS, com Medida de Independência Funcional (MIF) e Mini-Exame do Estado Mental (MEEM), houve correlação baixa e negativa, as mesmas foram adequadas com todas as correlações estatisticamente significativas (p< 0,001). A confiabilidade da escala para língua portuguesa foi avaliada através de três entrevistas. Duas avaliações foram realizadas independentemente por dois observadores O1 (T1) e O2 (A1), no mesmo dia (interobservador). Após um período máximo de 15 dias da primeira avaliação, uma segunda entrevista foi feita pelo observador O1 (T2). Na análise dos dados do diagnóstico de fragilidade interobservador, o Kappa foi de 0,81 (IC 0,61-1,00) e para o intra-observador, o Kappa foi de 0,83 (IC 0,72-0,94). O coeficiente de correlação intraclasse (CCI) do escore bruto de fragilidade foi de 0,87 no interobservador (IC 0,82-0,91, p< 0,001) e de 0,87 no intra-observador (IC 0,81-1,00, p< 0,001). Nas três aplicações da escala, a consistência interna (Alfa de Cronbach) dos 11 itens da EFS foi de T1 = 0,62, A1 = 0,62 e T2 = 0,54. Assim, pôde-se concluir que a versão adaptada da EFS para o português mostrou-se válida e confiável na amostra estudada. Sugerem-se mais estudos para verificar a sensibilidade da escala em idosos
Título em inglês
Cross-Cultural Adaptation and Validation of the Edmontn Frail Scale (EFS) elderly frailty assessment scale.
Palavras-chave em inglês
Cross-cultural comparison
Frail elderly
Nursing methodology research
Reproducibility of results
Validation studies
Resumo em inglês
Frailty can manifest itself in individuals of all ages, including the elderly. However, it should not be considered a synonym of old age. Nowadays, frailty is strongly considered as a multidimensional syndrome that involves various factors: biological, physical, cognitive, social, economic and environmental. This type of syndrome can be avoided, when identified early, or at least delayed when intervening based on its indicators. This methodological research aimed at the cross-cultural adaptation of the Edmonton Frail Scale (EFS) to Brazilian Portuguese, as well as the analysis of its psychometric properties in a sample of elderly persons from a community in the interior of São Paulo State, Brazil. This scale comprises 11 items and its maximum score is 17, representing the highest level of frailty. For the crosscultural adaptation, the reference framework from literature was used: translation of the EFS to Portuguese; achievement of the first consensus version in Portuguese; item assessment by an expert committee; back-translation; achievement of a consensus version in English and comparison with the original version; semantic assessment of the EFS; pretest of the Portuguese version. The adapted version was applied to 137 elderly aged 65 years or older who lived in the community, between August 2007 and June 2008. Most of the participants, i.e. 102 (74.5%) were women, widowed (58; 42.3%), with an average age of 75.33 years (minimum age 65 and maximum 100 years) and a mean time of formal education ranging from one to four years (75; 54.8%). As to the assessed psychometric properties, in the knowngroups validation of the diagnosis of frailty between gender, age and cognitive deficit, comparative analyses were made, using Mann-Whitneys non-parametrical test. It was found that elder elderly, women and with a cognitive deficit are more prone to the frailty diagnosis. All comparisons were statistically significant. The construct validity of the EFS with the Functional Independence Measure (FIM) and the Mini-Mental State Examination (MMSE), low and negative correlation levels were found, with were adequate and statistically significant (p< 0.001). The reliability of the scale for Portuguese was assessed through three interviews. Two assessments were made independently by two observers O1 (T1) and O2 (A1), on the same day (interobserver). Within a maximum period of 15 days after the first assessment, observer O1 (T2) made a second assessment. In the analysis of the interobserver frailty diagnosis data, the Kappa index was 0.81 (CI 0.61-1.00), against 0.83 (CI 0.72-0.94) for intraobserver diagnosis. The intraclass correlation coefficient (CCI) of the gross frailty score was 0.87 for the interobserver (CI 0.82-0.91, p< 0.001) and 0.87 for the intraobserver diagnosis (CI 0.81-1.00, p< 0.001). In the three scale applications, internal consistency (Cronbachs Alpha) of the 11 EFS items was T1 = 0.62, A1 = 0.62 and T2 = 0.54. Hence, it can be concluded that the EFS version adapted to Portuguese was valid and reliable in the study sample. Further research is suggested to check the scale sensitivity in elderly persons with acute diseases, which can interfere in frailty
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2009-03-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.