• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.8.2018.tde-03102018-144630
Documento
Autor
Nome completo
Sabrina Moura Aragão
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Zavaglia, Adriana (Presidente)
Aguiar, Márcia Valéria Martinez de
Cintrão, Heloísa Pezza
Pereira, Nilce Maria
Ramos, Paulo Eduardo
Título em português
O conhecimento do outro por meio da imagem e da tradução
Palavras-chave em português
História em quadrinhos
Marcador cultural
Tradução
Resumo em português
O presente trabalho analisa a formação de identidades culturais a partir da tradução das histórias em quadrinhos. Investigamos como se dá o processo de conhecimento do outro, ou seja, do estrangeiro, no original e na tradução, a partir da relação entre a imagem e o texto presentes na série de quadrinhos francesa Le photographe. A obra, que mescla texto, desenhos e fotografias, foi composta por três autores, a saber: Emmanuel Guibert, quadrinista responsável pelos desenhos, Didier Lefèvre, fotojornalista autor das fotografias, e Frédéric Lemercier, editor encarregado da diagramação das páginas. Dividida em três volumes, a série resulta do trabalho desenvolvido por Lefèvre junto à organização Médicos Sem Fronteiras, que o contratara para cobrir uma missão da instituição no Afeganistão em 1987, durante a guerra desse país contra a U.R.S.S. Publicados na França entre 2003 e 2006 e no Brasil de 2006 a 2010, respectivamente, Le photographe e O fotógrafo constituem um rico material para análise graças à simultaneidade de discursos: o documental e o quadrinístico, tendo em vista a representação da cultura do outro, isto é, do povo afegão, em dois contextos socioculturais distintos: o francês, no original, e o brasileiro, na tradução. Apresentamos algumas características acerca da composição da obra, em que o uso das fotografias em conjunção com os desenhos revela o desenvolvimento de um estilo inovador no contexto da linguagem dos quadrinhos. Isso fica evidente quando analisamos os trabalhos de teóricos que já investigaram a constituição da narrativa quadrinística, como os de Eco ([1965]2008) e McCloud (2005), trabalhos nos quais se destaca a questão da relação de continuidade entre os quadros e as páginas. Nosso trabalho, contudo, expande essas reflexões e propõe uma nova perspectiva de análise da enunciação das histórias em quadrinhos, pois observamos a constituição de uma unidade entre os signos no nível da leitura, que chamamos de unidade plurissemiótica, elemento que influencia o processo de tradução dessa forma de linguagem. Como a representação da cultura do outro se configura a partir da relação de complementaridade entre fotografia, desenho e texto, a análise da tradução dessa obra põe em relevo questões como a alteridade, a identidade, o contraste e a semelhança entre as três culturas envolvidas na criação e leitura da obra: a francesa, a afegã e a brasileira. Nesse sentido, exploramos as contribuições de diversos estudiosos que se dedicaram à investigação da representação cultural na tradução, dentre eles Venuti (1998) e Aubert (2006), para chegarmos à concepção das noções de marcador cultural verbal, icônico e verbo-icônico, tendo em vista a especificidade do processo de tradução dos quadrinhos. As análises realizadas partem da relação de complementaridade entre os códigos verbal e imagético e de como essa relação entre os signos constrói um conhecimento sobre o outro no original, que se transforma na tradução; dessa forma, o desenvolvimento de conceitos específicos relacionados a esse tipo específico de tradução, como a unidade plurissemiótica e os marcadores culturais verbais, icônicos e verboicônicos, coloca em relevo a sua singularidade.
Título em inglês
The knowledge of the other through image and translation
Palavras-chave em inglês
Comic book
Cultural marker
Translation
Resumo em inglês
This work analyzes the formation of cultural identities in the translation of comic books. We investigate how the process of knowledge of the other, that is, the foreigner, in the original and in the translation, is created from the relationship between image and text present in the French comic book Le photographe. This graphic novel, which combines text, drawings and photographs, was composed by three authors: Emmanuel Guibert, cartoonist, Didier Lefèvre, photojournalist, and Frédéric Lemercier, editor in charge of the pages layout. Divided into three volumes, the series is a result of the work developed by Lefèvre with the organization Médecins Sans Frontières, that had hired him to cover a mission of the institution in Afghanistan in 1987, during that country's war against U.R.S.S. First published in France between 2003 and 2006 and in Brazil from 2006 to 2010 respectively, Le photographe and O fotógrafo constitute a rich material for analysis thanks to the simultaneity of discourses: the documentary and the comics, in view of the representation of the culture of the other, that is, of the Afghan people, in two distinct sociocultural contexts: the French, in the original, and the Brazilian, in the translation. We present some characteristics about the composition of the work, in which the use of photographs in conjunction with drawings reveals the development of an innovative style in the context of comics language. This is evident when we analyze the contributions of theorists who have already investigated the constitution of the comic book narrative, such as those of Eco ([1965] 2008) and McCloud (2005), in which the question of continuity between panels and pages is emphasized. Our work, however, expands these reflections and proposes a new perspective of analysis of comic books enunciation, since we observe the constitution of a unity between the signs at the reading level, which we call plurissemiotic unity, element that influences the translation process this media. Since the representation of the culture of the other is based on the complementary relationship between photography, drawing and text, the analysis of Le photographe translation highlights issues such as alterity, identity, contrast and similarity between the three cultures involved in creation and reading of the graphic novel: the French, the Afghan and the Brazilian. In this sense, we explore the contributions of several scholars dedicated to the research of cultural representation in translation, among them Venuti (1998) and Aubert (2006), to develop the notions of verbal, iconic and verbal-iconic cultural markers, in view of the specificity of comic books translation process. The cases analysed are based on the relationship between the verbal and imagetic codes and on how this relationship between these signs constructs a knowledge about the other in the original, which is transformed in the translation; in this way, the development of specific concepts related to this specific type of translation, such as the plurissemiotic unity and the verbal, iconic and verbal-iconic cultural markers, highlights its uniqueness.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-10-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.