• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.8.2012.tde-08012013-144053
Documento
Autor
Nome completo
Damián Alejandro Dzienciarsky
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Langer, Eliana Rosa (Presidente)
Amâncio, Moacir Aparecido
Oliveira, Leopoldo Osorio Carvalho de
Schlesinger, Juliana Portenoy
Topel, Marta Francisca
Título em português
A extraposição no Hebraico. Um fenômeno linguístico do idioma ou discriminação dos judeus da comunidade oriental.
Palavras-chave em português
Discriminação dos judeus da comunidade oriental
Extraposição
Fontes do judaísmo
Judeus do Magreb
Sintaxe do hebraico
Sociolinguística
Resumo em português
Esta pesquisa versa sobre a análise morfossintática do fenômeno de extraposição no hebraico. No primeiro capitulo mostro quais são as premissas, as hipóteses e os corpora trabalhados nesta pesquisa. No segundo capítulo, localiza-se a extraposição dentro do sistema morfossintático da língua hebraica revisando o uso da extraposição em diferentes registros do hebraico moderno. Analisei o fenômeno em si, para entender seu uso, formas, regras, nomenclatura e entorno onde a extraposição geralmente aparece. No terceiro capítulo, analiso o livro Shum Gamadim ló Yavohu. Por meio desta análise pude pesquisar a linguagem pobre dos personagens, um idioma comum aos bairros da periferia. Os objetivos da analise do livro são, por um lado, confirmar que o fenômeno de extraposição é espontâneo e cotidiano no hebraico, tanto na linguagem oral como na escrita, e por outro lado, analisar por que este fenômeno é considerado como parte do registro baixo na língua hebraica moderna. No quarto e quinto capítulos, localizei o fenômeno de extraposição no texto bíblico e talmúdico. A Bíblia e o Talmud são as fontes indiscutíveis do judaísmo e constituem o padrão do hebraico para definir o que pertence ou não pertence à língua hebraica do ponto de vista linguístico. Desta maneira consegui demonstrar que o fenômeno de extraposição é parte da língua hebraica desde a época bíblica. No sexto e último capítulo, através da analise da extraposição no árabe e no francês, pude demonstrar que a extraposição é um fenômeno frequente nestas línguas, penetrando no hebraico moderno pelos falantes dessas línguas. Entendendo que estes falantes do árabe e francês foram discriminados pelos nativos do hebraico. O fenômeno de extraposição foi discriminado pelo uso excesivo dos falantes da comunidade judia oriental.
Título em inglês
An extraposition in Hebrew a linguistic phenomenon of the language or discrimination of oriental jews
Palavras-chave em inglês
Discrimination of oriental jews
Extraposition
Jews of the Maghreb
Sociolinguistics
Sources of judaism
Syntax of hebrew
Resumo em inglês
The present work deals with the morphosyntactic analysis of the phenomenon of extraposition in Hebrew. Its first chapter contains the premises, hypotheses and corpora worked on for the research. Its second chapter identifies extraposition within the morphosyntactic system of the Hebrew language, revising the use/occurrence of extraposición in different/distinct registers of Modern Hebrew. The phenomenon in itself is analyzed, with the purpose of understanding the use, forms, rules, nomenclature and environment where extraposition normally occurs. The third chapter analyzes the book/novel Shum Gamadim ló Yavohu. It is through this analysis that the language of its characters is researched, which is a simple language, common to the speakers of the suburban neighborhoods. The aims of the analysis of the book are, on the one hand, confirming that the phenomenon of extraposición is spontaneous and usual in Hebrew, both in spoken language as well as in writing, and on the other hand discussing why this phenomenon is ascribed to the lower register of Modern Hebrew. Chapters four and five deal with the identification of the phenomenon of extraposition in Biblical and Talmudic text. The Bible and the Talmud are both undisputable sources of Judaism, and they constitute the pattern of Hebrew in order to define what belongs to Hebrew and what does not from a linguistic perspective. It is thus demonstrated that the phenomenon of extraposition has been a part of the Hebrew language since Biblical times. In the sixth and final chapter, by means of the analysis of the phenomenon of in Arab and French, it is demonstrated that extraposition is a phenomenon of high frequency of occurrence in those languages. Given the understanding that the Hebrew of native speakers of Arab and French was looked down upon by native speakers of Hebrew, the phenomenon of extraposition was scorned due to its excessive use by the speakers of the Oriental Jewish community.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-01-08
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.