• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.8.2019.tde-27022019-142258
Documento
Autor
Nome completo
Luiz Fernando de França
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Chaves, Rita de Cassia Natal (Presidente)
Cabaço, José Luís de Oliveira
Can, Nazir Ahmed
Sarteschi, Rosangela
Silva, Rejane Vecchia da Rocha e
Título em português
'Uns contos iguais a muitos': estórias africanas, relações de trabalho e estrutura narrativa no contexto colonial angolano e moçambicano (décadas de 50/60).
Palavras-chave em português
Angola
Estórias africanas
Estrutura narrativa
Moçambique
Relações de trabalho
Resumo em português
Nesta tese, a partir da leitura de estórias escritas por João Dias, José Craveirinha, Luís Bernardo Honwana, Costa Andrade, Antonio Cardoso, Luandino Vieira, Arnaldo Santos e Jofre Rocha nas décadas de 50 e 60 no contexto colonial angolano e moçambicano, analiso as estratégias narrativas utilizadas pelos autores para formalizar a violência das relações de trabalho impostas pelo colonialismo. No estudo dessas narrativas engajadas focalizo e sistematizo as estruturas convergentes que denunciam a exploração do trabalhador e da trabalhadora em Angola e Moçambique. Com efeito, considerando as recorrências estruturais encontradas e sistematizadas no contexto recortado, julgo que enuncio aqui, cônscio dos limites do estudo, a existência de uns contos iguais a muitos, ou seja, de diferentes estórias que valendo-se de estratégias narrativas congruentes formam uma estrutura de denúncia das relações de trabalho. Enunciadas por um(a) narrador(a) empenhado(a), estas estórias de enclausuramento, resistência e libertação articulam um confronto entre as ações das personagens agressoras brancas (patrões e seus agentes) e as dos(as) trabalhadores(as) negros(as). Além disso, é recorrente o uso de uma temporalidade tensiva e a inserção dos(as) trabalhadores(as) em espaços sociais compartimentados. Diante da vida rastejante e dos caminhos fechados, da exploração, da imobilidade e do racismo, as estórias também estruturam um processo de resistência no qual os(as) trabalhadores(as) enfrentam seus agressores e promovem a contra-violência do colonizado.
Título em inglês
'Tales equal to many': African stories, labor relations and narrative structure in the Angolan and Mozambican colonial context (1950s and 1960s)
Palavras-chave em inglês
African stories
Angola
Labor relations
Mozambique
Narrative structure
Resumo em inglês
In this thesis, from the reading of stories written by João Dias, José Craveirinha, Luís Bernardo Honwana, Costa Andrade, Antonio Cardoso, Luandino Vieira, Arnaldo Santos and Jofre Rocha in the 50s and 60s in the Angolan and Mozambican colonial context, I analyze the narrative strategies used by the authors to formalize the violence of labor relations imposed by colonialism. In the study of these engaged narratives I focus and systematize the convergent structures that denounce the exploitation of male and female workers in Angola and Mozambique. In fact, considering the structural recurrences that were found and systematized in the highlighted context, I believe I enunciate here, aware of the limits of the study, the existence of "a few tales equal to many others", that is to say, of different stories that making use of congruent narrative strategies form a structure of denunciation of labor relations. These stories of imprisonment, resistance and liberation, stated by a committed narrator, articulate a confrontation between the actions of the white aggressive characters (bosses and their agents) and those of the black workers. Moreover, it is recurrent the use of a tense temporality and an insertion of the workers into compartmentalized social spaces. In the face of "creeping life" and "closed paths," of exploitation, immobility and, racism, the stories also structure a process of resistance in which the workers face their aggressors and promote the counter-violence of the colonized.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-02-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.