• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.8.2010.tde-30042010-154607
Documento
Autor
Nome completo
Antonio Augusto Nery
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2010
Orientador
Banca examinadora
Bueno, Aparecida de Fatima (Presidente)
Cardoso, Patrícia da Silva
Franco, Marcia Maria de Arruda
Garmes, Helder
Souza, Raquel dos Santos Madanêlo
Título em português
Diabos (diálogos) intermitentes: individualismo e crítica à instituição religiosa em obras de Eça de Queirós
Palavras-chave em português
Eça de Queirós
Figurações do diabo
Individualismo
Instituição religiosa
Literatura portuguesa
Resumo em português
Entre os inúmeros personagens criados e eternizados por Eça de Queirós ao longo de sua produção, o diabo talvez seja aquele que menos recebeu atenção das análises críticas voltadas às obras do escritor. Longe de ser uma personagem dita marginal, pois está presente desde os primeiros textos até as obras derradeiras desenvolvidas por Eça, o diabo parece mesmo ter sido preterido por suas figurações quase sempre pequenas e/ou supostamente despretensiosas. Pretendemos neste trabalho volver o olhar para essa personagem na obra de Eça de Queirós, confirmando nossa hipótese de que com poucas, mas sistemáticas aparições, Satanás desempenha um papel fundamental na produção do escritor, especialmente quando ele procura fazer menções a conceitos do individualismo moderno e criticar a Instituição religiosa oficial de Portugal, a Igreja Católica, bem como tudo o que estivesse voltado a ela e à sua atuação no país. Principiamos averiguando quem é Satanás, como este mito floresceu e, principalmente, o papel da Igreja em sua criação, formalização e atualização ao longo dos séculos até nossos dias. Posteriormente, para compreendermos a concepção do diabo que Eça veicula em suas obras, dedicamos atenção ao diabo literário, ou seja, às diversas formas e maneiras pelas quais o demônio figurará na literatura, principalmente por intermédio do mito fáustico e dos sentidos que autores da literatura francesa dos séculos XVIII e XIX, da qual Eça foi leitor, atribuíram-lhe, quase sempre utilizando-o como paladino do pensamento individualista. Ainda, antes de partirmos para nossa leitura crítica, analisaremos o diabo da religiosidade popular portuguesa, o qual parece ter sido também fonte de inspiração para Eça compor seus diabos, devido a uma série de valores controversos agregados à figura demoníaca por essa forma peculiar de viver a religião. Finalmente, na última parte do trabalho, passaremos às análises das figurações do diabo em obras das diversas fases da produção do escritor, indo dos textos das Prosas Bárbaras, passando pelos diabos de O Mandarim e A Relíquia até chegarmos aos diabos das Vidas de Santos. Concluiremos nosso trabalho confirmando a hipótese de que o diabo não é somente mais uma personagem secundária menor veiculada por Eça de Queirós, mas sim uma das principais, quando os assuntos desenvolvidos em seus textos foram as apologias voltadas ao individualismo moderno e a permanente crítica direcionada à Instituição religiosa.
Título em inglês
Devils (dialogues) intermittent: individualism and criticism to the religious institution in Eça de Queirós' works
Palavras-chave em inglês
Devils figurations
Eça de Queirós
Individualism
Portuguese literature
Religious institution
Resumo em inglês
Among the innumerous characters created and eternalized by Eça de Queirós all along his production, the devil perhaps is the one who less received attention from the critical analysis of the writers works. Far from being called a marginal character, for it is present since the early texts till the last works developed by Eça, the devil really seems to have been omitted by his mostly small and/or supposedly unpretentious figurations. In this work we intend to turn our eyes to this character in Eça de Queirós work, confirming our hypothesis that with few, but systematic appearances, Satan plays a fundamental role in the writers production, especially when he tries to mention concepts of modern individualism and to criticize the official religious institution of Portugal, the Catholic Church, as well as everything which was related to it and to its actuation in the country. We start by verifying who Satan is, how this myth has blossomed, and mainly, the role of the church in his creation, formalization and actuation all along the centuries until nowadays. Subsequently, to comprehend the conception of the devil that Eça conducts in his works, we dedicate our attention to the literary devil, or else, to the several forms and ways in which the demon will feature in literature, mainly by intermediate of the Faustian myth and the senses which authors from the French literature in the XVIII and XIX centuries, from which Eça was a reader, attributed to him, mostly using him as a paladin of the individualist thought. Yet, before leaving for our critical reading, we will analyze the devil of the Portuguese popular religiosity, that seems also to have been source of inspiration for Eça to build up his devils, due to a series of controversial values aggregated to the demoniac picture by this peculiar way of living the religion. Finally, in the last part of the work, we will go to the analysis of the devils figurations in the works of the several phases of the writers production, starting with the texts of Prosas Bárbaras, going to the devils of O Mandarim e A Relíquia till we get to the devils of Vidas de Santos. We will conclude our work confirming the hypothesis that the devil is not only another minor secondary character conducted by Eça de Queirós, but one of the main ones, when the subjects developed in his texts were the apologies regarding to the modern individualism and the permanent criticism directed to the Religious Institution.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2010-05-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.