• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2009.tde-26082009-155516
Documento
Autor
Nome completo
Moizeis Sobreira de Sousa
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2009
Orientador
Banca examinadora
Oliveira, Paulo Fernando da Motta de (Presidente)
Mendes, Maria Lúcia Dias
Sousa, Sérgio Paulo Guimarães de
Título em português
A ficção camiliana: a escrita em cena
Palavras-chave em português
Amor de perdição
Camilo Castelo Branco
Metaficção
Onde está a felicidade?
Romance
Resumo em português
A recepção à ficção camiliana se subsume fundamentalmente a dois operadores hermenêuticos consagrados por uma parcela significativa da crítica literária luso-brasileira: a conjunção vida/obra e o enquadramento da produção literária assinada por Camilo no Romantismo português. Por meio do estudo de dois romances camilianos, Amor de Perdição (1862) e Onde Está a Felicidade?(1856), interessa problematizar a análise da produção ficcional camiliana que se baseia nesses operadores hermenêuticos. Nesse sentido, parte-se das indagações: terá Camilo assimiliado e culminado na tradição literária portuguesa a sacralização do amor? Será Camilo essencialmente um escritor ultra-romântico, autor, sobretudo, de novelas passionais? A resposta dada a essas questões se baseou na relação entre esses textos e a vigorosa tradição literária metaficcional, fortemente enraizada nos períodos que antecedem e sucedem a atuação de Camilo como escritor. A presença dos expedientes metaficcionais em Amor de Perdição e Onde Está a Felicidade revela uma representação mimética que se desdobra em representar o mundo, particularmente o burguês, e os mecanismos que envolvem essa representação, evidenciando uma construção literária que não se limita a criar a sugestão do real, tomando também a sua problematização como eixo. O ato de criar torna-se alvo de questionamento, exigindo dos seus participantes, nomeadamente narrador/autor e leitor, novas posturas mentais em que a origem e a destinação do significado não se apresentam tranquilamente assumidas por aquele e este, respectivamente, derivando desse arranjo um texto em processo, que se constrói, que se assume como mise en scène.
Título em inglês
Fiction camillian: writing on the scene
Palavras-chave em inglês
Amor de perdição
Camilo Castelo Branco
Narcissistic narrative
Novel
Onde está a felicidade?
Resumo em inglês
The reception to the camilian fiction is basically due to two hermeneutic operators consecrated by a significant part of the literary Luso-Brazilian critics: the conjunction life/work and the literary production frame signed by Camilo in the Portuguese Romanticism. The observation of Amor de Perdição (1862) and Onde Está a Felicidade? (1856), allows the debate on the analysis of the camilian production that is based on these hermeneutic operators. In this way, we raise some questions: has Camilo assimilated and culminated in the Portuguese literary tradition the religion of love? Is Camilo essencially an extreme-romantic writer, especially a romantic novels author? The answer given to these questions was based on the relation between these texts and the vigorous metafictional literary tradition, strongly rooted in the periods that precede and succeed Camilos performance as a writer. The occurrence of the metafictional expedients in Amor de Perdição and Onde Está a Felicidade? discloses a mimetic representation that unfolds into representing the world, particularly the bourgeois, and the mechanisms that involve this representation, evidencing a literary construction that is not limited to create the suggestion of reality, as well as taking its debate as base. The action of creating becomes a target to questioning, demanding from its participants, nominated narrator/author and reader, new mental positions in which the origin and the destination of its meaning are not completely assumed for the author and the reader, respectively, deriving from this arrangement a text in process, that constructs itself is assumed as mise en scène.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2009-08-26
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.