• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Jaime Cará Júnior
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Carmagnani, Anna Maria Grammatico (Presidente)
Duboc, Ana Paula Martinez
Lopes, Carlos Renato
Mór, Walkyria Maria Monte
Souza, Lynn Mario Trindade Menezes de
Título em português
O conceito de interação no discurso publicitário sobre a aula de inglês
Palavras-chave em português
Análise discursiva
Interação
Mídia publicitária
Resumo em português
O objetivo desta tese foi investigar o conceito de interatividade no modo de funcionamento do discurso da mídia publicitária ao representar a sala de aula de língua inglesa em contextos de escolas de cursos livres associada a determinadas práticas de ensino, mas não necessariamente a objetivos educacionais. Para tanto, analisamos as condições sócio-históricas do discurso da mídia publicitária, principalmente em anúncios de cursos livres de inglês, e as regularidades da formação desse discurso sobre a interação na sala de aula desses cursos, descrevendo sua dispersão em quatro níveis (FOUCAULT, 1969/2009): nos níveis dos objetos, dos tipos enunciativos, dos temas e teorias e, principalmente, no nível do conceito (de interação). Além disso, refletimos sobre os mecanismos discursivos que mobilizam o poder de influência do discurso da mídia publicitária, e sobre as representações e o conceito de interação e de interatividade. Com esse objetivo, e baseando-nos nessas reflexões e em análises discursivas, sustentamos a tese de que o discurso da mídia publicitária exerce uma influência condicional sobre outros discursos (inclusive sobre o científico), sendo ele sujeito a regras de uma ordem que interditam o engendramento de conceitos no interior de sua própria formação discursiva. O discurso da mídia publicitária pode e deve ser original, desde que se submeta a dizer sempre o já dito. Dessa forma, afirmamos que as representações publicitárias da interação que as salas de aula e as novas tecnologias proporcionam fazem parte de uma engrenagem de influência na mesma medida em que articulam processos de atualização, no sentido deleuziano (DELEUZE, 1988/2006), de memórias discursivas, nas quais o ensino e aprendizagem de inglês e a interação são representados e exacerbados como experiências eficazes, prazerosas, agradáveis, encantadoras e afetuosas, no caso das escolas de cursos livres, e ineficazes, tediosas, maçantes, fastidiosas, enfadonhas e requerendo muito esforço, no caso das escolas do ensino regular. O discurso da mídia publicitária sobre a sala de aula de inglês em escolas livres e suas qualidades de interação constitui um sistema de dispersão que mobiliza, reitera, sedimenta e retoma sentidos que atravessam outros discursos. Isso pode levar à apressada conclusão de que o discurso da mídia publicitária influencia outros discursos, principalmente se crermos que esse discurso se constitui como uma espécie de fluxo da produção à recepção. Assim, o conceito de interação não é exatamente influenciado nem imposto, mas, em uma engrenagem que o empodera na mesma medida em que o submete, o discurso da mídia publicitária reproduz o conceito de interação como valor a ser atribuído ao produto ou serviço anunciado, justamente submetido à forma sedimentada desse conceito na memória discursiva, de onde advém sua disposição como verdadeiro.
Título em inglês
The concept of interaction in advertising discourse about the English class
Palavras-chave em inglês
Advertising media
Discourse analysis
Interaction
Resumo em inglês
This thesis aims at investigating the concept of interactivity in the functioning of the media discourse when advertising language schools and representing the English language classroom. To accomplish this objective, we analyze the sociohistorical conditions of the advertising media discourse (mainly in language schools advertisements) and the regularities of the formation of this discourse on its interaction in the English language classroom, describing their dispersion at four levels (FOUCAULT, 1969/2009): the formation of objects of discourse, the formation of enunciative positions or modes, the formation of theoretical strategies, and the formation of concepts. Still in consistency with this objective, we reflect upon the discursive mechanisms that mobilize the supposedly powerful influence of advertising media discourse, and upon the representations and the concept of interaction and interactivity. With such objective and based on these considerations and on discursive analysis, we substantiated the hypothesis that the media discourse exerts a conditional influence on other discourses (including scientific discourse), being subjected to the rules of an order that prevents it from engendering concepts within its own discursive formation. Advertising media discourse can and should be original, as long as it commits to repeating what has already been said. Thus, it is possible to argue that the advertising representations of the interaction supposedly provided by that English language classroom and the communication technologies take part in a seducing machinery and, at the same time, is subjected to a process of realization, in the Deleuzian sense (DELEUZE, 1988/2006), of discursive memories, in which English teaching and learning and interaction are represented and exacerbated as effective, pleasurable, fun, and friendly experiences in the case of language schools, and as ineffective, tedious, uninteresting, and demanding experiences in the case of regular schools. The discourse of advertising media on interaction and interactivity constitutes a system of dispersion that mobilizes, reiterates, sediments, and resumes senses that largely permeates or intersects other discourses, and may lead to the false conclusion that the discourse of advertising media influences other discourses, especially if we are oblivious to the equally false assumption that such discourse constitutes a kind of flow from production to reception. The concept of interaction is, thus, not influenced or imposed by media discourse. In a machinery that at the same time empowers and subjects it, the advertising media discourse reproduces the concept of interaction as a quality to be attributed to advertised goods and services, being responsive to the sedimented concept in the discursive memory, from where it draws its status of truth.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-04-04
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.