• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2015.tde-29062015-125936
Documento
Autor
Nome completo
Emily Caroline da Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Lousada, Eliane Gouvêa (Presidente)
Bueno, Luzia
Guimarães, Ana Maria de Mattos
Título em português
O vivido, o revivido e os possíveis do desenvolvimento em diálogo: um estudo sobre o trabalho do professor de FLE com os conteúdos culturais
Palavras-chave em português
Conteúdos culturais
Desenvolvimento
Ensino de língua estrangeira
Trabalho do professor
Resumo em português
Esta dissertação tem por objetivo estudar a maneira como os professores de francês língua estrangeira (FLE) trabalham os conteúdos culturais em suas aulas através de uma análise de textos orais de entrevistas sobre o trabalho. De maneira mais específica, propomo-nos a identificar as representações construídas nos e pelos textos (BRONCKART, 2006) dos professores sobre a pertinência ou a necessidade que eles têm (ou não) de abordar os conteúdos culturais em aulas de língua estrangeira. Escolhemos investigar o trabalho de ensino dos conteúdos culturais, porque, apesar de ser um tema amplamente explorado pelas teorias em Didática das Línguas e Culturas, trata-se de um objeto complexo do ponto de vista de sua implementação nas aulas de línguas (BYRAM, 2011), sendo por esta razão um dos dilemas do trabalho do professor de FLE. Para compreender essa questão a partir da ótica dos próprios professores, realizamos nosso estudo em um contexto de um curso livre de francês em extensão universitária. Fizemos uso de um método de intervenção formativa, a autoconfrontação (CLOT, FAÏTA, 2000), em que convidamos dois professores a assistirem e comentarem vídeos de suas aulas, possibilitando assim que eles verbalizassem sobre sua experiência vivida. O quadro teórico maior deste estudo se baseia em algumas das teses Vygotski (1934/1997; 1925,1930/2004), desenvolvidas e ampliadas no Interacionismo Sociodiscursivo (BRONCKART, 2006; BULEA, 2010) no diz respeito à questão do agir e da linguagem. Considerando o ensino como trabalho, inspiramo-nos em pesquisas brasileiras oriundas dessa perspectiva (MACHADO, 2004; LOUSADA, 2006; BUENO, 2007; GUIMARÃES et al, 2007; MACHADO et al, 2011; DANTASLONGHI, 2013), contando também com aportes teóricos também da Clínica da Atividade (CLOT, 1999, 2001, 2008), da Ergonomia da Atividade (FAÏTA, 1997; 2011; AMIGUES, 2002, 2004; SAUJAT, 2004). O corpus desta pesquisa consiste em um recorte da transcrição da entrevista em autoconfrontação cruzada e um recorte de um documento prescritivo do agir dos professores, ambos referentes ao trabalho com os conteúdos cutlurais. As análises se basearam no modelo de análise de textos do Interacionismo Sociodiscursivo (BRONCKART, 1999, 2006) acrescido de outras categorias (BULEA, 2010; MAINGUENEAU, 2001; AUTHIER-REVUZ, 2001; LOUSADA, DANTAS-LONGHI, 2014; ROCHA et al, 2002; BRONCKART, MACHADO, 2004). Os resultados mostraram que, diante de prescrições difusas e imprecisas sobre o trabalho prático com os conteúdos culturais em sala de aula, os professores se valeram muito mais de suas experiências para definir esse trabalho, representando-o como algo multifatorial, no qual entram em jogo a ação dos alunos, dos professores, o objeto de ensino e os instrumentos. Os professores representaram os conteúdos culturais como pertinentes, como algo ligado à reflexão; entretanto, em sua prática, outros fatores interferiram e influenciaram seu trabalho, como a prescrição de se trabalhar a gramática ou a relação do conteúdo gramatical com o conteúdo cultural. Dentre as contribuições, destacamos que a pesquisa corrobora a ideia da autoconfrontação enquanto método propiciador do desenvolvimento, uma vez que foi possível identificar, através dos indícios de tomada de consciência, que o vivido nas aulas e revivido nas entrevistas pode devolver aos professores seu poder de agir, abrindo caminhos para os possíveis do desenvolvimento.
Título em inglês
Dialogue between Lived Experience, Revived Experience and Possibilities of Development: a Study on How French as a Foreign Language Teachers Work Cultural Subjects
Palavras-chave em inglês
Cultural subjects
Development
Foreign language teaching
Teaching work
Resumo em inglês
This paper aims to study how French as a foreign language teachers work cultural subjects in their classes, through an analysis of oral interview texts on their work. More specifically, we propose to identify the "representations built in and by the teachers texts (BRONCKART, 2006) about the relevance or need they have (or not) to address the cultural subjects in foreign language classes. We decided to investigate this matter because, despite of its large exploration from a theoretical point of view in the Language and Cultures Pedagogies, it is a complex object from the point of view of its implementation in second language classes (BYRAM, 2011), and for this reason it is one of second language teachers dilemmas. To understand this question from a teachers perspective, the research context was a French as a foreign language extension course in a university. Using an intervention method, the self-confrontation (CLOT, FAÏTA, 2000), we invited two teachers to watch and comment on videos of their classes, enabling them to verbalize about their lived experience. The larger theoretical framework of this study is based on some of Vygotskys thesis (1934/1997; 1925,1930/2004), developed and expanded in Socio-Discursive Interactionism (BRONCKART, 2006; BULEA, 2010) on the topic of action and language. We are also based on theoretical contributions from Activity-Clinic (CLOT, 1999, 2001, 2008), Ergonomics of Activity (FAÏTA, 1997; 2011; AMIGUES, 2002, 2004; SAUJAT, 2004) and Brazilian investigations considering teaching from a work perspective (MACHADO, 2004; LOUSADA, 2006; BUENO, 2007; GUIMARÃES et al, 2007; MACHADO et al, 2011; DANTAS-LONGHI, 2013). The research corpus consists is in an extract of the crossed self-confrontation transcript and in an extract of a document that prescribes teachers work, both excerpts regarding cultural subjects teaching. The analysis proceeded according to Socio-Discursive Interactionism texts analysis model (BRONCKART, 1999, 2006) added by other categories (BULEA, 2010; MAINGUENEAU, 2001; AUTHIER-REVUZ, 2001; LOUSADA, DANTAS-LONGHI, 2014; ROCHA et al, 2002; BRONCKART, MACHADO, 2004). The results indicate that, facing a diffuse and inaccurate practical orientation on how to work cultural subjects in class, teachers have used their experiences to define their work, representing it as multifactorial, where the students and teachers actions, the teaching object and the instruments interact. They represented the cultural subjects as relevant and related to reflexion; however, in practice, other factors interfered and influenced the work, as grammar prescriptions or the relation between some grammatical contents and cultural subjects. Among the contributions, this research underline the idea of self-confrontation as a development trigger method, since it was possible to identify through indices of awareness that lived experiences in class revived in the interviews may restitute the power to act, opening ways for possibilities of development.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2015-06-29
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.