• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2006.tde-23082007-131107
Documento
Autor
Nome completo
Moisés Olimpio Ferreira
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Seabra Filho, Jose Rodrigues (Presidente)
Maia Junior, Juvino Alves
Murachco, Henrique Graciano
Título em português
Epístola de Paulo aos efésios - proposta de leitura linear
Palavras-chave em português
Epístolas dos apóstolos
Língua grega clássica
Lingüística
Resumo em português
Aquele que se empenha no estudo da Língua Grega, logo perceberá que tem diante de si um grande sistema lingüístico composto por elementos enriquecidos de significação. A riqueza das noções e das idéias que nela estão presentes e os recursos que oferece tornam-se mais evidentes e fascinantes à medida que a respeito dela refletimos. Quanto mais profundamente for possível conhecê-la, mais fica indubitável a sua coesão e a sua coerência. Através de sua estrutura complexa, é possível reconhecer qual a intenção do escritor que dela fez uso e a dimensão de seus argumentos, pois, quando realiza as escolhas formais para a expressão escrita, ele as fará em harmonia com a mensagem que pretende transmitir. Desse modo, os termos possuirão seus motivos e seus objetivos, tanto quanto o discurso que estabelecem. Não foi sem razão que o Cristianismo obteve divulgação tão ampla em seus dias primitivos. Os apóstolos perceberam que a mensagem cristã poderia ser mais bem propagada através de um idioma que não só ?portasse? os ensinos de Cristo para o mundo afora, mas que também pudesse representá-los de forma arrazoada. A Língua Grega, em especial, a Língua Grega que Alexandre Magno tornou comum (h( koinh\\\\\\\ glw=tta) a todo o mundo conhecido ocidental antigo, atendia a tais anseios; os evangelistas reconheceram que ela permitia uma difusão doutrinária que atingiria não só o espírito, mas também a mente humana racional do mundo helenizado. Comum e adaptado a todo o povo, mesmo no período do Império Romano, o grego era a língua através da qual a recomendação de Cristo, registrada em Marcos 16.15, poderia ser cumprida: kai. ei=pen auvtoi/j\ poreuqe,ntej eivj to.n ko,smon a[panta khru,xate to. euvagge,lion pa,sh| th/| kti,seiÅ e disse-lhes: tendo ido ao mundo todo, anunciai o evangelho a toda criatura. Se alguém no Cristianismo aproveitou-se das possibilidades lingüísticas disponíveis nessa língua para expandir suas doutrinas, certamente o apóstolo Paulo é o indicado. Ele é, por excelência, o apologeta cristão do primeiro século. Em seu afã, procura apresentar argumentos de que o Cristianismo é a absoluta sabedoria (1Coríntios 1:17-25, 30; 2:1,4-8; Efésios 3.10; Colossenses 2:27-28) e que oferece respostas tanto às questões relativas à origem (Efésios 3.9; Colossenses 3.10) quanto às concernentes à finalidade (Romanos 8.14-19; Efésios 1.1-6, 11, 12; Gálatas 4.4-6; Filipenses 2.14,15) humanas. Entretanto, é provável que o exegeta encontre dificuldades para a compreensão dos enunciados caso os traços aspectuais e modais não sejam considerados de modo adequado. A Língua Grega, observada a partir de seu próprio funcionamento interno, é ferramenta hermenêutica de extrema importância a fim de que os significados não se percam nem em traduções descomprometidas com o sistema da língua original, nem em análises superficiais do texto. Por essa razão, este trabalho visa a oferecer uma tradução linear, colada ao texto, tomando como exemplo a Epístola de Paulo aos Efésios, levando em consideração os matizes gramaticais contidos no texto grego, sobretudo no que se refere ao verbo e seus traços: o modo e o aspecto; e, no que se refere ao léxico e suas alternativas de significado. Considerando que as traduções até então encontradas na Língua Portuguesa não possuem tal preocupação, os desdobramentos disso são diretamente observados na imperfeita compreensão dos textos. Apesar de ter sido escrita em tamanho relativamente pequeno (seis capítulos), a Epístola possui número suficiente de ocorrências verbais (328) e recursos lingüísticos bastantes que permitem reflexão significativa.
Título em inglês
Apostle Paul's epistle to Ephesians: linear reading propose
Palavras-chave em inglês
Apostle's epistles
Classical Greek language
Linguistic
Resumo em inglês
Those who endeavor in the study of the Greek language will soon realize that they are facing a large linguistic system composed of elements that are rich in meaning. The wealth of notions and ideas therein and the resources offered by this language become more evident and fascinating as you reflect about it. The deeper you get to know it, the more unquestionable its cohesion and coherence become. Through its complex structure, it is possible to identify the intention of the writer who used it and the scope of his arguments, for when he makes the formal choices in writing, the author does it in harmony with the message he intends to convey. Therefore, the terms will embody his reasons and objectives, as much as the discourse they form. It is not without reason that Christianity was so largely divulged in its early days. The apostles realized that the Christian message would be better delivered through a language that not only carried Christ's teachings to the world, but would also represent them in a rational way. The Greek language, more particularly the Greek language Alexander the Great spread (h( koinh\ glw=tta) all over the ancient known western world, accomplished such aims; the evangelists recognized that it allowed a doctrinal dissemination that would reach not only the soul, but also the rational human mind of the hellenized world. Common and adapted to all the people, even under the Roman Empire, Greek was the language through which Christ's recommendation, documented in Mark 16.15, could be fulfilled: kai. ei=pen auvtoi/j\ poreuqe,ntej eivj to.n ko,smon a[panta khru,xate to. euvagge,lion pa,sh| th/| kti,seiÅ and said to them: Go into all the world and proclaim the good news to the whole creation. If anybody in Christianity took advantage of the linguistic possibilities available in this language to expand his doctrines, it was certainly the apostle Paul. He is, par excellence, the Christian apologist of the first century. In his eagerness, he argues that Christianity is the absolute wisdom (1Corinthians 1 :17-25, 30; 2:1,4-8; Ephesians 3.10; Colossians 2.:27-28) and that it answers both questions concerning the human origin (Ephesians 3.9; Colossians 3.10) and those concerning the human ends (Romans 8.14-19; Ephesians 1.1-6, 11,12; Galatians 4.4-6; Philippians 2.14,15). However, the exegete may find it difficult to understand the statements if the aspect and mood characteristics are not appropriately considered. Observed from its own internal functioning, the Greek language is an extremely important hermeneutic tool to prevent the loss of meaning, either in translations unconcerned with the system of the original language or in superficial text analyses. Therefore, this work aims at offering a linear translation, close to the text, taking as example the Epistle of Paul to the Ephesians. It will consider the grammatical nuances present in the Greek text, especially those concerning the verb and its characteristics: mood and aspect; and those concerning the lexicon and its alternatives of meaning. As the translations so far available in Portuguese do not have such concern, the consequences can be directly verified in the imperfect comprehension of the texts. Although the Epistle is relatively short in size (six chapters), it contains a sufficient number of verbal occurrences (328) and enough linguistic resources to allow a significant study.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2007-10-02
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.