• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
Documento
Autor
Nome completo
Gláucia Antonovicz Lopes
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Kewitz, Verena (Presidente)
Almeida, Maria Lucia Leitão de
Sousa, Maria Clara Paixao de
Souza, Janderson Luiz Lemos de
Título em português
A semanticização do elemento em: dados do português paulista dos séculos XVIII e XIX segundo a abordagem multissistêmica e a linguística cognitiva
Palavras-chave em português
Chunk
Funções semântico-cognitivas
Polissemia
Preposição
Semântica
Semanticização
Sentido histórico
Resumo em português
Neste trabalho, com base na Abordagem multissistêmica (CASTILHO 2010) e na Linguística Cognitiva (LAKOFF & JOHNSON 1985/1980, JOHNSON 1987, LAKOFF 1990/1987, LANGACKER 1993), é estudado o processo de semanticização (CASTILHO, 2010) do elemento em. Nos estudos direcionados a esse elemento, uma grande quantidade de categorias semânticas lhe é atribuída. Por isso, esta pesquisa buscou a redução desse número de categorias. Na análise, foram usados o estudo de Kewitz et al. (no prelo) direcionado ao estudo das preposições e os sentidos históricos do elemento em (NUNES 1930, FARIA 1958, MAURER Jr. 1951, 1959, COUTINHO 1962/1938, SAID ALI 1964/1921, CÂMARA Jr. 1979/1975, ALMEIDA NM 1983, CART et al. 1986/1955). Os dados usados em nossa análise, séculos XVIII e XIX, foram coletados nos corpora do projeto Para História do Português Paulista (PHPP), ou projeto Caipira II. Segundo Kewitz et al. (no prelo), a heterossemia é responsável pela perspectivização de cenas promovida por preposições. As diferentes maneiras pelas quais uma preposição pode perspectivizar uma cena foram organizadas pelos autores (op. cit.) em três funções semântico-cognitivas. Na primeira, uma preposição pode exprimir um EI (LAKOFF & JOHNSON 1985/1980, JOHNSON 1987, DEWELL 2005); na segunda ela estabelece relações dentro de um MCI (LAKOFF 1990/1987, KEWITZ et al., no prelo), via metonímia (LAKOFF 1990/1987, LANGACKER 1993, SOARES DA SILVA 2006) e na terceira, relações entre MCI, via metáfora (LAKOFF & JOHNSON 1985/1980, LAKOFF 2006). Quanto aos sentidos históricos, o elemento em é capaz de ativar sentidos como interioridade, limitação, direção/objetivo, modo/maneira e transformação (NUNES 1930, FARIA 1958, MAURER Jr. 1951, 1959, COUTINHO 1962/1938, SAID ALI 1964/1921, CÂMARA Jr. 1979/1975, ALMEIDA NM 1983, CART et al. 1986/1955). A partir dessas concepções, foi feita uma categorização prototípica dos dados (LAKOFF 1990/1987) - preposição e chunk (BYBEE 2010, p. 34). Foi constatado nessa análise que o elemento em desempenha as funções propostas por Kewitz et al. (no prelo) de acordo com o sentido histórico ativado em um certo contexto de uso. Por meio deste estudo, nos foi possível reduzir a quantidade de categorias semânticas atribuídas ao elemento em. Comprovamos também que o elemento em é polissêmico, mostrando assim que sentido é ativado pelas palavras e não que estas os somam (LAKOFF 1990/1987, SOARES DA SILVA 2006).
Título em inglês
The semanticization of the element in: data of the São Paulo Portuguese of the XVIII and XIX centuries according to the multisystem approach and cognitive linguistics
Palavras-chave em inglês
Chunk
Cognitive-semantic functions
Meaning historic
Polysemy
Preposition
Semanticization
Semantics
Resumo em inglês
In this work, according to Abordagem mustissistêmica (CASTILHO 2010) and concepts from cognitive linguistics (LAKOFF & JOHNSON 1985/1980, JOHNSON 1987, LAKOFF 1990/1987, LANGACKER 1993) the process of semantization of the element em is researched. In the works about this element, multiple semantic categories are given to it. That is why this research aims at the redution of this categories number. The analysis was based on the Kewitz et al. (no press) study about the meaning prepositions and the element ems historic meaning (NUNES 1930, FARIA 1958, MAURER Jr. 1951, 1959, COUTINHO 1962/1938, SAID ALI 1964/1921, CÂMARA Jr. 1979/1975, ALMEIDA NM 1983, CART et al. 1986/1955). The data used in the analysis, was from between the XVIII and XIX centuries, and were extracted from corpora of project Para Historia do Portugues Paulista (PHPP), also know project Caipira II. Accoring to Kewtiz et al. (in press), the heterossemy is responsible for the perspectivization of scenes promoted by prepositions. The different ways prepositions perspectivize a scene were organized by authors in three cognitivesemantic functions. In the first, a preposition can express an EI (LAKOFF & JOHNSON 1985/1980, JOHNSON 1987, DEWEL 2005); in the second it establishes relations inside an MCI (LAKOFF 1990/1987, KEWITZ et al., in press), via metonymy (LAKOFF 1990/1987, LANGACKER 1993, SOARES DA SILVA 2006) and in the third, relations between MCI, via metaphor (LAKOFF & JOHNSON 1985/1980, LAKOFF 2006). Relative to the historic meanings, it was noted that the element em is capable of activating meanings such as interiority, limitation, direction/objective, way/method and transformation (NUNES 1930, FARIA 1958, MAURER Jr. 1951, 1959, COUTINHO 1962/1938, SAID ALI 1964/1921, CÂMARA Jr. 1979/1975, ALMEIDA NM 1983, CART et al. 1986/1955). From this conception, was made a prototypical categorization of data (LAKOFF 1990/1987) - prepositions and chunk (BYBEE 2010, p. 34). It was noted in this analisys that the element em works the three cognitive-semantic functions proposed by Kewitz et al. (no press) according to the historic meanings activated in determined context. By means of this study, it was possible to reduce the number of semantic categories given to element em. We also noted that the element em is polysemic, therefore, showing that the words themselves dont have meaning, but instead, activate meaning.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-10-31
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.