• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2009.tde-29032010-140949
Documento
Autor
Nome completo
Álvaro Fernando Rodrigues da Cunha
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2009
Orientador
Banca examinadora
Ferreira Netto, Waldemar (Presidente)
Almeida, Manoel Mourivaldo Santiago
Vegini, Valdir
Título em português
Introdução à fonologia da hakitía
Palavras-chave em português
Descrição
Escrita
Fonética
Fonologia
Hakitía
Resumo em português
Este trabalho tem como objetivo descrever a fonologia da língua Hakitía, língua esta de origem românica falada pela comunidade judaicomarroquina no norte do Brasil. A pesquisa objetiva descrever e documentar esse idioma e quais de seus elementos ainda resistem; e assim, compreender o que acontece com uma língua que tem, praticamente, 516 anos de existência. Esta geração é a última que existe em se tratando dos falantes. Faz-se uma breve contextualização histórica da hakitía, voltando-se à sua origem na Espanha, com a expulsão dos judeus, em 1492, pelos reis Isabel de Castela e Fernando de Aragão, suas várias rotas de exílio, dentre elas, o Marrocos, no norte da África, e, a partir daí até Eretz Amazônia. A pesquisa tem como base metodológica pressupostos gerais da linguística estruturalista, no que se refere à sua descrição.
Título em inglês
Introduction to the phonology of hakitia
Palavras-chave em inglês
Description
Hakitia
Phonetics
Phonology
Writing
Resumo em inglês
This study aims at describing the phonology of the Hakitia language, a language of Romanic origin, spoken by the Jewish Maroccan community living in the North of Brazil. This research aims at describing and documenting such language and which of its elements still remains, with the purpose of understanding what has occurred with a language that is, virtually, 516 years old. As far as speaking is concerned, this generation of Hakitian speakers is the last one we know about. We present a brief historical background of the Hakitia language since its origin in Spain until the expulsion of the Jews from this country by the kings Ferdinand and Isabella the Catholic. We examine also their several routes of exile, among which Marrocco in Northern Africa and from there to Amazon Eretz. The methodological underpinnings used to describe this research came from the general assumptions of structural linguistics.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2010-03-29
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • CONCEIÇÃO, G. M., et al. Relações entre variação de gênero e variação tonal na fala de língua portuguesa do Brasil. Revista Symposium (Lavras) [online], 2008, vol. 6, p. 70-73. Dispon?vel em: http://www.fadminas.org.br/symposium/12_edicoes/artigo_9.pdf.
  • CUNHA, A., et al. Relações entre variação de gênero e variação tonal na fala de Língua Portuguesa do Brasil. In IV Congresso Internacional de Fonética e Fonologia, Niteróis, 2008. Caderno de Resumos.Niterói : UFF, 2008. Resumo. Dispon?vel em: http://sites.google.com/site/exprosodia/.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.