• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2018.tde-23112018-121948
Documento
Autor
Nome completo
Amanda de Lima Santana
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Mendes, Ronald Beline (Presidente)
Freitag, Raquel Meister Ko
Oushiro, Livia
Souza, Paulo Chagas de
Título em português
As vogais médias pretônicas na fala de sergipanos em São Paulo
Palavras-chave em português
Acomodação dialetal
Identidade
Migrantes
Redes sociais
Sergipe
Vogais médias pretônicas
Resumo em português
Esta dissertação objetiva estudar a fala de sergipanos migrantes residentes em São Paulo e em sua região metropolitana, com o intuito de verificar suas taxas de acomodação (TRUDGILL, 1986) à fala paulistana, no que concerne ao grau de abertura das vogais médias pretônicas (como em negócio e coragem), tratado como uma variável numérica (a partir dos valores de F1). Para tanto, os pressupostos teóricos variacionistas (LABOV, 2008 [1972]), o conceito de redes sociais (MILROY, 1987; MILROY & LLAMAS, 2013 [2002]) e algumas definições caras à terceira onda (ECKERT, 2012), como o de identidade (KIESLING, 2013), são tomados como norteadores. O corpus da pesquisa é formado por 27 entrevistas sociolinguísticas realizadas com sergipanos migrantes pertencentes a duas redes sociais distintas. A rede 1 é mais fechada (com uma mobilidade geográfica mais limitada e com um contato menos frequente com paulistanos) e é composta por 16 informantes residentes em Taboão da Serra e Cotia, cidades metropolitanas de São Paulo. A rede 2, por sua vez, é mais aberta (tem mais contato com paulistanos) e é formada por 11 sujeitos, moradores de Osasco, Carapicuíba e São Paulo. Partindo da premissa de que os indivíduos estão se acomodando às pessoas com quem estão conversando rotineiramente, a hipótese central do estudo é que as taxas de acomodação dos migrantes estejam correlacionadas à configuração de suas redes. Dessa maneira, como os sujeitos da rede 2 conversam, com mais frequência, paulistanos, eles tendem a estar mais acomodados à fala paulistana. Além disso, a pesquisa lida com o conceito de identidade com o intuito de testar a hipótese de que o migrante que se identifica mais com Sergipe, do que com São Paulo, tende a estar menos acomodado à nova realidade linguística. Tal teste é realizado com um índice chamado índice de vínculo com Sergipe, criado a partir de um questionário respondido pelos próprios informantes depois da entrevista sociolinguística. O principal resultado das análises é que a hipótese sobre a configuração das redes não se confirma, ou seja, não faz diferença, para as taxas de acomodação, se o informante pertence à rede mais fechada ou à mais aberta. Verificou-se, nesse sentido, que existe uma grande variação entre os indivíduos de uma mesma rede. Ademais, não foi constatada correlação entre o índice de vínculo com Sergipe do migrante e seu grau de acomodação. A análise mais minuciosa de dois migrantes da rede 2 revela que existe uma concentração de vogal /o/ mais baixa quando os falantes estão avaliando as diferentes pronúncias brasileiras e estão discursando sobre sua origem, sobretudo quando usam a palavra nordeste (e suas derivações). Tal descoberta mostra que, em pesquisas sobre acomodação dialetal, é importante voltar-se para a análise do indivíduo e para suas posturas (stance).
Título em inglês
Pre-stressed mid-vowels in the speech of speakers who migrated from Sergipe to São Paulo
Palavras-chave em inglês
Dialectal accommodation
Identity
Migrants
Pre-stressed mid vowels
Sergipe
Social networks
Resumo em inglês
This masters thesis presents a study of pre-stressed mid-vowels /e/ (negócio business) and /o/ (coragem courage) in the speech of 27 speakers who migrated from Sergipe to São Paulo. In their original dialect, speakers born and raised in Sergipe (as in other areas of Northeastern Brazil Cardoso, 1999; Callou et al, 2009) tend to open these vowels, relative to their pronunciation by speakers born and raised in São Paulo. Under the assumption that speakers tend to accommodate their speech (TRUDGILL, 1986) to the variety spoken by those with whom they routinely speak, the central hypothesis is that migrants may have different rates of accomodation in the pronunciation of those vowels, depending on the configuration of their networks. That way, migrants whose networks include more Paulistanos would tend to pronounce these vowels more similarly to these speakers, as opposed to migrants whose networks include more Sergipanos and speakers from other Northeastern areas of Brazil. The data were extracted from sociolinguistic interviews, recorded with these migrants according to their participation in two social networks. Network 1 is more closed (limited geographical mobility and less frequent contact with Paulistanos) and comprises 16 migrants living in Taboão da Serra and Cotia, metropolitan cities of São Paulo. Network 2 is more open (more contact with Paulistanos) and comprises 11 subjects, residents of Osasco, Carapicuíba and São Paulo. Data collection and analyses were carried out in accordance with Sociolinguistics (LABOV, 2008 [1972]), the concept of social networks (MILROY, 1987; MILROY & LLAMAS, 2013 [2002]) and third-wave conceptualizations (ECKERT, 2012), such as stance and identity (KIESLING, 2013). Vowel openess was treated as a numeric variable (measured in Praat Boersma & Weenink, 2014 through formant F1, in Hertz). Results do not confirm the network hypothesis, as the degrees of migrants accommodation did not significantly differ according to their network. Rather, there is great variability amongst speakers, including those who are members of the same network. Additionally, there is no correlation between the variable and whether the migrants identify themselves more to the new city or to their Northeastern origins (through an index based on answers to an identity questionnaire performed at the end of the sociolinguistic interviews). Moreover, there is also great variability throughout their interviews. By analyzing more closely the speech of two migrants from Network 2, it is noteworthy that there is a concentration of higher-F1 tokens of /o/ in the word nordeste (Nordeste Northeast), when the speakers are talking about their views on their origins and their original dialect. These findings call for further analysis of individual speech, when it comes to research on dialect accommodation.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-11-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.