• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2009.tde-23112009-104847
Documento
Autor
Nome completo
Luciana Sanchez Mendes
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2009
Orientador
Banca examinadora
Muller, Ana Lucia de Paula (Presidente)
Ferreira, Marcelo Barra
Oliveira, Roberta Pires de
Título em português
A quantificação adverbial em Karitiana
Palavras-chave em português
Advérbios
Freqüência
Grau
Línguas indígenas brasileiras
Quantificação
Resumo em português
Esta dissertação apresenta uma descrição e uma análise semântica dos advérbios de quantificação kandat, ahop e pitat muito/muitas vezes da língua Karitiana, uma língua brasileira do tronco Tupi e da família Arikém, usando conceitos da Semântica Formal. Do ponto de vista morfossintático, este trabalho demonstra que os itens sob discussão são quantificadores ligados aos predicados verbais e não quantificadores nominais. Eles são analisados como advérbios, sendo que kandat tem uma distribuição sintática idêntica à dos outros advérbios da língua e ahop e pitat formam um composto com o verbo ao qual estão associados. Do ponto de vista semântico, kandat e ahop são tratados como advérbios de freqüência. A operação de freqüência é revista neste trabalho levando em conta a proposta de Rothstein 1999, 2004, 2008a, 2008b de que o domínio verbal é de natureza contável, não possuindo uma distinção de natureza contável-massivo como a que é encontrada nos nomes. Essa operação é entendida aqui como uma contagem direta no domínio contável dos eventos e que não depende de nenhum componente especial dos quantificadores. Essa análise difere da de Doetjes 2007 que, seguindo o trabalho de Bach 1986, considera que os predicados verbais são divididos em contáveis e massivos e que a operação de freqüência é realizada pelos operadores nesses dois contextos graças a um componente especial que eles possuem. Nossa proposta para o tratamento da freqüência difere também, em parte, da proposta de De Swart 1993 que elabora diferentes soluções para usos proporcionais e nãoproporcionais dos advérbios envolvidos nessa operação. O presente trabalho oferece uma proposta mais econômica para os diferentes usos dos advérbios de freqüência, levando em conta dados do francês (oferecidos por Doetjes 2007 e De Swart 1993), do português brasileiro e do Karitiana. Pitat, por outro lado, é tratado como um quantificador adverbial de grau que, diferentemente dos quantificadores de freqüência, possui um componente especial que permite tanto uma quantificação sobre ocorrências quanto uma especificação de grau. A análise apresentada demonstra, baseada nos dados das três línguas e nas suas possíveis leituras, como é mais interessante considerar que os advérbios de grau é que possuem um componente exclusivo e não os de freqüência. Este trabalho propõe, portanto, uma análise dos quantificadores kandat, ahop e pitat da língua Karitiana usando como base uma revisão teórica da quantificação de freqüência e de grau respaldada em dados de diferentes línguas naturais.
Título em inglês
The adverbial quantification in Karitiana
Palavras-chave em inglês
Adverbs
Brazilian indian languages
Degree
Frequency
Quantification
Resumo em inglês
This dissertation presents both a description and a semantic analysis of the quantificational adverbs kandat, ahop and pitat a lot/many times in Karitiana, a Brazilian language from the Tupi Stock, Arikém family, using the concepts of Formal Semantics. From the morphosyntactic point of view, this work demonstrates that the items under discussion are quantifiers related to verbal predicates rather than to nominal quantifiers. They are analyzed as adverbs, kandat having a syntactic distribution identical to all the other adverbs in the referred language, whereas ahop and pitat form a compound with the verb they are associated with. From the semantic point of view, kandat and ahop are treated as frequency adverbs. We propose a revision of the frequency operation, taking into account Rothsteins 1999, 2004, 2008a, 2008b proposal that there is a countable nature to the verbal domain, that is, the verbal domain does not have a mass/count distinction similar to the one found in the nominal domain. The frequency operation is understood here as a direct counting in the countable domain of events that does not depend on any special component of the quantifiers. The analysis we propose differs from the one in Doetjes 2007; this author, following Bach 1986, considers that verbal predicates are divided into count and mass, and the frequency operation is carried out by the operators in these two contexts, because of a special component that they possess. Our approach to frequency also partially differs from De Swarts 1993 proposal, in which she elaborates different solutions for proportional and non-proportional uses of the adverbs involved in the mentioned operation. The present work offers a more economic proposal for the different uses of frequency adverbs, taking into account data from French (Doetjes 2007 and De Swart 1993), Brazilian Portuguese and Karitiana. Pitat, on the other hand, is considered a quantificational adverb of degree which, unlike frequency quantifiers, has a special component that allows either quantification over occurrences or a degree specification. The analysis presented here shows, based on data from the three languages previously mentioned (and their possible readings), that it is more interesting to assume that its the degree adverbs that have an exclusive component as opposed to the frequency ones. This work therefore proposes an analysis of the quantifiers kandat, ahop and pitat in Karitiana based on a theoretical revision of frequency and degree quantification supported by data from three different languages.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2009-11-27
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • SANCHEZ-MENDES, Luciana. Quantificação adverbial: operações de frequência e de grau. Estudos Linguísticos, 2011, vol. 40, p. 395-404.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.