• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.8.2019.tde-25032019-115902
Documento
Autor
Nome completo
Aracele Lima Torres
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Queiroz, Francisco Assis de (Presidente)
Evangelista, Rafael de Almeida
Santos Filho, Gildo Magalhães dos
Vicentin, Diego Jair
Vieira, Miguel Said
Título em português
A internet livre e aberta como ideologia: o debate da neutralidade da rede no Brasil e nos Estados Unidos
Palavras-chave em português
Democracia
Ideologia
Internet
Neoliberalismo
Neutralidade da rede
Resumo em português
Esse trabalho aborda a construção histórica de uma ideologia contemporânea que defende a visão de que a internet deveria ser aberta e livre. Essa ideologia, chamada por muitos autores de ideologia "ciberlibertária", possui um caráter híbrido e é defendida por grupos à direita e à esquerda do espectro político. A visão que a sustenta é produto de uma síntese de ideias da cibernética dos anos 1940, com um romantismo individualista característico da contracultura dos anos 1960, e o discurso neoliberal em ascensão nos Estados Unidos dos anos 1980. Essa síntese foi realizada principalmente pelo catálogo contracultural Whole Earth Catalog, publicado nos anos 1960 nos EUA, e propagada pela rede de pessoas que se articulou em torno desse catálogo e de suas publicações derivadas. Ela emergiu nos anos 1990 na região do Vale do Silício como uma ideologia, alimentando a bolha da internet e o discurso de que a rede era uma mídia excepcional, de caráter democrático e transparente, um espaço de exercício da liberdade e maior exemplo dos benefícios do livre mercado. Ao definir esse discurso como ideológico nós defendemos aqui que ele funciona como um campo de disputa pelo poder e legitimação, entre grupos sociais significativos, dentro da sociedade. Neste sentido, essa ideologia não estaria beneficiando de forma exclusiva nenhum dos grupos em disputa, mas obedeceria à dinâmica de luta pelo poder político, que ora coloca um grupo em vantagem, ora coloca outro. A tese de que essa ideologia está a serviço da direita neoliberal, defendida por alguns autores, é, portanto, rebatida aqui por nós. A nossa tese é a de que, apesar de ter contribuído para a reestruturação do capitalismo a partir dos anos 1980, e ainda continuar contribuindo para a propagação de suas práticas em alguns contextos, essa ideologia também favorece o florescimento de algumas práticas que o desafiam. De modo que não devemos crer que a esquerda é totalmente desarmada por esse discurso e tem necessariamente em toda e qualquer situação a sua resistência política anulada ao se alinhar a ele. Para sustentar o nosso argumento, apresentamos o debate da neutralidade da rede, que se desenvolveu em vários países a partir dos anos 2000, como uma demonstração clara disso. Esse debate, que está ancorado na defesa de uma internet neutra e aberta, pode ser uma vitrine através da qual podemos perceber essa ideologia funcionando como um campo de disputas entre grupos da esquerda e da direita. Através da comparação entre o debate sobre a neutralidade da rede no Brasil e nos Estados Unidos, foi possível perceber que as implicações desse discurso podem se manifestar em direções inclusive opostas, resultando, por exemplo, na defesa da democracia ou na defesa do mercado.
Título em inglês
The free and open internet as an ideology: the net neutrality debate in Brazil and the United States
Palavras-chave em inglês
Democracy
Ideology
Internet
Neoliberalism
Network neutrality
Resumo em inglês
This work addresses the historical construction of a contemporary ideology that defends the view that the internet should be open and free. This ideology, called by many authors of "cyberlibertarian" ideology, has a hybrid character and is defended by groups on the right and left side of the political spectrum. The vision that sustains it is the product of a synthesis made of cybernetic ideas of the 1940s, with an individualistic romanticism of the counterculture of the 1960s and the neoliberal discourse on the rise in the United States of the 1980s. This synthesis was carried out mainly by the countercultural catalog Whole Earth Catalog published in the 1960s in the USA and propagated by the network of people who articulated around this catalog and its derived publications. It emerged in the 1990s in the Silicon Valley region as an ideology, fueling the internet bubble and the discourse that the network was an exceptional, democratic and transparent media, a space for the exercise of freedom, and a greater example of the benefits of free market. In defining this discourse as ideological we argue here that it functions as a field of dispute for power and legitimation among significant social groups within society. In this sense, this ideology would not be exclusively benefiting any of the groups in dispute, but would obey the dynamics of fighting for political power, which sometimes puts one group in advantage, and sometimes puts another. The thesis that this ideology serves the neoliberal right-wing, defended by some authors, is thus countered here by us. Our thesis is that, although it has contributed to the restructuring of capitalism since the 1980s, and continues to contribute to the propagation of its practices in some contexts, this ideology also favors the flourishing of some practices that challenge it. So we must not believe that the left-wing groups are totally disarmed by this discourse and have necessarily in any and all situation their political resistance nullified by aligning themselves with it. To support our argument, we present the net neutrality debate, which has developed in several countries since the 2000s, as a clear demonstration of this. This debate, which is anchored in the defense of a neutral and open internet, can be a showcase through which we can perceive this ideology functioning as a field of disputes between left and right-wing groups. Through the comparison between the debate about net neutrality in Brazil and in the United States, it was possible to perceive that the implications of this discourse can manifest in even opposing directions, resulting, for example, in the defense of democracy or in the defense of the market.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-03-25
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.