• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2009.tde-19022010-170350
Documento
Autor
Nome completo
Wesley Espinosa Santana
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2009
Orientador
Banca examinadora
Iokoi, Zilda Marcia Gricoli (Presidente)
D'Alessio, Marcia Barbosa Mansor
Pires Júnior, Sidney Oliveira
Título em português
O governo de Accacio no exílio de Heitor: as correspondências de Washington Luís e seus correligionários acerca do governo Vargas e dos direitos políticos e civis (1930-1947)
Palavras-chave em português
Direitos humanos
Estado
Exílio
Golpe de Estado
Revolução
Resumo em português
O governo de Getúlio Vargas trouxe características peculiares à função do Estado, o que garantiu, no Tempo Presente, uma influência muito grande deste período chamado de Era Vargas (1930-1945) sobre o Estado brasileiro atual. Nosso interesse é estudar como foi estruturado este Estado varguista sob o olhar da oposição paulista e do distanciamento do ex-presidente Washington Luis. Este trabalho tem como objetivos: interpretar as relações políticas no processo histórico através da perspectiva do ex-presidente Washington Luis; analisar as relações do Estado varguista com a oposição perrepista e as garantias dos direitos humanos, sobretudo, dos civis e políticos; compreender se este ex-presidente, um paulista de Macaé, participou da organização dos movimentos oposicionistas durante o seu exílio e discutir a memória coletiva produzida sobre Washington Luis a partir do registro e das ações políticas de seus correligionários. Os embates políticos, as manobras e a habilidade de Getúlio Vargas foram responsáveis pela maior parte do conteúdo exposto na leitura das cartas selecionadas que foram usadas neste trabalho. A análise das cartas entre Washington Luis e seus correligionários foi comparada com a leitura da historiografia do período e sobre o período e de alguns jornais escritos da imprensa de São Paulo e Rio de Janeiro, sobretudo, OESP e a Folha da Manhã. A introdução explica como foi pensado e organizado o trabalho e teoriza o trabalho do historiador com o uso das correspondências como fontes históricas. O capítulo inicial trabalha o conceito de Estado e de Direitos Humanos, faz uma breve trajetória sobre estes direitos no Brasil, apresenta uma biografia de alguns personagens desta trama e descreve os últimos meses de Washington Luis no poder e as articulações para o golpe de 1930 da Aliança Liberal. O capítulo II trabalha a situação de exilado, tendo como tema o exílio e a situação do ex-presidente Washington Luis como um exilado involuntário, a ciranda de interventores e os acontecimentos do movimento paulista de 1932. No capítulo III, analisamos a formação da Assembléia Constituinte, as relações políticas da Câmara dos Deputados com o correligionário Roberto Moreira e os conflitos entre a Aliança Nacional Libertadora e os integralistas. Com a intensificação da coerção política a partir do malogrado golpe dos comunistas com Luis Carlos Prestes, o país entrava num período mais complicado ainda para os direitos humanos, sobretudo, para os direitos civis e políticos. Em 1937, com a promulgação da nova Constituição, estava instaurado o Estado Novo e a censura prévia institucionalizada como política de Estado. Aliás, era o fim das oposições e a iminência da guerra mundial dava aspectos de que o Brasil precisaria se posicionar. O ex-presidente Washington Luis aguardava os acontecimentos da conclusão da guerra mundial em 1945 para retornar ao Brasil, porém isso só ocorreria em 1947. No capítulo IV, vemos a escassez de cartas que mostrava a falta de resistência da oposição e a sua indefinição como influência política na sociedade. A memória ausente de Washington Luis foi trabalhada de forma a garantir a análise da construção de sua história como exilado e seu legado político. Ele esteve dezessete anos fora do país, vivendo muito bem, mas expatriado e impedido de usar os seus direitos de cidadão. Ao analisarmos a documentação diante do procedimento proposto pôde-se observar que o papel desempenhado por Washington Luis na oposição foi de mero receptor das notícias, fazendo projeções e conjecturas sobre os assuntos tratados nas correspondências. Esta documentação atendeu a uma necessidade de conhecer características sobre um outro olhar das relações políticas nos bastidores da capital federal e da oposição em São Paulo, sobretudo, do desrespeito aos Direitos Humanos e do engodo dilacerado pelo populismo.
Título em inglês
Accacio's government in Heitor's exile: the correspondences of Washington Luís and his associates about Vargas' government and the political and civil rights (1930-1947)
Palavras-chave em inglês
Coup d'état
Exile
Human rights
Revolution
State
Resumo em inglês
Getulio Vargas' government brought out peculiar characteristics to the function of the State. Nowadays, this period called Vargas Era (1930-1945) exerts enormous influence on the current Brazilian State. Our interest is to study how this Vargas State was structured under the Paulista oppositions eye and distant from the ex-president Washington Luis. This paper has as its aims: interpret the political relationships in history from ex-president Washington Luiss point of view; analyze the relationship between the Vargas State and the Perrepista opposition and the guarantee of human rights, especially, civil and political ones; understand if this ex-president, a paulista from Macaé, took part in organizing oppositional movements during his exile and discuss the collective memory of Washington Luis, based on documents and on the political actions of his coreligionists. Getulio Vargass political clashes, maneuvers and skills were responsible for most of the content presented on such letters, which were especially selected to be used on this paper. The analysis of the mail between Washington Luis and his coreligionists was carried out by comparing the historiography of the period and some newspapers written by the press from São Paulo and Rio de Janeiro, mainly, OESP and Folha da Manhã. The introduction explains how this paper was thought and organized, describing a brief timeline of the human rights in Brazil and theorizing the role of a historian while using mail as historical sources. The first chapter works on the biography of one of these characters and describes the last months in which Washington Luis held office, besides the articulations of the liberal alliance to mount the 1930 coup détat. The Second chapter deals with the situation of the exiled, approaching this theme and portraying ex-president Washington Luis as an involuntary exiled, besides the intervention and the widespread occurrences of the Paulista Movement of 1932. The third chapter analyzes the formation of the Constituent Assembly, the political relationships between the chamber of deputies and the coreligionist Roberto Moreira, in addition to the conflicts between the National Liberty Alliance and the Integralists. As the political coercion became more intense due to the unsuccessful coup planned by communists such as Luis Carlos Prestes, the country started to go through an even harder period for human rights, above all, to civil and political ones. With the promulgation of the new constitution in 1937, the New State was established and strict censorship would become, at that time, official and institutionalized as the State policy. Actually, the end of oppositions and the imminence of the World War indicated that Brazil would have to take a side. The ex- president Washington Luis waited for the end of the World War in 1945 to return to Brazil, but that would only take place in 1947.The fourth chapter studies the absent memory of Washington Luis to make sure we could analyze his history as an exiled and his political legacy as well. He had been away from his country for seventeen years, living fairly well, though expatriated and impelled to use his citizen rights. While analyzing documents with the previously set aims, its noticeable that Washington Luiss role as opposition was as a mere news receiver, making projections and conjectures only based on the content of his mail. These documents fulfilled the need to identify, from another point view, characteristics of the backstage of political relationships in the federal capital and the Paulista opposition, mainly concerning the disrespect for human rights and the lacerating enticement for populism.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
WESLEY_ESPINOSA_SANTANA.pdf (1,012.30 Kbytes)
Data de Publicação
2010-03-09
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.