• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2009.tde-03022010-174218
Documento
Autor
Nome completo
Carlos Eduardo Dias Machado
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2009
Orientador
Banca examinadora
Gallardo, Dario Horacio Gutierrez (Presidente)
Silva, Luiz Geraldo Santos da
Wissenbach, Maria Cristina Cortez
Título em português
População negra e escolarização na cidade de São Paulo nas décadas de 1920 e 1930
Palavras-chave em português
Brasil
Educação
História
Movimento negro
Negro
Pós-abolição
Racismo
Resumo em português
O trabalho tem como propósito refletir sobre a escolarização dos afro-brasileiros nas décadas de 1920 e 1930 na cidade de São Paulo. Parte do princípio de que o regime republicano brasileiro e o estado de São Paulo não criaram políticas focalizadas para a população negra, reproduzindo defasagens históricas. Buscamos compreender as lógicas por de trás da educação pública, investigando, em especial, o preconceito e a persistência de estigmas e estereótipos raciais no discurso sustentado pelo pensamento imperial e republicano. Para tornar viáveis essas articulações, a dissertação busca subsídios teórico-metodológicos na historiografia do período pós-abolição. Os jornais O Clarim d´Alvorada, Progresso e A Voz da Raça, todos da imprensa negra das décadas de 1920 e 1930, compõem o corpus central de análise da dissertação. Assim, visamos compreender as contraposições entre os discursos e ações sustentados pela instrução pública do estado de São Paulo na capital paulista e os apresentados pelas organizações anti-racistas como Centro Cívico Palmares e Frente Negra Brasileira no município de São Paulo. A título de fontes complementares consultamos documentos como as Constituições brasileiras de 1824 a 1937, coleção de leis do Império, os censos nacionais de 1872 a 1920, o Diário Oficial do Estado de São Paulo e os relatos de cronistas. Desse lugar de fala, a dissertação vem colocar em cena que as políticas promovidas pelas instituições estatais na primeira e segunda república, não foram neutras e equitativas. As políticas educacionais universalistas no Brasil hospedavam, por identidade de propósitos, consanguinidade com o mito da democracia racial. Os princípios liberais de democracia e igualdade da Constituição de 1891 conservaram os processos de assimetria racial e social e postergaram igualmente o enfrentamento das desigualdades que conformavam o círculo vicioso do racismo, em particular no âmbito da educação.
Título em inglês
Black people and schooling in the city of São Paulo in the 1920 and 1930
Palavras-chave em inglês
Black
Black movement
Brazil
Education
History
Post-abolition
Racism
Resumo em inglês
The work is to reflect on the education of African-Brazilians in the decades of 1920 and 1930 in São Paulo. Assumes that the republican regime and the Brazilian state of São Paulo didnt have policies targeted to the black population, reproducing historical lags. We understand the logic on the back of public education, investigating in particular the persistence of prejudice and racial stigmas and stereotypes in the discourse sustained by the imperial and republican thought. To make viable these joints, the dissertation seeks subsidies in theoretical and methodological historiography of post-abolition. The O Clarim d´Alvorada (The Clarion of Dawn) newspaper, A Voz da Raça (The Voice of the Race), and Progresso (Progress), all of the black press of the decades of 1920 and 1930, form the central corpus of analysis of the dissertation. Thus, aiming to understand the contraposition between the speeches and actions supported by public education in the state of São Paulo and presented by the antiracist organizations such as Centro Cívico Palmares (Palmares Civic Center) and Frente Negra Brasileira (Brazilian Black Front) in city of São Paulo. By way of additional sources consulted documents such as Brazilian Constitutions from 1824 to 1937, collection of laws of the Empire, the National Census from 1872 to 1920, the Official Daily of the State and reports of chroniclers. That place of speech, the dissertation has been put into play that the policies promoted by state institutions in the first and second republic, were not neutral and fair. Universal education policies in Brazil hosted, for purposes of identity, kinship with the myth of racial democracy. The liberal principles of democracy and equality in the Constitution of 1891 retained the processes of social and racial imbalance and also postpone the face of inequalities that as the vicious circle of racism, particularly in education.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2010-02-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.