• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2012.tde-14092012-095733
Documento
Autor
Nome completo
Larissa Alves de Lira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Sousa Neto, Manoel Fernandes de (Presidente)
Secco, Lincoln Ferreira
Zusman, Perla Brigida
Título em português
O primeiro esboço do método geográfico de Vidal de La Blache a partir dos estudos do Mediterrâneo. Permanências e rupturas no contexto da institucionalização da geografia (1872-1918)
Palavras-chave em português
Circulação
Colonialismo
Geografia botânica
Geografia humana
História da geografia
Mediterrâneo
Tempo geográfico
Vidal de la Blache
Resumo em português
Vidal de la Blache (1845-1918) é considerado um dos mestres de fundação da geografia universitária francesa. Tendo ministrado aulas de geografia de 1873 a 1914, na França, muitos estudos existem a seu respeito, principalmente sobre anos finais da carreira. O objetivo deste trabalho é esclarecer a concepção do método geográfico a partir dos estudos do geógrafo Vidal de la Blache sobre o Mediterrâneo. Apoiados em uma concepção de uma história social das ideias e das permanências, o Mediterrâneo foi visto como o objeto inicial (escritos existem a partir de 1872) e duradouro (até 1918) da obra do historiador que se tornou geógrafo em fins do século XIX. Portanto, foi possível observar as transições metodológicas dentro de um quadro de permanências e rupturas. O Mediterrâneo também é uma zona de interesse da geografia botânica e das expedições científicas do século XIX que ajudaram a estabelecer a glória do império napoleônico, além de zona de cobiça da sociedade francesa, que leva a cabo seus objetivos imperiais na África do Norte. Inserido neste contexto e apoiando-se na sua formação de historiador, Vidal elaborará uma concepção geográfica do Mediterrâneo. Assim, este trabalho assinala como pano de fundo alguns percursos da institucionalização da geografia, ou seja, a entrada da geografia nas Universidades francesas em fins do século XIX. As fontes começam no doutorado, em 1872, e seguem esparsamente até sua morte, em 1918. Dos estudos Mediterrâneos e apoiados em bibliografia complementar apareceram três eixos de análise da geografia de Vidal de la Blache: a história, a circulação e a adaptação. Os dois primeiros eixos foram estudados neste trabalho, sendo o terceiro já amplamente debatido na historiografia da geografia. Desses eixos desdobram-se os conceitos da circulação e do tempo geográfico. Além da história social das ideias e das permanências, recorremos às análises bibliométricas para revelar as principais fontes do geógrafo, bem como ao recurso da cartografia para deslindar o processo metodológico da regionalização mediterrânea. Os resultados são uma concepção de Mediterrâneo que agrega as heranças teóricas da história e a vocação geográfica desenvolvida pela geografia física, além de ser utilizável pelo politica colonial do século XIX. O método mediterrâneo se utiliza da história e do dinamismo da circulação da Terra como princípios.
Título em inglês
The first draft of the geographic method of Vidal de la Blache based on studies of the Mediterranean. Continuities and ruptures in the context of the institutionalization of geography (1872-1918)
Palavras-chave em inglês
Botanic geography
Circulation
Colonialism
Geographical time
History of geography
Human geography
Mediterranean
Vidal de la Blache
Resumo em inglês
Vidal de la Blache (1845-1918) is considered one of the founding teachers of French academic geography. Having taught geography classes from 1873 to 1914, in France, there are many studies about him, especially concerning the last years of his career. The objective of this study is to clarify the concept of geographic method from Vidal de la Blaches studies on the Mediterranean. Based on a conception of a social history of ideas and permanences, the Mediterranean had been seen as the initial object (there are writings dated 1872) and the lasting one (until 1918) from the work of the historian who became a geographer at the end of the nineteenth century. Therefore, it had been possible to observe methodological transitions within a framework of continuities and ruptures. The Mediterranean is also an area of interest for botanic geography of the scientific expeditions of the nineteenth century which helped establish the glory of the Napoleonic Empire, as well as a zone of greed of French society, which carries out its imperial objectives in North Africa. In this context, and supported by his training as a historian, Vidal will later establish a geographical concept of the Mediterranean. Thus, this study points out as background, some routes of institutionalization of geography, i.e., the entry of geography in French universities in late nineteenth century. The sources start in the doctorate, in 1872, and follow sparsely to his death, in 1918. Out of the Mediterranean studies, and supported by complementary bibliography, three lines of analysis of Vidal de la Blaches geography rose: its history, its circulation and its adaptation. The first two were focused on in this study, for the third is already fully discussed in the historiography of geography. From the first two, there have been unfolded the concepts of circulation and the geographical time. In addition to the social history of ideas and permanences, we have used the bibliometric analyzes to reveal the main sources of the geographer, as well as the use of cartography to unravel the methodological process of Mediterranean's regionalization. The results are a conception of the Mediterranean that brings together the theoretical legacies of history and geographical vocation developed by physical geography, besides being useful for the colonial policy of the nineteenth century. The 'Mediterranean method' uses the history and dynamics of Earth's movement as principles.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-09-14
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.