• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2002.tde-04042005-104838
Documento
Autor
Nome completo
Simone Raquel Batista Ferreira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2002
Orientador
Banca examinadora
Oliveira, Ariovaldo Umbelino de (Presidente)
Marques, Marta Inez Medeiros
Queiroz, Renato da Silva
Título em português
Da Fartura à Escassez: a agroindústria de celulose e o fim dos territórios comunais no extremo norte do Espirito Santo
Palavras-chave em português
agroindústria de celulose
impactos socioambientais
modo de vida
território de uso comum
Resumo em português
Até meados do século XX, a região fronteiriça entre o Espírito Santo e a Bahia era predominantemente ocupada por comunidades camponesas, caboclas, pescadoras e quilombolas que tiravam seu sustento do uso extrativista do meio natural. Aqui, a rica floresta tropical atlântica, agrupando mata densa nos terrenos sedimentares terciários e áreas alagadiças nas planícies de inundação dos rios, apresentava a fartura suficiente para suprir estas comunidades de água, peixe, carne, frutos, madeira, ervas e raízes medicinais. A fartura estendia-se à terra: no "sertão" de Itaúnas, a "terra era a rola" e apropriada pelas posses que passavam de pai para filho. Esta situação favorecia o uso comunal dos recursos oferecidos pela floresta e assim concretizava o território das comunidades. A partir da década de 1950, as áreas da floresta passam a adquirir valor comercial. O crescimento urbano-industrial do centro-sul do país tem fome de madeira, que começa a ser saciada pela exuberância da Mata Atlântica do norte capixaba. Em meados da década de 1970, as terras que ainda apresentavam exemplares da floresta concentravam-se no município litorâneo de Conceição da Barra e, a partir de então, passam a ser inseridas no projeto estatal de plantio de eucalipto para produção de celulose do II Plano Nacional de Desenvolvimento (1974). A implantação das monoculturas da Aracruz Celulose nesta região a partir de 1974 traz a transformação no uso da terra, incentivada e legitimada pelo Estado através de legislações específicas, e impõe uma nova lógica de apropriação do espaço, ditada pela propriedade privada, pelo uso restrito, pela acumulação e pelo lucro. Junto dela, o manejo extremamente impactante, com o plantio em nascentes e zonas de recarga hídrica, a retirada de matas ciliares, a exploração da areia e argila encontradas no fundo das antigas lagoas e agora utilizadas na manutenção das estradas, a capina e o controle químico de pragas com elevadas doses de agrotóxicos e herbicidas. Danificando o meio natural, a nova situação passa a desestruturar o modo de vida das comunidades locais, outrora estruturado numa forma de manejo que mantinha os ciclos reprodutivos da vida. A investigação destas histórias de vida tomou corpo coletivo no Movimento Alerta contra o Deserto Verde, formado por entidades e ONG’s do Espírito Santo e sul da Bahia em meados de 1999 e que tem como prática o questionamento político do projeto celulósico aí implantado. O Deserto Verde vem estimulando a discussão dos problemas trazidos pela agroindústria de celulose às comunidades locais e tem contribuído com algumas conquistas, como a lei estadual que determina o zoneamento agroecológico do Espírito Santo e outras recentes leis municipais que proíbem o plantio do eucalipto para a produção de celulose.
Título em inglês
From plenty to scarcity: the pulp's agrarian-industry and the end of customers territories in the Espírito Santo's border north
Palavras-chave em inglês
agrarian-industry of eucalyptus pulp
customer territory
life's mode
social and environmental impacts
Resumo em inglês
In the beginning twenty century, the frontier's region between Espírito Santo and Bahia was taken of peasants, natives, fishermen and antique slaves communities that took your maintenance from the use of natural environment. Here, the fruitful tropical forest, counting compact wood in the sedimentaries soils and inundate zones in the flood's plains of rivers, had the sufficient abundance to provide these communities with water, fish, meat, fruits, wood, herbs and medicinal roots. The plenty extended to land: in the Itaúnas hinterland, the "land was glutted" and suitable by hereditaries tenures. This situation fomented the customary use of resorts presented to forest and then make concrete the communities territories. Since 1950, the forest's zones start to acquire commercial value. The profuse Mata Atlântica of Espírito Santo's north was used in the urbane-industrial increase of centre-south's country. In the middle of 1970, the lands of still had forest's exemplars group was in the coast town of Conceição da Barra. Then, this lands was inserteds in the Brazilian's project of eucalyptus' plantation to pulp's production of II Plano Nacional de Desenvolvimento de 1974 (National Environment Plane). The monocultures consolidation of Aracruz Celulose since 1974 produce the transformation in the land's use, incentived and legitimised to Brazilian country through of specifies laws, and impose a new logic of space’s appropriation, dictated for private propriety, restricted use, accumulation and profit. The destroyed management, with the plantation in the sources, the retreat of vegetation around the rivers, the exploration of sand and clay placed in the olds lake’s bottom and in this moment utilised in the roads' maintenance, the clearing woodland and the chemical's control of pests with large parts of poisons. The new situation damage the natural environment, and change the life's mode of local communities, formerly structured in the management that sustained the life's reproductives cycles. The participant search's character in the investigation of these life's histories increased collectively of the Movimento Alerta contra o Deserto Verde (Alert against Green Wilderness Movement), established for entities and ONG's of Espírito Santo and Bahia's south in the middle of 1999. This movement quarrels the project of eucalyptus pulp's production there consolidated, encourage the discussion of the problems produced for pulp agrarian-industry to local communities and had contributed with some conquests like the state law that determine the agrarian-ecological plan of Espírito Santo and others municipal laws that prohibit the eucalyptus plantation to pulp's production.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
fotos.pdf (1.48 Mbytes)
Simone_Ferreira_diss.pdf (1,003.30 Kbytes)
Data de Publicação
2005-06-06
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.