• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.8.2011.tde-18012012-123630
Documento
Autor
Nome completo
Cássio Arthur Wollmann
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Orientador
Banca examinadora
Galvani, Emerson (Presidente)
Barrozo, Ligia Vizeu
Conti, Jose Bueno
Sartori, Maria da Graça Barros
Sentelhas, Paulo Cesar
Título em português
Zoneamento agroclimático para a produção de roseiras (Rosaceae spp.) no Rio Grande do Sul
Palavras-chave em português
Anos-padrão
Normais climatológicas
Rio Grande do Sul
Ritmo climático
Rosaceae spp.
Sistemas atmosféricos
Zoneamento agroclimático
Resumo em português
O objetivo geral desta pesquisa foi propor um zoneamento agroclimático para a produção de roseiras (Rosaceae spp.) realizada ao ar livre no Rio Grande do Sul, classificando o Estado em áreas Aptas, Marginais e Inaptas do ponto de vista das temperaturas médias sazonais e anuais. Zoneou-se, também, as condições climáticas de anos-padrões mais chuvoso, menos chuvoso e habitual, bem como fez-se levantamento dos sistemas atmosféricos predominantes nestes anos. Fez-se fundamentação teórica relativa ao tema, bem como se utilizou a base de dados climáticos cartografada do Atlas Agroclimático da FEPAGRO/RS. Tal base foi digitalizada com auxilio de SIG, bem como foi feita a construção do banco de dados, no qual foram atribuídas as características de aptidão, de área marginal e inapta do ponto de vista climático para cada um dos elementos climáticos analisados. Ainda, as áreas aptas e marginais foram subdivididas em quatro classes para melhor atender às exigências climáticas da rosa a todos os elementos analisados. As estações do outono e primavera mostraram-se como sendo as estações de maior aptidão climática para o cultivo das rosáceas. Apenas as estações de verão e inverno apresentaram áreas inaptas para o cultivo da rosa. Entretanto foram consideradas para todas as estações, e todos os anos-padrões analisados, restrições climáticas relacionadas às temperaturas máximas e mínimas médias e absolutas; às horas de frio abaixo de 10°C; às condições médias de umidade relativa superiores à 75%, à insolação inferior à 6 horas/dia; radiação solar inferior a 2000 Lux/dia; e às rajadas médias de vento superiores à 46 m/s. A análise anual não apresentou áreas inaptas, mas pode ser observado o surgimento de diferentes subclasses ligadas às áreas aptas e marginais ao cultivo da rosa. Dentre os sistemas atmosféricos definidores da zonação climática, pode-se destacar a MPA e FPA na primavera, MPV, MTA e MTC no verão, MPA e FE no outono, e MPA no inverno. Tanto pesquisadores quanto produtores de rosas, pela sua percepção do tempo e do clima, afirmaram que as condições climáticas do Rio Grande do Sul, especialmente as grandes variações térmicas e elevada umidade do ar, bem como a baixa insolação, não são recomendadas para o cultivo da roseira.
Título em inglês
Agroclimatic Zoning to the Roses (Rosaceae spp.) production in Rio Grande do Sul
Palavras-chave em inglês
Agroclimatic zoning
Atmospheric systems
Climatological normals
Rhythm climate
Rio Grande do Sul
Rosaceae spp.
Years-patterns
Resumo em inglês
This research concerned to propose an agroclimatic zoning for production rose (Rosaceae spp.) in outdoors conditions in Rio Grande do Sul, ranking the state in suitable areas, marginal and unsuitable from the viewpoint of the seasonal mean temperature and annual . Also, years-patterns weather was classified as year-wetter, less rainy and usual, and did a survey of prevailing weather systems in recent years. It was made the theoretical foundation on the subject, and we used the climatic data base of the Agroclimatic Maps from FEPAGRO / RS. This base was scanned with the aid of GIS, and was made to build the database in which they were awarded the characteristics of fitness, unfit and marginal area of the climatic point of view for each of the climatic elements analyzed. Still, the fit and marginal areas were divided into four classes to better meet the climatic requirements of the rose of all the factors analyzed. The seasons of spring and autumn proved to be the largest fitness stations climate for the cultivation of roses. Only the summer and winter showed areas unfit for cultivation of the rose. However they were considered for all seasons and all analyzed years-patterns, environmental constraints related to maximum and minimum temperatures and average absolute; the chilling hours below 10°C, the average conditions of relative humidity higher than 75%, the insolation less than 6 hours/day, solar radiation below 2000 Lux/day and the average wind gusts greater than 46 m/s. An annual review showed areas not suitable, but can be observed the emergence of different sub-classes related to marginal areas and suitable for the cultivation of the rose. Among the systems that define the atmospheric climate zoning, we can highlight the MPA and FPA in the spring, MPV, MTA and MTC in summer, FE and MPA in autumn, and MPA in the winter. Both researchers and producers of roses, by the perception of weather and climate, said the weather in Rio Grande do Sul, especially the large temperature fluctuations and high humidity and low insolation, are not recommended for cultivation rosebush.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-01-18
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • WOLLMANN, C. A., e GALVANI, E. Caracterização climática regional do Rio Grande do Sul: dos estudos estáticos ao entendimento da gênese. Revista Brasileira de Climatologia [online], 2013, vol. 11, p. 87-103. Dispon?vel em: http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs2/index.php/revistaabclima/article/view/28586/20848.
  • Wollmann, C. A., e GALVANI, E. Zoneamento agroclimático da roseiricultura para o Estado do Rio Grande Do Sul - análise climátologica em ano representativo de padrão habitual 2007. Revista GeoNorte [online], 2012, vol. 5, p. 1216-1228. Dispon?vel em: http://www.revistageonorte.ufam.edu.br/index.php/edicao-especial-climatologia.
  • Wollmann, C. A., e GALVANI, E. Zoneamento agroclimático: linhas de pesquisa e caracterização teórica-conceitual. Sociedade & Natureza (UFU. Online), 2012.
  • WOLLMANN, C. A., GALVANI, E., e WOLLMANN, C. A. A percepção e cognição climática dos agricultores e pesquisadores como subsídio ao cultivo de roseiras no Rio grande do Sul. Ciência e Natura [online], 2013, vol. 35, p. 71-85. Dispon?vel em: http://cascavel.ufsm.br/revista_ccne/ojs/index.php/cienciaenatura/article/view/780/578.
  • WOLLMANN, C. A., GALVANI, E., e WOLLMANN, C. A. Zoneamento Agroclimático: Linhas de Pesquisa e Caracterização Teórica-conceitual'. Sociedade & Natureza (UFU. Online) [online], 2013, vol. 25, p. 179-189. Dispon?vel em: http://www.seer.ufu.br/index.php/sociedadenatureza/article/view/17438/pdf.
  • Wollmann, C. A., e GALVANI, E. Exigências Climáticas para o Cultivo de Roseira (Rosa spp.) Um Resgate Teórico. In XVII Congresso Brasileiro de Floricultura e Plantas Ornamentais e IV Congresso Brasileiro de Cultura de Tecidos de Plantas, Aracaju, 2009. Ciência, Inovação e Sustentabilidade.Holambra : Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais, 2009.
  • Wollmann, C. A., e GALVANI, E. Zoneamento Agroclimático da Roseicultura para o Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. In VI SEMINÁRIO LATINO-AMERICANO DE GEOGRAFIA FÍSICA, II SEMINÁRIO IBERO-AMERICANO DE GEOGRAFIA FÍSICA, Coimbra, 2010. Sustentabilidade da Gaia: ambiente, ordenamento e desenvolvimento..Coimbra : Departamento de Geografia da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, 2010. Dispon?vel em: http://www.uc.pt/fluc/cegot/VISLAGF.
  • Wollmann, C. A., e GALVANI, E. As correntes teóricas e os estudos climatológicos no Rio Grande do Sul no Século XX: resgate histórico. In IX Simpósio Brasileiro de Climatologia Geográfica, Fortaleza, 2010. Climatologia e Gestão do Território.Fortaleza : UFC, 2010. Dispon?vel em: http://www.ixsbcg.com.br.
  • Wollmann, C. A., e GALVANI, E. Zoneamento Agroclimático do Estado do Rio Grande do Sul para a Cultura de Rosas (Rosa Spp.) ao Ar Livre. In XVII Congresso Brasileiro de Floricultura e Plantas Ornamentais, IV Congresso Brasileiro de Cultura de Tecidos de Plantas, Aracaju, 2009. Ciência, Inovação e Sustentabilidade.Holambra : Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais, 2009.
  • Wollmann, C. A., e GALVANI, E. Zoneamento agroclimático para produção de Roseiras (Rosaceae spp.) ao ar livre no estado do Rio Grande do Sul. In IV Seminário de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Geografia Física - SEPEGE, São Paulo, 2009. Teoria e Praxis.São Paulo : Programa de Pós-Graduação em Geografia Física, 2009.
  • Wollmann, C. A., e GALVANI, E. Zoneamento Agroclimático: Conceitos correlatos, linhas de pesquisas e aplicabilidades. In IX Simpósio Brasileiro de Climatologia Geográfica, Fortaleza, 2010. Climatologia e Gestão do Território.Fortaleza : UFC, 2010. Dispon?vel em: http://www.ixsbcg.com.br.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.