• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2011.tde-22022013-100553
Documento
Autor
Nome completo
Ricardo Indig Teperman
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Orientador
Banca examinadora
Schwarcz, Lilia Katri Moritz (Presidente)
Silveira Junior, Walter Garcia da
Simoes, Julio Assis
Título em português
Tem que ter suingue: batalhas de freestyle no metrô Santa Cruz
Palavras-chave em português
Diferença
Gênero
Improviso
Raça
Rap
Resumo em português
Esta dissertação tem como foco a prática de duelo rimas conhecida como batalha de freestyle. Segundo os participantes, o freestyle é "rap feito na hora" e o objetivo das batalhas é "zoar o outro". A partir de etnografia realizada ao longo de três anos na batalha da Santa Cruz, em São Paulo, analiso como os aspectos lítero-musicais e performáticos nublam a fronteira entre o insulto e a piada, possibilitando a encenação de conflitos e entabulando uma espécie de "economia da diferença". Nestes embates, os improvisadores mobilizam e flexionam categorias como gênero, sexualidade, raça/cor e classe social, operando como marcadores da diferença, sem produzir sentido isoladamente, mas apenas nas articulações efetuadas.
Título em inglês
Got to have swing: freestyle battles at the Santa Cruz subway
Palavras-chave em inglês
Difference
Gender
Improvisation
Race
Rap
Resumo em inglês
The focus of this thesis is the practice of rhyme duels known as freestyle battles. According to the participants, freestyle is "rap on real-time", and the purpose of the battles is to "mock the other". Based in ethnography carried out for three years in the Battle of Santa Cruz, in São Paulo, I analyse how the literary-musical and performance aspects blur the border between insult and joke, enabling the staging of conflicts and setting what could be called a "economy of difference". In these disputes, improvisators mobilize categories such as gender, sexuality, race/colour and social class, operating as difference setters, without any meaning if viewed isolately, but exclusively in the articulations that are produced.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-02-22
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.