• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2018.tde-30072018-134053
Documento
Autor
Nome completo
Dario de Queiroz Galvão Neto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Pimenta, Pedro Paulo Garrido (Presidente)
Cruz, Fernão de Oliveira Salles dos Santos
Hirata, Celí
Limongi, Maria Isabel de Magalhães Papaterra
Título em português
Identidade pessoal e simpatia no Tratado de Hume
Palavras-chave em português
Hume
Identidade pessoal
Imaginação
Paixões
Simpatia
Resumo em português
Trata-se de explorar o tema da identidade pessoal no Tratado da natureza humana (1739-1740) de Hume, segundo três pontos de vista: a simpatia, a imaginação e as paixões. De início, mediante o estudo da relação entre as ideias de eu e de outro no princípio da simpatia, procuramos mostrar como esse princípio carrega em si um significado mais profundo do que a mera comunicação de paixões ou afetos usualmente privilegiada entre os intérpretes. Com efeito, se examinarmos a dependência entre o indivíduo e seu semelhante, encontramos no mecanismo simpático um conflito quanto à natureza da identidade pessoal: o eu é, ao mesmo tempo, a percepção mais forte que se pode ter no pensamento, e, sem a exterioridade, nas palavras de Hume, o eu é na realidade nada. A fim de esclarecer o conflito, propomos o seguinte: num primeiro momento, investiga-se a imaginação, em virtude da qual uma ficção do eu é engendrada no pensamento; num segundo, a sucessão de paixões, em que um eu de prazer e dor é produzido. Sem a intenção de privilegiar a imaginação ou as paixões como princípio de formação da identidade, ou mesmo de especular a respeito de uma articulação exaustiva entre elas, pretendemos apreender sob os três pontos de vista (incluindo a simpatia) o que haveria de essencial à identidade: uma ordem que se estabelece a partir da desordem, e que se encontra a todo momento por ela ameaçada.
Título em inglês
Personal identity and sympathy in Humes Treatise
Palavras-chave em inglês
Hume
Imagination
Passions
Personal identity
Sympathy
Resumo em inglês
This work explores the theme of personal identity in Humes Treatise of human nature (1739-1740), according to these three points of view: sympathy, imagination and passions. First of all, through the study of the relation between the self and the ideia of other in the principle of sympathy, we intend to show that this principle carries within itself a meaning more significant than a mere communication of passions or affects usually adopted by the commentators. In effect, if we examine the dependency between the individual and his similar, we find in the mechanism of sympathy a conflict regarding the nature of personal identity: the self is, at the same time, the liveliest perception we can have in the thought, and, without the exteriority, according to Humes words, the self is in reality nothing. In order to overcome the conflict, we propose: first, the investigation of the imagination, through which a fiction of the self is created in the thought; second, the succession of passions, where a self of pleasure and pain is produced. Without the intention of favouring the imagination or the passions as the principle of the formation of identity, neither with the intention of speculating about an exhaustive articulation between these two, we intend to consider by the three points of view (including that of sympathy) what would be the essential about personal identity: an order that is established by the disorder, and that is at all times threatened by that very disorder.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-07-30
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.