• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
Documento
Autor
Nome completo
Cristiano Cordeiro Cruz
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Mariconda, Pablo Ruben (Presidente)
Cupani, Alberto Oscar
Lacey, Hugh Matthew
Oliveira, Marcos Barbosa de
Szczepanik, Gilmar Evandro
Título em português
Tecnologia social: fundamentações, desafios, urgência e legitimidade
Palavras-chave em português
Andrew Feenberg
Conhecimento técnico
Filosofia da tecnologia
Formação em engenharia
Gilbert Simondon
Hugh Lacey
Tecnologia social
Resumo em português
Este trabalho versa sobre a tecnologia, atendo-se de modo particular, mas não exclusivo, a isso que no Brasil se chama de tecnologia social (TS). A tese que se buscará defender aqui é múltipla. Em primeiro lugar, ontológica e politicamente, sustentar-se-á que a tecnologia social é uma implementação não apenas tecnicamente legítima e autêntica, como social e ambientalmente urgente. Contudo, para que tal tipo de solução seja passível de ser desenvolvida, é necessário, de uma parte, que se desenvolvam conhecimentos científicos e engenheiris apropriados. Com isso, o segundo argumento, epistemológico, é que esses conhecimentos são passíveis de ser produzidos e que os mecanismos que podem tornar tal coisa possível não subvertem o ethos próprio da ciência ou da engenharia. De outra parte, TS e engenharia popular demandam também um perfil profissional específico, o do engenheiro educador (ou engenheiro popular). Essa é a terceira dimensão da tese que defendemos. Por fim, ontológica e existencialmente, proporemos que o caminho para superar o desencantamento substantivo do mundo (Weber), a entificação do Ser (em seu desvelamento tecnológico no qual nos encontramos presos, via enquadramento Heidegger), a ditadura da racionalidade instrumental (Horkheimer & Adorno) ou a autoprodução e o automatismo do desenvolvimento tecnológico (que nos aprisiona ou agencia quase que inapelavelmente Ellul) pode emergir precisamente de algo como a tecnologia social, por meio da incorporação dos valores e saberes populares à construção da realidade sociotécnica que decidimos nos dar. Esse quarto aspecto, nesses termos, reforça o primeiro, trazendo novos elementos para subsidiar-se o entendimento acerca da urgência, em nossos dias, de uma solução técnica como a tecnologia social.
Título em inglês
Social technology: fundamentals, challenges, urgency and legitimacy
Palavras-chave em inglês
Andrew Feenberg
Engineering education
Gilbert Simondon
Hugh Lacey
Philosophy of technology
Social technology
Technical knowledge
Resumo em inglês
This work discusses technology, giving special attention to this that is called social technology (ST) in Brazil. The thesis that is substantiated here is multiple. First, ontologically and politically, it will be argued that social technology is not only technically legitimate and authentic, but also socially and environmentally urgent. However, in order to be implementable, ST demands, on the one hand, specific engineering and scientific knowledge to be advanced. Thus, the second dimension of our thesis, epistemological, sustains the understanding that such knowledge can be produced and the mechanisms required to make such production possible do not corrupt the scientific or engineering ethos. On the other hand, ST and popular engineering also demand a specific professional profile, the educator engineer (or popular engineer). This is the third dimension of the argument we defend here. Finally, ontologically and existentially, it will be suggested that a way to overcome the substantial disenchantment of the world (Weber), the entification of Being (in its technological unveiling in which we found ourselves trapped, via enframing Heidegger), the dictatorship of instrumental rationality (Horkheimer and Adorno) or the self-production and automatism of technological development (Ellul) may precisely emerge from something like social technology. This would be so by dint of the incorporation of popular values and knowledge to the construction of the sociotechnical reality we decide to build. This fourth aspect, then, strengthens the first one, offering new supporting elements to the urgency claim associated with the development of ST in our days.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-01-30
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2014. Todos os direitos reservados.