• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.8.2018.tde-17082018-153855
Documento
Autor
Nome completo
Paulo Pirozelli Almeida Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Plastino, Caetano Ernesto (Presidente)
Bezerra, Valter Alnis
Dutra, Luiz Henrique de Araujo
Guitarrari, Robinson
Pessoa Junior, Osvaldo Frota
Título em português
A estrutura das controvérsias científicas: a sociologia da ciência de Thomas Kuhn
Palavras-chave em português
Epistemologia social
Escolha de teorias
Filosofia da ciência
Sociologia da ciência
Thomas Kuhn
Resumo em português
Como cientistas escolhem teorias? O objetivo de nossa tese é entender a resposta de Thomas Kuhn a este problema clássico da filosofia da ciência. Ao retirar o problema da escolha de teorias do campo metodológico e transportá-lo para o campo sociológico, Kuhn expõe os fundamentos de uma abordagem sociológica do desenvolvimento científico. Como tantos outros filósofos, Kuhn defende que teorias científicas são escolhidas a partir de valores epistêmicos critérios como precisão, consistência, abrangência, simplicidade e fecundidade. Segundo ele, porém, estes valores estão sujeitos a interpretações distintas: cientistas podem concordar quanto ao que se deve esperar de uma teoria, mas, em função de históricos pessoais e profissionais particulares, podem discordar em relação a qual delas melhor manifesta essas características. Mas se os cientistas aplicam os valores de maneiras distintas, em que sentido estes valores ditariam as suas escolhas? E, principalmente, como seria possível, dada a variabilidade dos valores, o consenso em uma comunidade de cientistas? A resposta de Kuhn, inaugurando sua abordagem sociológica, é a de que o acordo entre os membros da comunidade seria gerado por uma série de mecanismos sociais. Em primeiro lugar, a pedagogia e o treinamento dos cientistas, que tornaria as avaliações dos cientistas mais parecidas. Depois, a teoria de onda: a produção de novas evidências e argumentos responsáveis por convencer os adeptos de teorias rivais. Por último, a reestruturação da comunidade: a exclusão de membros resistentes e a divisão da comunidade em disciplinas distintas. A fim de esclarecer a natureza desta sociologia, discutiremos dois conjuntos de temas relacionados: os tipos de explicações de crença: racional e causal; e os níveis explicativos desta sociologia: indivíduos, comunidades e grupos. A última parte de nossa tese consiste em uma tentativa de sistematizar um modelo de explicação sociológica da dinâmica das controvérsias científicas, assim como apontar alguns caminhos para uma pesquisa empírica direcionada a estes tópicos.
Título em inglês
The structure of scientific controversies: Thomas Kuhns sociology of science
Palavras-chave em inglês
Philosophy of science
Social epistemology
Sociology of science
Theory choice
Thomas Kuhn
Resumo em inglês
How do scientists choose theories? The aim of our thesis is to understand Thomas Kuhn's answer to this classic problem in Philosophy of Science. By removing the theory-choice problem from the methodological field and transporting it to the sociological field, Kuhn sets out the foundations of a sociological approach to scientific development. Like so many other philosophers, Kuhn argues that scientific theories are chosen based on epistemic values criteria such as accuracy, consistency, scope, simplicity, and fruitfulness. However, these values are, according to him, subject to different interpretations: scientists may agree on what to expect from a theory, but depending on particular personal and professional histories, they may disagree as to which theory best expresses these characteristics. But if scientists apply values in different ways, in which sense would these values dictate scientists choices? And, especially, how could a consensus in a community of scientists be achieved, given the variability of values? Kuhn's answer, inaugurating his sociological approach, is that agreement among community members would be generated by a series of social mechanisms. First, the pedagogy and training of scientists, which make scientists appraisals more similar. Secondly, the wave-theory: the production of new evidence and arguments that convince the followers of rival theories. Finally, the restructuring of the community: the exclusion of resistant members and the division of the community into distinct disciplines. In order to clarify the nature of this sociology, we will discuss two sets of related themes: the types of explanations of belief: rational and causal; and the explanatory levels of this sociology: individuals, communities and groups. The last part of our thesis consists of an attempt to systematize a model of sociological explanation for the dynamics of scientific controversies, as well as to point out the ways to an empirical research directed to these topics.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-08-17
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.