• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2008.tde-04062008-102933
Documento
Autor
Nome completo
Ivanilde Aparecida Vieira Cardoso Fracalossi
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Cacciola, Maria Lucia Mello de Oliveira (Presidente)
Figueiredo, Vinicius Berlendis de
Suzuki, Marcio
Título em português
A universalidade subjetiva do juízo de gosto em Kant
Palavras-chave em português
Analogia
Juízo
Reflexão
Senso comum
Subjetividade
Universalidade
Resumo em português
A universalidade do juízo de gosto não tem um princípio objetivo porque não pretende determinar nenhum objeto. Mas para assegurar sua necessidade e escapar da contingência da experiência, ela se ampara no princípio exemplar do senso comum (Gemeinsinn), ou seja, num princípio subjetivo que determina apenas por sentimento, e não por conceito, aquilo que apraz ou não apraz. No entanto, sob a pressuposição de um assentimento universal a respeito do que é belo, a necessidade neste juízo adquire uma representação objetiva baseada no fundamento de nosso sentimento. É na dedução deste fundamento do sensus communis que se concentra nosso esforço nesta dissertação, pois tentaremos mostrar que ela percorre toda a Crítica da Faculdade de Julgar Estética.
Título em inglês
The universality of judgement of taste in Kant' s work
Palavras-chave em inglês
Analogy
Common sense
Judgement
Reflection
Subjectivity
Universality
Resumo em inglês
The universality of judgement of taste has none objective principle because does not intend to determine any object. Nevertheless, in order to assure its necessity and to escape from the experience's contingency, this universality supports itself in exemplary principle of common sense (Gemeinsinn), in other words, in a subjective principle which determines what is pleasure or not, only by feeling and not by concept. Although, under the presupposition of a universal agreement regarding what is beautiful, the necessity in this judgement acquires an objective representation based on our feeling's ground. It is in this deduction of this ground of sensus communis that concentrates our effort in this dissertation, because we will try to demonstrate that it courses through the entire Critique of Aesthetic Judgement.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2008-06-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.