• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.8.2007.tde-17122007-111021
Documento
Autor
Nome completo
Cristiane Aparecida Fernandes da Silva
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Augusto, Maria Helena Oliva (Presidente)
Evelyn, Suzanna Sochaczewski
Guimaraes, Nadya Araujo
Martins, Heloisa Helena Teixeira de Souza
Sato, Leny
Título em português
A gestão de si na reivenção das normas: práticas e subjetividade no trabalho
Palavras-chave em português
Normas
Operário
Subjetividade
Trabalho
Valor
Resumo em português
O chão de fábrica é constituído por operários cuja atuação cotidiana em diferentes postos de trabalho consiste, simultaneamente, na gestão de si próprios. Embora a fábrica seja cravejada por normas oficiais operacionais, de segurança e de qualidade, os operários gerem todos esses elementos conforme suas necessidades psicofísicas e escolhas valorativas possíveis. Portanto, trata-se de uma análise, pautada tanto em veio teórico, notadamente o ergológico, quanto, especialmente, em achados empíricos extraídos de entrevistas efetivadas junto a operários metalúrgicos da grande São Paulo. Ambas as esferas, teórica e empírica, comungam esforços em mostrar as atividades de chão de fábrica em uma perspectiva distanciada daquela de pura execução por operadores via operações padronizadas exogenamente. Essas atividades são na realidade re-formuladas, re-conduzidas, às vezes até reinventadas, consequentemente, apropriadas por sujeitos operários, que renormalizam o seu meio e, na medida do possível, singularizam seus atos de trabalho de acordo com os seus próprios usos subjetivos, valorativos e simbólicos.
Título em inglês
The self-management in the reinvention of norms: practical and subjetivity in the work
Palavras-chave em inglês
Norms
Subjectivity
Value
Work
Worker
Resumo em inglês
The shop floor is constituted by workers whose daily performance in different workstations consists, simultaneously, in the self-management. Although the factory is studded by operational official norms, of safety and of quality, the workers generate all those elements according to their needs psycho-physicals and possible appreciated choices. Therefore, it is treated of an analysis, ruled so much in theoretical vein, especially the ergological, as, especially, in empiric discoveries extracted of interviews accomplished with the workers metallurgists of the São Paulo's metropolitan area. Both spheres, theoretical and empiric, they take communion efforts in showing the activities of shop floor by a distanced perspective of that of pure execution by operators through operations standardized exogenously. These activities are in the reality re-formulated, re-driven, sometimes until reinvented, consequently, appropriate for subjects workers, that re-normalize their environment and, insofar as possible, they become singular their work actions according to their own subjective, appreciated and symbolic uses.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2008-01-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.