• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2018.tde-12072018-131343
Documento
Autor
Nome completo
Pedro Ernesto Vicente de Castro
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Ostrensky, Eunice (Presidente)
Perissinotto, Renato Monseff
Reis, Bruno Pinheiro Wanderley
Título em português
Representação política e accountability eleitoral: genealogia e crítica
Palavras-chave em português
Accountability eleitoral
Agência política
Liderança política
Representação política
Teoria democrática
Resumo em português
Essa dissertação tem dois objetivos. O primeiro é fazer uma genealogia da mais popular concepção de representação na ciência política: a do accountability eleitoral. A teoria do accountability eleitoral é um produto da reflexão teórica e normativa da ciência política de meados do século XX em diante, especialmente de duas literaturas. Uma é a de congruência ou responsividade, que adota a congruência entre as preferências por políticas ou a ideologia do representante e aquelas do representado como ideal normativo. A outra é a do voto retrospectivo, que encontra sua versão mais sofisticada nos modelos de agência política. Para essa literatura, normativamente atraente é a seleção de representantes competentes, que entreguem bons resultados. Ambas especificam a relação entre eleições e representação: por meio das eleições, o representado consegue fazer o representante lhe entregar o que ele quer. A primeira parte do trabalho reconstrói a trajetória dessas duas literaturas, ressaltando seus impasses. O principal desses impasses envolve a bem documentada desinformação do eleitor: como eleitores desinformados podem controlar seus representantes? O segundo objetivo é avaliar a teoria do accountability eleitoral à luz das evidências empíricas pertinentes. Para tanto, o trabalho investiga as evidências sobre o problema da desinformação do eleitor, e de sua competência em geral. O saldo das evidências recomenda ceticismo a respeito do accountability eleitoral. Diante disso, o que podemos então esperar da representação política? O trabalho sugere que um caminho é inverter a perspectiva do accountability eleitoral e enxergar a representação política como uma relação em que o representante é quem mobiliza, de cima para baixo, o representado. O apoio político do representado é um recurso que o representante tenta angariar para perseguir seus próprios objetivos políticos. Esse pode ser um caminho para reconciliar a teoria da representação com o fenômeno da liderança política.
Título em inglês
Political representation and electoral accountability: genealogy and critique
Palavras-chave em inglês
Democratic theory
Electoral accountability
Political agency
Political leadership
Political representation
Resumo em inglês
This thesis has two goals. The first one is to put together a genealogy of the most popular conception of representation in political science: that of electoral accountability. The theory of electoral accountability is a product of theoretical and normative reflection of political science from mid-20th century on, and especially of two different literatures. One is the literature on policy congruence or policy responsiveness, which takes congruence between the representatives and the constituents policy preferences or ideology as a normative ideal. The other one is the retrospective voting literature, which finds its most sophisticated version in political agency models. For this literature, what is normatively appealing is the selection of competent representatives, who are able to deliver good results. Both literatures specify the connection between elections and representation: through elections, constituents can get representatives to deliver what they want. The first part of this work retells these literatures trajectories, point out their impasses. The main one regards voters well documented lack of information: how can uninformed voters control their representatives? This works second aim is to assess the theory of electoral accountability in light of the pertinent empirical evidence. In order to do so, the work investigates the evidence on the problem of voters lack of information and voter competence in general. The balance of the evidence suggests skepticism towards electoral accountability. Given this, what can we expect from political representation? The thesis suggests that a possible path is to reverse the point of view of electoral accountability and see political representation as a top-down relationship in which representatives mobilize constituents. Constituents political support is a resource that representatives try to gather in order to pursue their own political objectives. This can be a way to reconcile the theory of representation with the phenomenon of political leadership.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-07-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.