• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.8.2018.tde-11092018-104053
Documento
Autor
Nome completo
Rômulo Felipe Manzatto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Ricupero, Bernardo (Presidente)
Cepêda, Vera Alves
Saes, Alexandre Macchione
Título em português
Formação e revolução em Caio Prado Jr. e Celso Furtado
Palavras-chave em português
Caio Prado Jr.
Celso Furtado
Pensamento social brasileiro
Resumo em português
A problemática relação entre as obras de Caio Prado Jr. e Celso Furtado consiste numa das mais interessantes polêmicas de nossa historiografia. Sabe-se que em Formação Econômica do Brasil, principal obra de Furtado, não há referências explícitas à obra de Caio Prado Jr., mesmo que a influência do pensamento do historiador marxista na obra do economista cepalino seja mais do que evidente. A questão, longe de estar pacificada, despertou a atenção de nomes como Chico de Oliveira, Paul Singer, Roberto Schwarz e Tamás Szmerecsányi. Para além da polêmica, parece haver razoável interesse na comparação mais ampla do pensamento de ambos. Partindo daí, o presente trabalho coteja o pensamento dos autores entre dois momentos temáticos bem definidos, o de seus livros de Formação, de meados das décadas de 1940 e 1950 e o momento da Revolução, já nos idos da década de 1960. Nesse marco cronológico e temático, procura-se situar os autores no contexto intelectual mais amplo de que fazem parte. O marxismo de matriz comunista, no caso de Caio Prado Jr. e a economia política da CEPAL para Celso Furtado. Em seguida, a comparação é realizada em torno de três eixos temáticos mais amplos. O primeiro, a respeito do uso que realizam da tipologia de contrários das colonizações de exploração e povoamento. O segundo, que trata da maneira como abordam a difícil transição, ainda inconclusa, entre colônia e nação, que em Caio Prado Jr. adquire a forma de impasses do inorgânico e em Furtado, nas ideias que levaram à criação da SUDENE. Por fim, compara-se as respostas de ambos ao conturbado contexto político da década de 1960, quando as análises convergem para a defesa de uma Revolução, ou Pré-Revolução, vista não como ruptura, mas como um processo mais amplo de transformação social.
Título em inglês
Formation and revolution in Caio Prado Jr. and Celso Furtado
Palavras-chave em inglês
Brazilian political thought
Caio Prado Jr.
Celso Furtado
Resumo em inglês
The problematic relation between the works of Caio Prado Jr. and Celso Furtado is one of the most interesting polemics of our historiography. It is known that in the Formação Econômica do Brasil, Furtado's main work, there are no explicit references to the work of Caio Prado Jr., even though the influence of the thought of the Marxist historian on the work of the ECLAC economist is more than evident. The issue, far from being pacified, attracted the attention of names like Chico de Oliveira, Paul Singer, Roberto Schwarz and Tamás Szmerecsányi. Beyond the controversy, there seems to be reasonable interest in the broader comparison of the thinking of both. From this point of view, the present work contrasts the authors' thinking between two well-defined thematic moments, that of their books of "Formation", from the mid-1940s and 1950s and the moment of the "Revolution", already in the 1960s In this chronological and thematic framework, we seek to locate the authors in the broader intellectual context of which they are part. Communist matrix Marxism, in the case of Caio Prado Jr. and the political economy of ECLAC for Celso Furtado. Then, the comparison is carried out around three broader thematic axes. The first one, regarding the use that they make of the typology of opposites of colonização de exploração e colonização de povoamento. The second, which compares the way they deal with the difficult, and still unfinished transition between colony and nation, which in Caio Prado Jr. acquires the form of "impasses do inorgânico" and in Furtado, in the ideas that led to the creation of SUDENE. Finally, their responses are compared in the troubled political context of the 1960s, when the two analyzes converge to defend a Revolution, or Pre-Revolution, seen not as rupture, but as a broader process of social transformation.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2018-09-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.