• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Ana Paula Pelegrini Ratier
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2018
Orientador
Banca examinadora
Felli, Vanda Elisa Andres (Presidente)
Baptista, Patricia Campos Pavan
Mininel, Vivian Aline
Santos, Maria da Conceição dos
Sarquis, Leila Maria Mansano
Título em português
Restrições em trabalhadores de enfermagem: perfil e intervenções da terapia ocupacional
Palavras-chave em português
Enfermagem
Readaptação ao emprego
Saúde do trabalhador
Terapia Ocupacional
Transtornos traumáticos cumulativos
Resumo em português
Introdução: Os trabalhadores de Enfermagem hospitalar apresentam um alto risco de acometimento por Doença Osteomuscular Relacionada ao Trabalho (DORT), devido, principalmente, a exposição intensa a cargas de trabalho. As consequências individuais e institucionais dos DORT são devastadoras, agravando-se ainda mais no caso de trabalhadores com restrições no trabalho. Dessa forma, faz-se imperativo entender as limitações desse trabalhador e submetê-lo ao tratamento de reabilitação, visando melhora de seus sintomas e de sua capacidade funcional. Objetivo: caracterizar o trabalhador de enfermagem com restrições e avaliar o impacto de intervenções de Terapia Ocupacional. Método: estudo quantitativo, experimental, do tipo ensaio clínico aleatório não controlado, realizado em um hospital público paulista, com coleta de dados de maio a novembro de 2017, junto a 25 trabalhadores de enfermagem com restrições em membros superiores (MMSS), por meio de um questionário de caracterização sociodemográfica e laboral e três avaliações padronizadas Disabilities of the Arm, Shoulder and Hand (DASH), Questionário Nórdico de Sintomas Osteomusculares (QNSO) e Escala Visual Analógica (EVA) de dor. Após a caracterização, um subgrupo foi submetido a tratamento individual de terapia ocupacional e reavaliado ao final do tratamento. Os dados foram submetidos à análise descritiva e tratamento estatístico descritivo e analítico. Resultados: 25 trabalhadoras, sendo três enfermeiras, quatro auxiliares de enfermagem e dezoito técnicas de enfermagem, com idade média de 48 anos e média de 19 anos de trabalho, obedeceram aos critérios de inclusão. Exercendo suas funções em 11 setores diferentes, apresentavam IMC médio de 29,55, sendo oito praticantes de esportes e média de dois diagnósticos de DORT e duas restrições no trabalho, com elevado número de comorbidades. As atividades predominantes de trabalho foram: escrita, checagem de sinais vitais e medicação. Conforme o QNSO dos doze meses antecedentes, as maiores prevalências de sintomas foram 92% em ombros e punhos e mãos e 84% região lombar; nos sete dias antecedentes, 80% em ombros e 64% em punhos e mãos. Apesar dos sintomas, em média, apenas metade restringiu-se em suas atividades e consultou profissional de saúde. A EVA de dor teve escore médio de 6,64 e o DASH de 40,9, sendo as atividades desempenhadas com maiores dificuldades: atividades recreativas que exigem força, abertura de um vidro novo e tarefas domésticas pesadas. Oito trabalhadoras receberam em média cinco sessões de terapia ocupacional e três intervenções diferentes, sendo as mais utilizadas: massagem miofascial, confecção de órteses e calor superficial. Após o tratamento, as reavaliações a curto prazo mostraram melhora de 40% na intensidade média de dor e 37% de melhora na capacidade funcional. Não houve mudanças na prevalência de dor. Conclusões: o trabalhador de enfermagem com restrições de trabalho em MMSS apresenta uma elevada prevalência de sintomas osteomusculares e intensidade de dor, aliada a grande número de comorbidades e perda parcial da capacidade funcional. O tratamento de terapia ocupacional mostra-se uma estratégia eficaz em curto prazo para minimização de dor e melhora da capacidade funcional. Acreditamos que outras ações de saúde e institucionais sejam necessárias para abraçar a dimensão das repercussões dos DORT nessa população.
Título em inglês
Readjusted nursing workers: profile and occupational therapy interventions
Palavras-chave em inglês
Cumulative trauma disorders
Employment Support
Nursing
Occupational Health
Occupational Therapy
Resumo em inglês
Introduction: Hospital nursing workers have a high risk of developing Work-Related Musculoskeletal Disorders (WMSDs), mainly due to intense exposure to workloads. The individual and institutional consequences of WMSDs are devastating and even worse in the case of readjusted workers. Thus, it is imperative to understand their limitations and perform rehabilitation treatment, aiming to improve their symptoms and their functional capacity. Objective: to identify sociodemographic, health and occupational status of readjusted workers and to evaluate the impact of occupational therapy interventions. Method: a quantitative experimental uncontrolled randomized clinical trial, in a public hospital in the city of São Paulo. Data collection occurred from May to November 2017, with 25 readjusted nursing workers with limitations in the Upper Limbs (UL); instruments used were a questionnaire containing sociodemographic, occupational and health data and three standardized ones Disabilities of the Arm, Shoulder and Hand (DASH), Nordic Musculoskeletal Questionnaire (NMQ) and the Visual Analogue Scale (VAS) of pain. After characterization, a subgroup underwent individual treatment of occupational therapy and was re-evaluated at the end of treatment. Data were submitted to descriptive analysis and descriptive and analytical statistical treatment. Results: 25 workers, women, being three nurses, four nursing aides and 18 nursing technicians, with 48 years old of average age and an average of 19 working years, followed the inclusion criteria. Working in 11 different hospital settings, they presented a mean BMI of 29,55, with eight athletes and an average of two WMSDs and two work limitations per person, also featuring a high number of comorbidities. The predominant work activities were: writing, checking vital signs and medication. According to the NMQ of the previous 12 months, the highest prevalences of symptoms were 92% in shoulders and wrists and hands and 84% in the lumbar region; in the previous seven days, 80% in shoulders and 64% in wrists and hands. Despite the symptoms, on average only half were restricted in their activities and searched for a health professional.The average VAS of pain score was 6.64 and the DASH had an average of 40.9, with activities performed with greater difficulties: recreational activities that require strength, opening of a new jar and heavy housework. Eight workers received an average of five sessions of occupational therapy and three different interventions, being the most used: myofascial massage, splinting and superficial heat. After treatment, short-term reevaluations showed a 40% improvement in the average pain intensity and 37% improvement in the average of functional capacity. There were no changes in pain prevalence. Conclusion: the readjusted worker with UL limitations features a high prevalence of musculoskeletal symptoms and pain intensity, together with a large number of comorbidities and partial loss of functional capacity. Occupational therapy treatment is an effective short-term strategy for minimizing pain and improving functional capacity. We believe that other health and institutional actions are necessary to embrace the extent of the repercussions of WMSDs in this population.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-05-07
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.