• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.7.2008.tde-25022008-113036
Documento
Autor
Nome completo
Mildred Patricia Ferreira da Costa
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Miyadahira, Ana Maria Kazue (Presidente)
Leite, Joséte Luzia
Malvestio, Marisa Aparecida Amaro
Paiva, Edison Ferreira de
Sousa, Regina Marcia Cardoso de
Título em português
Retorno da circulação espontânea com uso do Desfibrilador Externo Automático (DEA) em vítimas de parada cardiorrespiratória atendidas pelo SAMU no município de Araras no período de 2001 a 2007
Palavras-chave em português
Desfibriladores/utilização
Parada cardíaca
Ressuscitação cardio-pulmonar
Serviços médicos de emergência
Suporte vital cardíaco avançado
Resumo em português
Este estudo objetivou conhecer a prevalência de parada cardiorrespiratória (PCR) atendida pelo SAMU de Araras entre 2001 e 2007, caracterizar as vítimas segundo o sexo, faixa etária, antecedentes mórbidos, natureza traumática do evento; a parada ter sido presenciada, realização de ressuscitação cardiopulmonar (RCP) por familiares/acompanhantes, tempo resposta, tipo de suporte de vida recebido na cena, indicação de choque pelo Desfibrilador Externo Automático (DEA), assim como identificar as variáveis significativas para o retorno da circulação espontânea na cena. Os dados foram coletados retrospectivamente das fichas de atendimento das vítimas de PCR do SAMU de Araras após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa da EEUSP. Foram selecionadas 328 fichas que preencheram os critérios de inclusão. O SAMU de Araras realizou 28.924 atendimentos gerais no período estudado, dos quais em 330 foram iniciadas as manobras de ressuscitação cardiopulmonar. A taxa de PCR no período avaliado é 1,13%, com predomínio do sexo masculino 208 (64,60%) e faixa etária entre 70 e 79 anos, média de idade 63,35 anos. Os antecedentes mórbidos mais citados foram cardiopatias (29,48%), hipertensão arterial sistêmica (25,43%) e diabetes (12,14%), a maioria com citação de um único antecedente ou sem este registro. Não havia trauma associado em 302 (92,64%) vítimas. O DEA foi utilizado em 280 (85,37%) vítimas, com indicação de choque em 95 (29%). A PCR foi presenciada em 115 (35,00%) vítimas, para as quais houve maior percentual de início de RCP (p=0,004) pela família/ acompanhante e houve mais indicação de choque pelo DEA(p<0,001) em relação às vítimas que foram encontradas em PCR. Houve maior proporção do retorno da circulação espontânea nas vítimas que receberam suporte avançado de vida na cena 54(31,76%), (p=0,018) em relação às que receberam somente suporte básico de vida. O tempo resposta médio foi de 05:24 minutos. Pela análise univariada, as seguintes variáveis foram significativas (p<0,05) para o retorno da circulação espontânea: faixa etária (p=0,018), diabetes melitus (p<0,001), responsividade (p=0,041), pulso carotídeo presente na avaliação inicial (p= 0,001), compressões torácicas pelo SAMU (p=0,028), choque pelo DEA (p<0,001), suporte avançado de vida (p=0,018), intubação traqueal (p<0,001). No modelo de regressão logística múltipla apenas "pulso carotídeo presente na abordagem inicial" foi selecionada como preditora independente para o retorno da circulação espontânea na cena (Odds Ratio 4,03), p =0,002.Concluiu-se que o serviço oferece um tempo resposta dentro dos padrões mundialmente recomendados e que as vítimas que tiveram PCR presenciada, apesar de receberem proporcionalmente mais RCP pela família/acompanhante e terem mais indicação de choque pelo DEA, não apresentaram mais retorno da circulação espontânea na cena. As vítimas com pulso presente na avaliação inicial do SAMU, isto é, as que tiveram a PCR presenciada pela equipe, ou tempo resposta "zero" têm 4,03 mais chances de retorno da circulação espontânea na cena, sendo esta variável a única preditora independente. O investimento em capacitação permanente da equipe do SAMU, ensino da população a reconhecer um evento crítico, iniciar manobras de reanimação e acionar precocemente o SAMU poderão contribuir para aumentar as chances de sobrevivência de vítimas de PCR em ambiente pré-hospitalar
Título em inglês
Return of spontaneous circulation after use of Automated External Defibrilator (AED) in victims of cardiac arrest, assisted by Emergency Medical Service of the City of Araras, SP, Brazil, in the period from 2001 to 2007
Palavras-chave em inglês
Advanced cardiac life support
Cardiopulmonary
Defibrillators / utilization
Emergency medical services
Heart arrest
Resuscitation
Resumo em inglês
The objective of this study was to know the prevalence of cardiac arrest (CA) assisted by Emergency Medical Service of the City of Araras (SAMU-Araras), SP, Brazil, between 2001 and 2007, classifying victims according to the gender, age groups, morbid antecedents, traumatic nature of the event, witnessed arrest, accomplishment of cardiopulmonar ressuscitation (CPR) by bystanders, time elapsed between the call of SAMU and the arrival of the EMS team to the site (time-response), type of life support received on-scene, shock indication for AED, as well as to compare the outcome of these cases, in terms of return of the spontaneous circulation (ROSC) still on scene, according to those variables. Data were collected from the records of SAMU of Araras, after approval of the Research Ethics Board of the Nurse School of University of São Paulo (EEUSP). 328 records that fulfilled the criteria were selected. SAMU-Araras accomplished 28.924 general medical attendances in the period of the study. In 330, CPR was performed (1.13%). Man (64.60%) and age group between 70 e 79 years old were predominants, and 63,35 yo. was the average. The mentioned prior diseases were cardiopathy (29.48%), sistemic arterial hypertension (25.43%) and diabetes (12.14%), most of all with just one problem cited or even no prior diseases. There was not associated trauma in 92.64% of the cases. AED was used in 85.37% of the cases were CPR was performed, with shock indication in 95 (29%) victims. CA was witnessed in 115 (35.00%) victims. In these cases, CPR performed by relatives were more frequent (p=0.004), as well as shock was more frequently indicated (p <0.001) compared with those where CA was not witnessed. There was larger proportion (51.83%) of ROSC in the victims that received advanced life support on scene, (p=0.018) comparing to the ones that received only basic life support. The time-response average was 05:24 minutes. The following variables presented statistical association (p <0.05) for ROSC: age group (p=0.018), diabetes (p <0.001), responsivity (p=0.041), carotid pulse present at the time of initial assesment (p=0,001), thoracic compressions by the SAMU team (p=0.028), shock delivered by AED (p <0.001), advanced life support performed (p = 0.018), and use of tracheal tube (p <0.001). In the statistical model of multiple logistics regression only the variable "carotid pulse present at the time of initial assesment" was selected as independent predictor for the return of the spontaneous circulation on scene (Odds Ratio 4.03), p =0.002. In conclusion, the SAMU-Araras offers a time-response according to international recommendations. Victims that have had witnessed CA, although received more frequenty CPR and recommended shock, they did not have better outcomes. The victims with present pulse in the initial assessment by the SAMU team, or in other words, the ones that presented CA witnessed by the SAMU team, had 4.03 more times in terms of chances of ROSC on scene, being this an independent predictor. The investment in permanent training of the SAMU professionals, the education for the people recognize a critical event and immediately to begin CPR can contribute to increase the survival chances for victims of CA in prehospital environment
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Mildred_Costa.pdf (3.39 Mbytes)
Data de Publicação
2008-03-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.