• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.7.2005.tde-23042007-102632
Documento
Autor
Nome completo
Diba Maria Sebba Tosta de Souza
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2005
Orientador
Banca examinadora
Santos, Vera Lucia Conceicao de Gouveia (Presidente)
Caliri, Maria Helena Larcher
Meneghin, Paolo
Título em português
Incidência de úlceras por pressão e fatores de risco em idosos institucionalizados
Palavras-chave em português
Asilos
Fatores de risco
Idosos
Úlcera (incidência)
Resumo em português
A ocorrência de úlceras por pressão (UP) é realidade em vários locais de assistência à saúde e caracterizam-se por serem lesões freqüentemente encontradas em pacientes graves hospitalizados ou em locais de institucionalização por longos períodos. O objetivo geral deste estudo foi: analisar a incidência de úlceras por pressão e os fatores de risco para o seu desenvolvimento em pessoas idosas residentes em Instituições de Longa Permanência (ILPI). Trata-se de estudo quantitativo de coorte, prospectivo. Inicialmente o projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade do Vale do Sapucaí e aprovação dos responsáveis em quatro Instituições de Longa Permanência para os idosos (ILPI), em 3 cidades do Sul de Minas Gerais, que constituíram os locais para a coleta de dados. A amostra constou de 94 idosos que atenderam os seguintes requisitos: ter idade igual ou superior a 60 anos; apresentar escore = 18 (em aplicação da Escala de Braden) e aceitar participar do estudo. Os dados foram obtidos através de exame físico, entrevista e análise dos prontuários, pela pesquisadora além de 9 colaboradores, enfermeiros e alunos de graduação, previamente treinados. Os idosos, que se enquadraram nos critérios de inclusão, foram avaliados 3 vezes na semana, durante 90 dias consecutivos ou até que desenvolvessem UP ou tivessem alta, transferência ou óbito. Os dados obtidos foram submetidos a análises descritivas e inferencial através de teste Qui-Quadrado de Pearson, Exato de Fisher, Kolmogorov-Smirnov, t-Student, e o não paramétrico de Mann-Whitney. Os resultados mostraram incidência cumulativa global de 39,4% e taxa de incidência (ou incidência por densidade) de 0,57 UP por 100 paciente-dias. Verifica-se que 37 (77,08%) idosos desenvolveram úlcera única; as localizações preferenciais foram o maléolo (27,08%) e o ísquio (25,00%) e as UP em estágio I foram as mais freqüentes (66,67%). Quanto às características demográficas dos idosos, houve predomínio do sexo feminino (62,80%) e da raça branca (68,19%), com idade média de 79,06 ± 9,59. Clinicamente, apresentaram IMC médio de 20,93 ± 4,95, predominando as doenças urinárias (58,50%), uso de neurolépticos /psicotrópicos (52,10%), não tabagismo (80,90%). Úlcera prévia esteve presente em 28,70% dos idosos estudados. Tanto na 1ª como na segunda avaliação de risco, a sub escala mobilidade apresentou os maiores valores de alfa de a-Cronbach (0,6591 e 0,6631) mostrando-se a mais relevante para a avaliação do risco. As seguintes variáveis mostraram-se associadas à presença de UP, na análise univariada: sexo feminino (p= 0,012); uso de medicamentos neurolépticos /psicotrópicos (p=0,016); presença de úlcera prévia (p=0,041); sub escala umidade (p=0,021), na primeira avaliação e sub escalas nutrição (p=0,013), fricção e cisalhamento (p=0,036) e umidade (p=0,034), na última avaliação. Sexo feminino e presença de úlcera prévia foram confirmados como preditivos para o desenvolvimento de UP, segundo a regressão logística (r2=0,311), mostrando 3,46 e 2,76 vezes mais chances de desenvolverem UP comparativamente aos homens e aos idosos sem UP, respectivamente. Além desses resultados, os escores totais da Escala de Braden diferiram entre os grupos com e sem UP, entre a 1ª (p=0,030) e última avaliações (p=0,001), sendo sempre menores para os idosos com UP. Em conclusão, este estudo contribui não somente para a informação acerca da incidência de UP e os principais fatores de risco para o seu desenvolvimento, em idosos institucionalizados, escassa em nosso meio, como para a sistematização de métodos que possam ser reaplicados em outros centros e em investigações futuras
Título em inglês
Ulcer incidence by pressure and risk factors in institutionalized elders
Palavras-chave em inglês
Elderly
Long Staying Institutions
Risk factors
Ulcers (incidence)
Resumo em inglês
The occurrence of ulcers by pressure (UP) is a reality in many places of health assistance and they are characterized for being frequent lesions found in serious hospitalized patients or in institutionalization places for long periods. The general aim of this study was analyzing the incidence of ulcers by pressure and the risk factors for their development in elderly people living in Long Staying Institutions (LSI). It is a prospective, cohort quantitative study. At first, the project was approved by the Ethics Committee in Research of the Universidade do Vale do Sapucaí and approved by the people in charge of four Long Staying Institutions (LSI) for elderly people in three cities in the south of Minas Gerais State which served as the place for the data collect. 94 elders who attended the following profile formed the sample: age was equal or superior to 60 years old; to show a score = 18 (in applying the Braden scale) and to accept in taking part in the study. The data were acquired through a physical examination, interview and the handbook analysis by the researcher and other nine collaborators, nurses and graduation students, previously trained for that. The elderly, who fitted into the inclusion criteria, were assessed three times a week for 90 days, with no interruption, or until they developed an ulcer or until they were send out of the hospital, were transferred or died. The data acquired were submitted to descriptive and inferential analyses through the Pearson Qui-Square test, Fisher Exact, Kolmogorov-Smirnov, t-student and the non-parametric of Mann-Whitney. The results showed a global cumulative incidence of 39,4% and incidence rate (or density by incidence) of 0,57 UP by a 100 patients-day. It is possible to verify that 37 (77,08%) elders developed single ulcer; the preferential location were the malleolus (27,08%) and the ischium (25,00%) and the UP in first stage were the most frequent ones (66,67%). In relation to the demographic features of the elders, there was a preponderance of the female sex (62,80%) and the white race (68,19%), with an age average ranging from 79,06 ± 9,59. Clinically, they presented an average CMI ranging from 20,93 ± 4,95, with a predominance of urinary diseases (58,50%), use of neuroepileptics/psycothropics (52,10%), non smoking (80,90%). The previous ulcer was present in 28,70% of the elderly studied. In the first as well as in the second risk assessment, the sub-scale mobility presented the higher values of alpha of ? -Cronbach (0,6591 and 0,6631) showing itself as the most relevant for the risk assessment. The following variables showed themselves associated to the presence of UP, in a single varied analysis: female sex (p=0,012); use of neuroepileptics/psycothropics medicines (p=0,016%); presence of previous ulcer (p=0,041%); humidity sub-scale (p=0,021), in the first assessment and the nutrition sub-scales (p=0,013), rubbing and and shearing stress (p=0,036) and humidity (p=0,034), in the last assessment. Female sex and previous ulcer presence were confirmed as predictive for the development of UP, according to the logistic regression (r2=0,311), showing 3,46 and 2,76 times more chances of developing UP comparatively to men and elderly without UP, respectively. Besides these results, the total scores of the Braden Scale were different between the groups with and without UP, between the first (p=0,030) and the last assessment, being always the smallest ones for the elderly with UP. As we can conclude, this study contributes not only for the information about the incidence of the UP and the main risk factors for its development, in institutionalized elderly, very rare in our context, as for the systematization of methods that can be reapplied in other centers and in future investigations
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Diba_Souza.pdf (721.81 Kbytes)
Data de Publicação
2007-04-23
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2018. Todos os direitos reservados.